Novidades

[News] O CLÁSSICO "SÃO PAULO SOCIEDADE ANÔNIMA", DE LUIZ SÉRGIO PERSON E MAIS PROGRAMAÇÃO ESPECIAL E GRATUITA NA SÉRIE CINEMA #EMCASACOMSESC

A atriz Eva Wilma em São Paulo, Sociedade Anônima (1965)

 De 8 a 17/9, a plataforma Sesc Digital recebe 11 filmes brasileiros, todos dirigidos por cineastas paulistas, na série Cinema #EmCasaComSesc. Na programação especial,  clássicos como “São Paulo, Sociedade Anônima”, de Luíz Sérgio Person, e “A Marvada Carne”, de André Klotzel, além de produções mais recentes, como os documentários “Person”, de Marina Person, e “Saudade Mundão”, de Julia Hannud e Catharina Scarpellini, e a animação "Miúda e o Guarda-Chuva”, de Amadeu Alban. 

Alguns dos títulos fazem parte do “Circuito da Madrugada” e poderão ser assistidos apenas a partir das 22h com disponibilidade de 24h na plataforma. 

Os títulos integram o Circuito Sesc de Artes 2021 – Praças Digitais, que apresenta mais de 250 ações artísticas, de forma inteiramente gratuita e on-line, em diálogo com 157 municípios do estado de São Paulo. Em sua 12ª edição, o evento conta com a participação de profissionais, instituições, grupos, coletivos e artistas que atuam nacionalmente, muitos deles nascidos nos municípios paulistas, a exemplo de nomes como Ignácio de Loyola Brandão, Reynaldo Gianecchini, Maria Gadú, Kamau, Daniel Munduruku, Renato Teixeira, Marcia Kambeba, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Roberta Estrela D’Alva, Marcelo D’Salete, Conceição Evaristo, Renato Janine Ribeiro, Siba e Museu Casa de Portinari, entre outros.

Nesta edição, realizada de 8 a 19 de setembro, o evento apresenta uma programação totalmente on-line e gratuita com mais de mil artistas e atividades de artes visuais, circo, cinema, dança, música, teatro, literatura, tecnologias, além de conteúdos sobre história e memória local, gastronomia e turismo.

Realizado desde 2008, o Circuito Sesc de Artes acontece em parceria com prefeituras municipais e sindicatos do comércio locais e tem como objetivo estimular a circulação e a difusão de trabalhos artísticos em cidades onde as unidades do Sesc não estão presentes. Para saber mais sobre o evento, acesse circuito.sescsp.org.br.

Na sexta, dia 10/9,  a série CinemaEmCasa estreia o longa “Os Espantalhos”, encerrando a programação da 16ª Mostra Mundo Árabe de Cinema. O longa de Nouri Bouzid,  acompanha duas jovens mulheres que voltam para Tunísia depois de uma violenta passagem pela Síria e tentam reconstruir suas vidas ao mesmo tempo que buscam justiça. O filme fica disponível por 7 dias, sem limite de visualizações.

 ### CINE CIRCUITO ###

sescsp.org.br/cinemaemcasa



8 A 21/9

OS CAUBÓIS DO APOCALIPSE

Dir.: Diego da Costa | Brasil | 2017 | 85 min | Ficção | 16 anos

Tom é um adolescente que sonha em retomar sua banda de rock com Nanda e Dedão: Os Caubóis do Apocalipse. Quando descobre que Nanda passou no vestibular e vai deixar a cidade, Tom tenta reunir os amigos para gravar um clipe no sítio de sua família. Porém, ao perceber que as coisas não vão bem, resolve pedir ajuda a Chicão, o caseiro do sítio, que acaba complicando ainda mais a situação.

O BARATO DE IACANGA

Dir.: Thiago Mattar | Brasil | 2019 | 93 min | Ficção | 16 anos

Uma fazenda familiar no interior de São Paulo foi palco do mais lendário festival ao ar livre da música brasileira: o Festival de Águas Claras. Suas quatro edições, entre as décadas de 70 e 80, reuniram milhares de hippies e confundiram a ditadura. O evento contou com importantes nomes da nossa música, como Gilberto Gil, Hermeto Pascoal, Luiz Gonzaga, Egberto Gismonti, Sandra de Sá, Raul Seixas, Alceu Valença e João Gilberto. Produtores e artistas, apoiados por raras imagens de arquivo, conduzem esse documentário musical que revela a verdadeira história de ativismo político e cultural por trás do festival conhecido como o “Woodstock brasileiro”.


SAUDADE MUNDÃO

Dir.: Julia Hannud, Catharina Scarpellini | Brasil | 2020 | 90 min | Documentário | 14 anos

Através de cenas de um cotidiano monótono e limitado, podemos conhecer de perto a realidade de mulheres marginalizadas muito antes de serem encarceradas. Saudade Mundão é um filme sobre o humano, que se passa na Cadeia Pública de Franca.


MAPAS AFETIVOS

Dir.: Felipe Lavignatti, André Deak | Brasil | 2018 | 52 min | Documentário | Livre

Uma leitura geográfica emocional da cidade de São Paulo, criada através de centenas de relatos de amor de seus moradores. Bairros, ruas, parques e casas que, às vezes, nem existem mais, ou são invisíveis para a maioria das pessoas ganham vida nas histórias contadas pelos habitantes, dentre eles Tiê, Baixo Ribeiro, Tulipa Ruiz, Laerte, Binho, TEC, Eduardo Suplicy, Nelson Triunfo, Djamila Ribeiro, Hugo Possolo, Caito Maia, Julia Balogh, Mariana Pabst Martins, Luiz Chagas, João Suplicy, e muitos outros.


MIÚDA E O GUARDA CHUVA

Dir.: Amadeu Alban | Brasil | 2019 | 74 min | Animação | Livre

A garota Miúda tem uma planta carnívora falante de estimação. Ela até tenta oferecer outras coisas, mas a planta só quer comer formigas, além de por medo no carteiro. Nas conversas, tudo que Miúda deseja é ser chamada pelo seu nome, mas a planta exige mais formigas em troca. Os insetos, no entanto, bolam outro plano para se livrar do cruel destino.

### CINE CIRCUITO DA MADRUGADA ###

sescsp.org.br/cinemaemcasa

Exibições de filmes por 24 horas, a partir das 22h.

10/9 (24H)


SELVAGEM

Dir.: Diego da Costa | Brasil | 2019 | 95 min | Ficção | 14 anos

Sofia tem um objetivo muito claro: passar no vestibular, conseguir um emprego e sair de casa. Porém, quando a escola onde estuda é ocupada pelos seus amigos e colegas de classe, ela se vê em um dilema entre continuar estudando sozinha ou compartilhar seu conhecimento na transformação da escola.

POR ONDE ANDA MAKUNAÍMA?

Dir.: Rodrigo Séllos | Brasil | 2021 | 84 min | Documentário | 12 anos

Por onde anda Makunaíma? faz um resgate histórico e cultural daquele que é o personagem ficcional mais identificado com um certo jeito de ser brasileiro. A começar por Makunaima, mito de origem de etnias da tríplice fronteira Brasil-Venezuela-Guiana, registrado em livro pela primeira vez no início dos anos de 1910, pelo etnólogo alemão Koch-Grünberg. É ele quem faz a ponte entre o extremo norte da América do Sul com o Brasil não-indígena, por meio de Mário de Andrade, célebre autor da rapsódia Macunaíma, o herói sem nenhum caráter, de 1926. Em 1969, Joaquim Pedro de Andrade lança a sua versão dessa história, o filme mais censurado do Cinema Novo. Em 78, Antunes Filho leva Macunaíma para o teatro. Em 1983, Macunaíma volta para o cinema como Exu-Piá, de Paulo Veríssimo, filme selecionado para o Festival de Berlim em 1985, mas não exibido. Com depoimentos em português, alemão, espanhol, macuxi e taurepang, o filme retorna a esse personagem que já nasce múltiplo e segue contemporâneo.

TOADA PARA JOSÉ SIQUEIRA

Dir.: Eduardo Consonni, Rodrigo T. Marques | Brasil | 2021 | 131 min | Documentário | Livre

Toada para José Siqueira é um resgate poético da vida e obra do maestro, professor, musicólogo e compositor brasileiro José Siqueira. Fundador das principais orquestras brasileiras, dentre elas a Orquestra Sinfônica Brasileira, Siqueira fez parte da 3ª geração nacionalista de compositores brasileiros que tinham o folclore como fonte de inspiração e enfatizou em sua obra as raízes nordestinas. Um artista e líder da classe musical que mostrou ao mundo a força e a diversidade da cultura brasileira e que segue desconhecido em seu próprio país após ter sua história apagada pela ditadura militar brasileira.


17/9 (24H)


SÃO PAULO, SOCIEDADE ANÔNIMA

Dir.: Luíz Sérgio Person | Brasil | 1965 | 84 min | Ficção | Livre

Carlos é um jovem de classe média paulistana que trabalha numa grande empresa durante a instalação de indústrias automobilísticas estrangeiras no Brasil. Ele aceita um cargo numa fábrica de peças para automóveis, da qual torna-se gerente. A certa altura, ele é um chefe de família que trabalha muito, ganha bem, mas vive insatisfeito. Sem um projeto de vida ou perspectivas para mudar a condição que rejeita, só lhe resta fugir.

PERSON

Dir.: Marina Person | Brasil | 2006 | 72 min | Documentário | Livre

Através de entrevistas com amigos, familiares e pessoas que trabalharam com o cineasta paulista Luiz Sérgio Person, sua filha, Marina, busca descobrir algo mais do que datas e dados biográficos.

A MARVADA CARNE

Dir.: André Klotzel | Brasil | 1985 | 92 min | Ficção | 10 anos

Nhô Quim (Adilson Barros) perambula com seu cachorro pelo interior paulista sonhando com duas coisas: encontrar uma noiva e comer carne de vaca. Ele conhece a jovem Carula (Fernanda Torres), que mora numa aldeia e reza todos os dias para Santo Antônio pedindo um marido. Para fisgar Quim ela o engana dizendo que seu pai, Nhô Totó (Dionísio Azevedo), possui um boi que será carneado no dia do casamento. Entretanto, antes de casar, Quim deve cumprir uma série de provas.


ESTREIA 10/9


### 16ª MOSTRA MUNDO ÁRABE DE CINEMA ###

sescsp.org.br/cinemaemcasa


De 20 de agosto a 16 de setembro de 2021, o Instituto da Cultura Árabe – ICArabe, em parceria com o Sesc São Paulo e patrocínio da Casa Árabe, realiza a 16ª Mostra Mundo Árabe de Cinema. Produções inéditas no Brasil, que reforçam o caráter da diversidade dos países árabes e da aproximação com a sociedade brasileira. A cada sexta-feira, um novo filme estreia na série Cinema #EmCasaComSesc e fica disponível por 7 dias. Mais informações, acesse o site da mostra icarabe.org.


OS ESPANTALHOS 

Dir.: Nouri Bouzid | Tunísia, Marrocos, Luxemburgo | 2019 | 98 min | Ficção | 12 anos

Zina e Djo são duas mulheres de vinte e poucos anos que retornam da Síria, onde foram sequestradas e estupradas, para a Tunísia. Zina foi separada de seu filho recém nascido, enquanto Djo descobre que está grávida e passa a não falar, só se comunicando sobre seu sofrimento através da escrita de um livro sobre sua experiência na Síria. Tentando retomar sua vida e buscar justiça pelo que lhes foi feito, as duas encontram a ajuda de outras mulheres na sua difícil jornada de reconstrução.



Série Cinema #EmCasaComSesc

Desde junho de 2020, o CineSesc realiza a série Cinema #EmCasaComSesc, na plataforma Sesc Digital (sescsp.org.br/cinemaemcasa). A iniciativa de oferecer gratuitamente filmes em streaming reforça os aspectos que ancoram a ação institucional do Sesc São Paulo, garantindo o acesso a conteúdos da cultura a variados públicos. Com maior presença no ambiente online, o Sesc amplia sua ação de difusão cultural, de maneira acessível e permanente. O público ganha assim mais um espaço para contemplar, descobrir e redescobrir o cinema, a partir de grandes obras selecionadas, disponibilizadas online e gratuitamente.

 

Os filmes ficam disponíveis por um período determinado, com alterações e novas estreias semanais a cada quinta-feira. Há ainda possibilidade de prorrogação da exibição, conforme a demanda do público, além de sessões especiais por períodos menores (como 24h, por exemplo). A curadoria do Cinema #EmCasaComSesc conta com a experiência do CineSesc, que segue fechado, por conta da crise causada pelo novo coronavírus.

 

Siga o CineSesc nas redes:

facebook.com/cinesescsp

twiter.com/cinesescsp

instagram.com/cinesescsp

youtube.com/cinesesc



+ Sesc Digital

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!


Saiba+: www.sescsp.org.br/sescdigital





Nenhum comentário