Novidades

[News]Thiago Ramil lança "O Sol Marca", 1° EP de inédito álbum visual

THIAGO RAMIL LANÇA “O SOL MARCA”, 1º EP DE INÉDITO ÁLBUM VISUAL



 

"O Sol marca o Andar do tempo e a Imensidão do universo Todo dia” será o conjunto de quatro obras que passeiam pelas estações do ano e revelam a diversidade sonora e cromática das novas composições do artista gaúcho

VERÃO: Ouça o novo EP e o single “Manequim”: http://bit.ly/osolmarca

 

Assista ao clipe: https://youtu.be/ebfY6zBLjzo


No dia 1º de Abril, o cantor e compositor Thiago Ramil lança o primeiro volume de seu novo trabalho, um álbum visual que mergulha fundo em sua musicalidade e narrativas, ancorado pelas nuances sonoras e cromáticas subliminares das estações do ano.

“Cada período do ano tem seu momento mais intenso. Assim como os EPs têm, cada um, a expressão mais forte de um conceito”, diz Thiago. “Apesar da maior intensidade de cada estação estar no meio, ela dialoga com as outras em suas transições. Assim também é o álbum completo”, explica ele, que batizou o disco com a união dos títulos dos quatro volumes: "O sol marca o Andar do tempo e a Imensidão do universo Todo dia” .




Os 4 EPs receberam o cuidado de um produtor ou produtora musical diferente, além de um filme que acompanhará cada ato, totalizando quatro curtas-metragens a serem lançados no canal de YouTube de Thiago Ramil semanalmente, junto com seu respectivo EP.

“São álbuns com linguagens artísticas bem distintas, quatro caminhos diferentes com alguns elementos que se amarram por um fio condutor; tanto do ponto de vista musical, da minha composição, quanto visual, com a figura da Geórgia Macedo, bailarina e antropóloga, cuja performance permeia todos os vídeos como um dispositivo artístico”, conta.

01/04 - VERÃO - O EP que abre o álbum visual, "O Sol Marca”, chega às plataformas dia 1º de abril via selo Escápula Records e distribuidora Altafonte, fomentado através do edital 09/2020 pela Lei Aldir Blanc do Rio Grande do Sul.  O disco reúne quatro canções de levadas mais solares, fincadas no cavaquinho, e com narrativas poéticas mais sociais, externas. Conceitualmente, é um álbum voltado para fora.

A produção musical é da dupla gaúcha Felipe Zancanaro, músico e produtor musical, e Vini Albernaz, músico e “ilustranimador”. Ambos produziram o primeiro álbum de Thiago, o “Leve Embora” (2015), que  teve indicação ao 17º Latin Grammy na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo.

Para ilustrar o álbum em imagens, Thiago convidou o coletivo de animação Ilha Maravilha (Vini Albernaz, Marcelo Gafanha e Alércio Pereira), que construiu um filme único para as quatro faixas. O trabalho tem como referência o desenho manual, folha a folha, o que dá uma dimensão analógica para a animação.

O disco inicia com o samba desconstruído “Janela do Rosto”, parceria de Thiago Ramil e Thayan Martins. Curiosamente, é uma canção cuja letra não é dele, e sim dela, que é percussionista do grupo Três Marias e da banda Cachaça de Rolha. Os ares eletrônicos conduzem a canção de tom surreal: “Abro a janela do rosto e vejo a paisagem que me veste enquanto danço com as nuvens na calçada do mundo”, diz certo trecho. Amigos, Thiago e Thayan se reencontraram por acaso na pandemia, o que terminou se tornando um dueto rico, vivo e provocativo. “Curiosamente, compus muito no cavaquinho nesta fase pandêmica e, aos poucos, fui encontrando meu jeito de fazer samba”, analisa.

O EP segue com “A Pulga”, parceria com o poeta Jonas Samauma, que lhe mandou, direto da praia de Bertioga, o início da letra - e Thiago foi completando e musicando à distância, com os pés nas areias da praia de Tramandaí, onde tem passado o período de isolamento. A música lembra um samba clássico amparado por sintetizadores, beats e samples, um passear moderno por um novo salão de um dos mais genuínos ritmos brasileiros. “A letra, a princípio, lembra um diálogo interno, mas depois vemos que ela tem a ver com esse excesso de informação, de mentiras, esse universo que nos confunde no mundo hoje em dia”, opina Ramil.

Já a terceira canção, “Acúmulo” (Thiago Ramil / Geórgia Macedo / Gutcha Ramil / Andressa Ferreira), com letra de Geórgia Macedo, tem forte referência nos questionamentos que Ailton Krenak faz quanto a ideia de sustentabilidade, no seu livro “Ideias para adiar o fim do mundo”. “É quase um vômito de atitudes surreais que o ser humano vive e prega: uma vida ideal com atitudes contrárias”, conta Ramil. Densa, a narrativa joga na cara e na mesa a falsidade e maldade humanas, com batidas de samba e afoxé típicos de um samba de fundo de quintal, ressoado por elementos da natureza “após 200 anos amassados contra a terra”.

Fechando o EP, “Manequim” é um samba eletrônico de veia crítica, que alfineta a ditadura da beleza e o mito da virilidade masculina. Construído sob uma narrativa poética, a música encontra a beleza do simples no refrão carregado de verdade: “Bonito é o que cada um tem: não ser igual a mais ninguém”. “Eu gosto da simplicidade bela e acessível, que aproxima as pessoas”, reflete Thiago, acompanhado na canção pela cantora, compositora e sambista Pâmela Amaro, também do grupo Três Marias. “Pâmela é muito talentosa. A convidei porque queria fazer esse diálogo com o feminino. Questionar, quebrar essa ideia que as questões estéticas são só responsabilidade da mulher”.

Ao longo do mês de Abril, Thiago Ramil lançará os quatro EPs. Cada um com um caminho sonoro e cromático diferente. “Cada estação do ano tem uma tonalidade predominante: Verão - amarelo; Outono - vermelho; Inverno - azul; Primavera - verde. Dentro de cada EP, as músicas vão variando de tonalidade, na medida que se afastam de uma estação e se aproximam da outra. Dessa forma, o ápice da tonalidade está nas músicas do meio de cada EP.  Assim, a variação da coloração das músicas faz com que o álbum completo represente uma espécie de degradê (arco-íris), em que a cores vão variando sutilmente até retornar ao início, completando a volta”, explica Thiago.

 

Confira os 4 EPs a serem lançados em Abril.

01/04 - EP O Sol Marca (Verão)

Produção Musical: Felipe Zancanaro e Vini Albernaz

Direção Álbum Visual - Ilha Maravilha (Vini Albernaz, Marcelo Gafanha e Alércio Pereira)

 

08/04 - EP O Andar do Tempo (Outono)

Produção: Guilherme Ceron

Direção Álbum Visual: Lucas Reis

 

15/04 - EP E a Imensidão do Universo (Inverno)

Produção: Pedro Dom

Direção Álbum Visual: Isabel Ramil

 

22/04 - EP Todo Dia (Primavera)

Produção Musical: Andressa Ferreira

Direção Álbum Visual: Guilherme Becker

 

29/04 - Álbum completo + Live no YouTube

"O sol marca O andar do tempo E a imensidão do universo Todo dia".

 

BIOGRAFIA THIAGO RAMIL

Thiago Ramil é músico, compositor e psicólogo. Antes de seu primeiro álbum, integrou a banda Cadiombleiros (2010-2013), o coletivo Escuta - O som do compositor (2011-2013) e o Projeto 260 (2011-2013), tendo ampla atuação na cena musical de Porto Alegre. Em 2014 foi contemplado no Edital Natura Musical, viabilizando o lançamento de seu primeiro álbum, “Leve Embora” (2015). Com o trabalho de estréia, foi indicado ao 17º Latin Grammy na categoria de Melhor Álbum Pop em Língua Portuguesa e recebeu três indicações ao Prêmio Açorianos de Música, sendo premiado nas categorias Melhor Intérprete em gênero Pop e Artista Revelação. Em 2018 foi contemplado com o Prêmio de Profissionais da Música (PPM) na categoria Melhor Videoclipe, com a música “Amora”, e  lançou seu segundo álbum, “Em Frente”. Por este trabalho foi escolhido como Melhor Compositor Pop no Prêmio Açorianos de Música e foi indicado à categoria Melhor Cantor no Prêmio de Profissionais da Música (PPM).

No início de 2020, foi premiado no Festival de Canção Nova Era (SP)  pela música “Das Oito às Oito”. Como músico, já produziu trilhas para diversos espetáculos de dança, tendo sido premiado por Melhor Trilha Sonora no Prêmio Açorianos de Dança (2019) pelo espetáculo “Poéticas sobre Morte/Tempo/Vida”, e no Prêmio Olhares da Cena como Melhor Trilha Sonora de Dança com o espetáculo “VAGA”. Ramil ainda assinou a trilha do espetáculo “Contos de Falta”, realizado pela Cia. Municipal de Dança de Caxias do Sul/RS, e que teve inspiração em seu primeiro álbum.

Além de carreira solo, Thiago integra dois grupos artísticos: Afluência - grupo interdisciplinar com o qual recebeu recentemente 6 indicações ao prêmio açorianos de dança, sendo premiado na categoria Melhor Trilha Sonora - e Casa Ramil, projeto musical que reúne seus familiares Kleiton, Kledir, Vitor, Ian, Gutcha, Thiago João. Também é idealizador e integrante do projeto Novos Discos Nossos, que promove mostras de novos lançamentos musicais e realiza ações de fomento à produção musical no estado do Rio Grande do Sul.

PR/Luana

Nenhum comentário