Novidades

[News]Espetáculo Sertão Sem Fim, inspirado por vivências de mulheres do interior baiano, inicia temporada online gratuita

Espetáculo Sertão Sem Fim, inspirado por vivências de mulheres do interior baiano, inicia temporada online gratuita 

O espetáculo - ue fez temporada presencial recentemente - fará sessões pelo Youtube a partir do dia 2 de abril. Também está programada uma live no dia 31 de março entre a atriz Tertulina Alves e o dramaturgo, diretor, ator e gestor cultural

Henrique Fontes, do grupo Carmin (RN)



 


 

Figura 1. Cena de Sertão Sem Fim - Foto de Keiny Andrade (@kandradefotografias)

Mais fotos neste link

 

A montagem se afasta do regionalismo e aproxima questões do sertão nordestino ao corpo de uma mulher que luta diariamente por sua dignidade enquanto

enfrenta inúmeras injustiças e dificuldades

 

Sertão Sem Fim fez temporada presencial em fevereiro de 2021, num período em que a pandemia estava em números menores de contágio e óbitos diários. Na sequência, o Estado mudou de fase e os teatros fecharam novamente. A verba arrecadada com estas sessões do Teatro Sérgio Cardoso foi direcionada para a ONG Casa de Isabel, que é um centro de apoio à mulher, à criança e ao adolescente vítimas de violência doméstica e em situação de risco, localizado na zona leste da capital, no bairro Itaim Paulista.

 

Neste contexto, Sertão Sem Fim agora volta-se para o online e faz nova temporada do espetáculo que tem à frente a atriz Tertulina Alves. O registro em vídeo da peça será pelo Youtube da MoviCena Produções  entre 2 e 11 de abril às sextas, sábados e domingos, às 21h, de graça. Este projeto foi contemplado pelo PROAC LAB 36/2020.

 

 

COMENTÁRIOS DE IMPRENSA E CRÍTICAS SOBRE A PEÇA

 

Dessa temporada presencial no Teatro Sérgio Cardoso, muitas críticas e textos a respeito do espetáculo surgiram, analisando a presença da atriz em cena, o mote da pesquisa, a capacidade de transposição do tema sertão para o palco sem cair nos regionalismos ou lugares-comuns.

 

"É ao longe, no sertão sem fim, que esta peça convida a plateia a se enlutar e acompanhar os velórios simbólicos de vidas sertanejas. Há uma vontade de justiça no ar, e não de vingança". Eduardo Nunomura | Carta Capital

 

"A direção de Donizeti Mazonas usufrui do corpo da atriz Tertulina Alves para apoiar a dramaturgia, propondo outras camadas. O encenador com experiência também em dança tem um olhar cinestésico para a jornada de Bastia". Celso Faria | E-Urbanidade

 

"Gostei muito, uma experiência sensorial". Ubiratan Brasil | O Estado de S. Paulo

 

"Sertão Sem Fim desconstrói o mito do sertão e o interioriza. Ser-tão. O espetáculo dirigido por Donizete Mazonas é muito plástico, muito bonito. A trajetória de Bastia é feita de perdas, velórios simbólicos, e muita resistência.

 

Luz e som são impecáveis e, no centro de tudo, Tertulina Alves, com aquele vestido vermelho. No universo machista do sertão, ela é uma mulher forte, fora da curva.Monta cavalos e segue à frente dos homens.

 

Em cena, uma mulher-Tertulina Alves, dizendo com garra o texto de Rudinei Borges Dos Santos. Contam, na forma de monólogo, a história de Bastia/Sebastiana, que veio ao mundo do nada - despertencida". Luiz Carlos Merten | Blog do Merten

 

 

Pesquisa

Em 2018, a atriz Tertulina Alves retornou à Macaúbas, interior da Bahia, onde passou parte de sua infância, para colher diálogos com mulheres da região que foram unidos à história da própria Tertulina e se transformaram na peça Sertão Sem Fim.

 

Em cena, Tertulina interpreta Bastia, personagem que traz em seu corpo essas diferentes formas de se viver o sertão. As mulheres mais presentes na construção da personagem são a avó de Tertulina, Maria Tertulina, que nasceu  no sertão  Bahia, na região de Três Outeiros de Macaúbas e migrou para São Paulo; Maria Izabel, moradora da comunidade de Três Outeiros de Macaúbas e conhecida até hoje, com mais de 80 anos, como a Rainha das Cavalgadas; e da própria Tertulina Alves, cuja infância no sertão foi marcada por um período de forte seca.

 

A história de Bastia é marcada por uma imensa tragédia pessoal: seu marido, o vaqueiro Dão Sálvio, foi covardemente assassinado por fazendeiros da região. O motivo da morte de Dão Sálvio era a prosperidade do casal, que trabalhou duramente durante o período de estiagem e conseguiu adquirir um rebanho de sessenta cabeças de gado. Montada em um cavalo, ela percorre a cidade com o corpo morto do marido, em busca de justiça.

 

“No Sudeste ainda há um imaginário sobre o sertão que o remete quase sempre à seca. Em Sertão Sem Fim buscamos pensar em outras possibilidades de retratar esse espaço. A Maria Izabel, por exemplo, é uma mulher que foi arrimo de família desde os 10 anos, tendo de trabalhar longe de casa, em espaços onde chovia com mais frequência, para que pudesse trazer sustento para a família”, conta a atriz.

 

Além da temporada, também está confirmada uma live pelo Instagram @projetosertaosemfim no dia 31 de março, quarta-feira, 20h, com Tertulina Alves e Henrique Fontes, dramaturgo, diretor, ator e gestor cultural natural de Manaus/AM e radicado em Natal/RN, onde construiu sua carreira no teatro desde 1989. Integrante do Grupo Carmin e sócio-fundador do espaço cultural Casa da Ribeira, Henrique tem 21 peças escritas e ganhou os Prêmios Shell, APTR, Botequim Cultural e do Humor em dramaturgia, todos no ano de 2019, pela peça A Invenção do Nordeste. O tema do encontro será o questionamento "Sertão, terra dos fortes?".

 

Voltar aos sertões é voltar à aridez da vida, mas é reencontrar

flor onde há cacto – Rudinei Borges dos Santos

 

SINOPSE

Sertão Sem Fim faz o cruzamento da história de três mulheres da comunidade de Três Outeiros de Macaúbas (BA): Maria Tertulina, Tertulina Alves (sua neta) e Maria Izabel, moradora daquela comunidade, conhecida na região como a rainha das cavalgadas. Desse cruzamento nasce a narrativa mito-poética sobre Sebastiana (Bastia).

 

FICHA TÉCNICA

Idealização, Pesquisa e Interpretação: Tertulina Alves

Dramaturgia: Rudinei Borges dos Santos

Direção: Donizeti Mazonas

Cenografia e Figurino: Eliseu Weide

Desenho de Luz e operação: Hernandes de Oliveira

Designer Gráfico: Hernandes de Oliveira

Música: Gregory Slivar

Operação de som: Viviane Barbosa

Fotos: Keiny Andrade

Gravação e Edição de vídeo: Osmar Zampieri

Produção Executiva: MoviCena Produções (Jota Rafaelli)

Assessoria de Imprensa: Canal Aberto

Mídias sociais: Agência CLOCKWORK

Costureira: Benê Calistro

Artesã: Cida Souza

Convidado Live: Henrique Fontes

 

SERVIÇO

SERTÃO SEM FIM

De 2 a 11 de abril de 2021. Sextas-feiras, sábados e domingos, 21h

Grátis | Exibição pelo canal do Youtube /movicenaproducoes

Duração: 60 min. | Classificação: Livre

 

Live Sertão, Terra dos Fortes?

31 de março de 2021,  quarta-feira, às 20h

Com Tertulina Alves e Henrique Fontes

Gratuito | Pelo instragam @projetosertaosemfim

 

Para Instagram

 

#sertaosemfim #proaclab #proac #mulher #mulheresdosertao #feminino #mulherbrasileira #indigena #mulherindigena #mulhernegra #mulherguerreira #roteiro #teatro #obraliteraria #obrateatral #elenco #encenação #arte #direcaodeteatro #atores #artescenicas #cultura #historia #historiadosertao #sertaobrasileiro #historiadobrasil #mulherlutadora #movicenaproducoes #canalaberto

 

@tertulinalimaoficial

@mazonasdonizeti

@rudineiborges_poesia

@hernandes.arte

@eliseuweide

@canal_aberto

@movicena_producoes

@clock_mktdescomplicado

@real_pretta

@kandradefotografias

@jotarafaelli

@agenciajabuticaba

@portalpepper

@gregoryslivar

@benecalistro

@marciamarquesnovaes

@diogolocci

@danival2013

@osmar.zampieri


Nenhum comentário