Novidades

[News]Tertulina Alves encena seu Sertão Sem Fim em temporada online gratuita

Tertulina Alves encena seu Sertão Sem Fim
em temporada online gratuita

 



A montagem se afasta do regionalismo e aproxima questões do sertão nordestino ao corpo de uma mulher que luta diariamente por sua dignidade enquanto enfrenta inúmeras injustiças e dificuldades



A atriz Tertulina Alves fez extensa pesquisa no interior da Bahia, em Macaúbas, para se aprofundar num tema que já fazia parte de sua história, mas que merecia, agora, um olhar artístico.  Sertão Sem Fim nasce da colheita de diálogos de Tertulina com mulheres macaubenses, num alinhavo de trajetórias pessoais e únicas, mas também universais. Dessa amálgama, veio a poética dramatúrgica da peça Sertão Sem Fim, que faz nova temporada online, no período de 30 de abril a 30 de maio, às sextas e sábados, às 21h e aos domingos, às 19h, nas redes sociais dos teatros Paulo Eiró, João Caetano, Cacilda Becker, Alfredo Mesquita e Arthur Azevedo, gratuita. Este projeto foi contemplado pela 10ª Edição do Prêmio Zé Renato.

 

COMENTÁRIOS DE IMPRENSA E CRÍTICAS SOBRE A PEÇA

Das temporadas anteriores, muitas críticas e textos a respeito do espetáculo surgiram, analisando a presença da atriz em cena, o mote da pesquisa, a capacidade de transposição do tema sertão para o palco sem cair nos regionalismos ou lugares-comuns.

“Voltar aos sertões é voltar à aridez da vida, mas é reencontrar flor onde há cacto”. Rudinei Borges dos Santos

"É ao longe, no sertão sem fim, que esta peça convida a plateia a se enlutar e acompanhar os velórios simbólicos de vidas sertanejas. Há uma vontade de justiça no ar, e não de vingança". Eduardo Nunomura | Carta Capital

Em cena, uma mulher-Tertulina Alves, dizendo com garra o texto de Rudinei Borges Dos Santos. Contam, na forma de monólogo, a história de Bastia /Sebastiana, que veio ao mundo do nada - despertencida". Luiz Carlos Merten | Blog do Merten

 

Pesquisa

Em 2018, a atriz Tertulina Alves retornou à Macaúbas, interior da Bahia, onde passou parte de sua infância, para colher diálogos com mulheres da região que foram unidos à história da própria Tertulina e se transformaram na peça Sertão Sem Fim.

Em cena, Tertulina interpreta Bastia, personagem que traz em seu corpo essas diferentes formas de se viver o sertão. As mulheres mais presentes na construção da personagem são a avó de Tertulina, Maria Tertulina, que nasceu no sertão da Bahia, na região de Três Outeiros de Macaúbas e migrou para São Paulo; Maria Izabel, moradora da comunidade de Três Outeiros de Macaúbas e conhecida até hoje, com mais de 80 anos, como a Rainha das Cavalgadas; e da própria Tertulina Alves, cuja infância no sertão foi marcada por um período de forte seca.

A história de Bastia é marcada por uma imensa tragédia pessoal: seu marido, o vaqueiro Dão Sálvio, foi covardemente assassinado por fazendeiros da região. O motivo da morte de Dão Sálvio era a prosperidade do casal, que trabalhou duramente durante o período de estiagem e conseguiu adquirir um rebanho de sessenta cabeças de gado. Montada em um cavalo, ela percorre a cidade com o corpo morto do marido, em busca de justiça.

“No Sudeste ainda há um imaginário sobre o sertão que o remete quase sempre à seca. Em Sertão Sem Fim buscamos pensar em outras possibilidades de retratar esse espaço. A Maria Izabel, por exemplo, é uma mulher que foi arrimo de família desde os 10 anos, tendo de trabalhar longe de casa, em espaços onde chovia com mais frequência, para que pudesse trazer sustento para a família”, conta a atriz.


SINOPSE

Sertão Sem Fim faz o cruzamento da história de três mulheres da comunidade de Três Outeiros de Macaúbas (BA): Maria Tertulina, Tertulina Alves (sua neta) e Maria Izabel, moradora daquela comunidade, conhecida na região como a rainha das cavalgadas. Desse cruzamento nasce a narrativa mito-poética sobre Sebastiana (Bastia).

 

FICHA TÉCNICA

Idealização, Pesquisa e Interpretação: Tertulina Alves
Dramaturgia: Rudinei Borges dos Santos
Direção: Donizeti Mazonas
Cenografia e Figurino: Eliseu Weide
Desenho de Luz e operação: Hernandes de Oliveira
Designer Gráfico: Hernandes de Oliveira
Música: Gregory Slivar
Operação de som: Viviane Barbosa
Fotos: Keiny Andrade
Gravação e Edição de vídeo: Osmar Zampieri
Produção Executiva: MoviCena Produções (Jota Rafaelli)
Assessoria de Imprensa: Canal Aberto
Mídias sociais: Agência CLOCKWORK
Costureira: Benê Calistro
Artesã: Cida Souza
 

SERVIÇO

SERTÃO SEM FIM

De 30 de abril a 30 de maio de 2021. Sextas-feiras e sábados, às 21h e domingos, 19h

Grátis | Duração: 45 min. | Classificação: Livre

Local: nas redes sociais dos teatros

30 de abril, 01 e 02 de maio - Teatro Paulo Eiró
07, 08 e 09 de maio - Teatro João Caetano
14, 15 e 16 de maio - Teatro Cacilda Becker
21, 22 e 23 de maio - Teatro Alfredo Mesquita
28, 29 e 30 de maio - Teatro Arthur Azevedo 


PR/Canal Aberto

Nenhum comentário