Novidades

[News]Camerata Caipira lança pocket show e novos videoclipes infantis da série Cerrado

Camerata Caipira lança pocket show e novos videoclipes infantis da série Cerrado



O CD infantil, lançado em 2019, teria uma temporada de divulgação pela região do Cerrados no ano passado. Com a pandemia, o grupo optou pela realização de ações online pelas redes sociais.

Agora, estreia um pocket show com os temas do álbum Cadê o Bicho que tava aqui? e apresenta mais dois novos videoclipes, criando uma série completa sobre bichos do Cerrado.


Brasília (DF), 26 abril de 2021 – O grupo brasiliense Camerata Caipira lança um pocket show virtual com o repertório do CD Cadê o Bicho que tava aqui? – produção musical apresentada ao mercado fonográfico no final de 2019. Gravado especialmente como forma de divulgação do álbum, o novo show é uma alternativa para driblar a mudança de planos do grupo diante à pandemia de Covid-19, que interrompeu a turnê de circulação pelo Centro-Oeste. A apresentação estreia pelo canal oficial do Youtube, no dia 29 de abril (quinta-feira), às 17h e também ficará disponível no site: www.cameratacaipira.com.


O show conta com duas participações especiais de Toninho Alves na flauta e Dadá Nunes no acordeon, artistas que também participaram das gravações do primeiro e segundo álbum do grupo, respectivamente, e que trazem novos timbres à Camerata Caipira.


Em maio e abril, o grupo lançará mais dois videoclipes das faixas Meu-bem-te-vi e Duelo do Carcará com a Coral, usando a técnica de animação já marcante nos vídeos anteriores, sob comando do motion designer Leo Almeida, da Prato Pixel. Com isso, ao todo terá uma coletânea completa de seis videoclipes, como exaltação à fauna cerratense, que na análise dos integrantes do Camerata Caipira “é um bioma tão rico, mas ainda sem a visibilidade, atenção e cuidado que merece”.


Oficina gratuita para o público

Paralelo aos videoclipes disponibilizados em seus canais, a Camerata Caipira vai lançar dois vídeo-oficinas relacionados a cada uma das faixas das produções audiovisuais, direcionados ao público infantojuvenil e educadores. Em breve, a agenda será disponibilizada pelos canais do grupo.

A produção conta com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, que abriu a possibilidade de adaptação de projetos para modo online.

A proposta deste trabalho é incentivar as pessoas a ficarem em casa e proporcionar encontros online dinâmicos e divertidos para público de todas as idades. Para os integrantes do Camerata Caipira, a pandemia e as questões ambientais que têm sido muito discutidas nos últimos meses, convergem sobre o Cerrado e seus animais.

Camerata Caipira

Conhecido por sua variada formação musical, versatilidade e performance criativa, a Camerata Caipira é formada por integrantes nascidos em diferentes cidades do país, que escolheram a camerata como configuração do grupo para criar uma sonoridade própria.

 

Os músicos Isabella Rovo, Victor Batista, Nelson Latif, Bosco Oliveira e Sandro Alves apresentam um leque de ritmos tradicionais da cultura popular brasileira, emoldurados em uma versão contemporânea através de arranjos para cordas, vozes e percussão.

 

O grupo faz uso da viola caipira, cavaquinho e violões de seis e sete cordas, mostrando que é perfeitamente possível amar o melhor da música tradicional e simultaneamente abrir-se a invenções, em uma experimentação sonora que revela a diversidade musical brasileira no sotaque de cada um de seus integrantes.

Os planos do grupo para os próximos meses deste ano ainda não estão complemente traçados, mas a arte educadora Isabella Rovo comenta que as perspectivas para a realização de shows presenciais ainda são incertas. “Por enquanto, seguimos na produção de material online com atividades para escolas e centros culturais, até que possamos ter segurança para voltar a viajar pelo país e pelo mundo. Estamos morrendo de saudade dos palcos e do público”, conclui.

Sobre os integrantes

Isabella Rovo

Formada em Educação Artística, assimila a pluralidade do sotaque cultural de Brasília com atuação nas áreas da música, artes plásticas, educação e pesquisa da cultura popular brasileira.

Victor Batista

Compositor, violeiro, cantor, pesquisador, produtor musical e contador de histórias. Victor Batista trabalha com arte-educação e possui 3 álbuns autorais: Além da Serra do Curral, Manchete do Tico-Tico e Coração Caminhador.

Bosco Oliveira

Músico e professor de violão da Escola de Música de Brasília há 20 anos. Bosco tem uma longa trajetória musical no Brasil com influência e produção voltada à música flamenca. Tem formação acadêmica em violão erudito.


Nelson Latif


Músico, sociólogo e gestor cultural, trabalhou por 27 anos na instituição holandesa Uit de Kust, coordenando oficinas de percussão e de música brasileira para estudantes europeus. O músico dedica sua carreira especialmente à música instrumental brasileira.

 Sandro Alves


Iniciou sua carreira musical aos 10 anos tocando em rodas de samba, aos 14 já integrava a bateria da Escola de Samba G.R.E.S. Tradição no Rio de Janeiro. Hoje, radicado em Brasília, trabalha com vários nomes do cenário musical brasiliense fazendo produções de CDs, DVDs e trilhas sonora para filmes.

 


Sobre o motion designer dos VTs

Leo Almeida, do Rio de Janeiro, é criativo, com olhar múltiplo. Atualmente, é motion designer e tem como foco o design adaptado ao movimento do vídeo. É também ilustrador amador.

 

Serviço

O que: Lançamento de pocket show com a Camerata Caipira 

Quando: 29 de abril/2021 – quinta-feira

Horário: 17h

Canais do grupo:

facebook.com/Camerata-Caipira

https://www.instagram.com/cameratacaipira/

https://www.youtube.com/channel/UCjHQ7fmEPmiP_Xsl3HLiRxA

Site: http://cameratacaipira.com/

Nenhum comentário