Novidades

[News] “O CLUBE DAS MULHERES DE NEGÓCIOS” é o novo filme de Anna Muylaert


 Diretora e roteirista dos longas "Que horas ela volta?", "Mãe só há uma" e do ainda inédito "Alvorada", sobre o impeachment de Dilma Roussef, Anna Muylaert, atualmente trabalha na preparação de seu novo filme O CLUBE DAS MULHERES DE NEGÓCIOS. O longa será produzido pela Glaz Entretenimento (“Cabras da Peste”), em coprodução com África Filmes ( “Que horas ela volta?”) e Globofilmes, com distribuição da Vitrine Filmes (“Bacurau”), ainda sem previsão de lançamento. Em fevereiro, o projeto fez parte do Berlinale Co-Production Market, segmento do Festival de Berlim, do qual participam projetos de longas-metragens de ficção, que estão em fase de desenvolvimento, ainda não filmados, com potencial comercial e abertos a coproduções internacionais.


O CLUBE DAS MULHERES DE NEGÓCIOS é um filme sobre a crise do patriarcado, ambientado em um mundo imaginário onde os estereótipos de gênero estão invertidos – ou seja, as mulheres ocupam as posições de poder enquanto os homens são criados para serem socialmente submissos.  O filme é um drama tropical que aborda questões emergentes não apenas do machismo, mas também do racismo, do classismo e da corrupção, enraizados na cultura patriarcal do Brasil e do mundo.


Anna trabalha há mais de 5 anos no roteiro, mas os acontecimentos de 2020 a fizeram reescrever o filme. “Durante a pandemia, homens como o presidente do Brasil e o ex-presidente dos EUA, tiveram uma posição negacionista e irresponsável sobre os acontecimentos. Enquanto isso, em outros países, as mulheres tomaram a dianteira das mesmas questões de forma mais realista e efetiva. A partir desse fato, mudei o tom do filme, tornando-o mais distópico em consonância com os tempos atuais”,diz a roteirista e diretora Anna Muylaert. Com isso, O CLUBE DAS MULHERES DE NEGÓCIOS se tornou mais próximo do presente, e sua participação no mercado do Festival de Berlim, permitiu novos contatos e possíveis parceiros europeus para uma coprodução de sucesso. 


Para a Glaz, produtora reconhecida por seu histórico de filmes de sucesso comercial, a realização de um projeto ousado e de temática tão pertinente aos dias atuais é uma ótima oportunidade. “A Glaz tem a missão de levar seus conteúdos a uma grande audiência. Queremos sempre contar histórias que dialoguem com o maior número de pessoas, mas que, além de entreter possa transmitir uma mensagem relevante. O Clube das Mulheres de Negócios se encaixa perfeitamente nesta intenção, onde além de explorarmos um novo gênero com a parceria e o talento da Anna Muylaert, poderemos usar nossa expertise para levar os debates e as reflexões que o filme propõe, ao mercado nacional e internacional.”


Atualmente, além de trabalhar na pré-produção do longa, Anna Muylaert se prepara para a estreia mundial de “Alvorada”, documentário que codirigiu com Lô Politi, e acompanha os últimos dias da presidente Dilma Rousseff, no Palácio da Alvorada, antes de ser afastada do cargo em 2016. O longa terá sua primeira exibição no festival É Tudo Verdade, que acontece online para todo o país entre 8 e 18 de abril. 


Ficha Técnica


Direção: Anna Muylaert


Roteiro: Anna Muylaert


Produção: Glaz Entretenimento


Coprodução: África Filmes e Globofilmes 


Distribuição: Vitrine Filmes 


Biografia da diretora


Anna Muylaert nasceu em São Paulo e estudou Cinema e Artes na USP. Nas últimas décadas escreveu roteiros para programas de TV (MUNDO DA LUA, CASTELO RÁ-TIM-BUM, UM MENINO MUITO MALUQUINHO, FILHOS DO CARNAVAL, AS CANALHAS, entre outros) e cinema (O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS, XINGU, PRAIA DO FUTURO e outros). Anna dirigiu DURVAL DISCOS, É PROIBIDO FUMAR e 3 outros filmes, mas tornou-se internacionalmente conhecida com QUE HORAS ELA VOLTA? em 2015. O filme recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival de Cinema de Sundance, e de público no Panorama do Festival de Berlim em 2015 e foi lançado em salas em 30 países, o que levou Anna a ser convidada a fazer parte da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Oscar).  Atualmente está em preparação para filmar seu novo longa-metragem O CLUBE DAS MULHERES DE NEGÓCIOS.  Ela é mãe de José e Joaquim.


Sobre a Glaz Entretenimento


Como uma das produtoras que mais vem crescendo no Brasil, a GLAZ se destaca no mercado com grandes filmes de humor, sucessos entre o público nacional. Dentre nove longas lançados, quatro estiveram entre o Top 10 de bilheteria consecutivamente – com destaque para os 3,8 milhões de espectadores de Loucas para Casar (2015) e os mais de 1 milhão de espectadores de Tô Ryca (2016).


Com histórico de produções em live action e animação, já produziu conteúdos para a TV e Cinema e agora realiza grandes produções para o streaming. Além de séries com lançamentos previstos para 2021 como, Caso Evandro – true crime para Globoplay – e De Volta aos 15 – ficção infanto-juvenil para a Netflix, a GLAZ comemora seu mais recente sucesso Cabras da Peste, longa-metragem que esteve no Top 1, entre os mais vistos no Brasil pela Netflix. 


Em animação, realizou as séries Historietas Assombradas (para Crianças Malcriadas) (Cartoon Network) – líder de audiência no segmento infantil, que deu origem a um longa-metragem homônimo – e As Microaventuras de Tito e Muda (Discovery Kids/TV Cultura). 


Em live action, além dos longas, coproduzimos a série Cine Holliúdy (2019), líder de audiência em seu ano de estreia pela TV Globo, além de séries de documentários e ficção para os canais Warner Channel, NetGeo e Discovery Channel.


A GLAZ está expandindo sua atuação para o mercado internacional, inaugurando um escritório em Lisboa (Portugal) e abrindo caminho para coproduções com outros países.


Sobre África Filmes


Fundada na década de 90, em São Paulo, pela cineasta Anna Muylaert, a África Filmes é um núcleo de criação e produção de conteúdo de qualidade para cinema e TV.  Já produziu curtas, clips, telefilmes e seis longas metragens: "DURVAL DISCOS”( 2002) , "É PROIBIDO FUMAR :( 2008) , “CHAMADA A COBRAR” ( 2013) e "QUE HORAS ELA VOLTA?”( 2015) , vencedor de prêmios nos festivais de Sundance e Berlinale.  Em 2016 lançou “MÃE SÓ HÁ UMA, e esse ano lança "ALVORADA”, documentário sobre o período de afastamento da presidente Dilma Roussef durante seu processo de impachement e está em desenvolvimento do projeto O CLUBE DAS MULHERES DE NEGÓCIOS.


Sobre Globo Filmes


Criada em 1998, a Globo Filmes atua como coprodutora de conteúdo multiplataforma com o propósito de fortalecer a indústria audiovisual nacional. Participou de mais de 300 filmes, levando ao público o que há de melhor do cinema brasileiro. Comédias, romances, documentários, infantis, dramas, aventuras: a aposta é na diversidade de obras que valorizem a cultura brasileira. 


Fazem parte de sua filmografia recordistas de bilheteria, como ‘Tropa de Elite 2’ e ‘Minha Mãe é uma Peça 3’ – ambos com mais de 11 milhões de espectadores –, sucessos de crítica como ‘2 Filhos de Francisco’, ‘Aquarius’, ‘Que Horas Ela Volta?’, ‘O Palhaço’ e ‘Carandiru’, até longas premiados no Brasil e no exterior, como ‘Cidade de Deus’ – com quatro indicações ao Oscar – e 'Bacurau', que recebeu o prêmio do Júri no Festival de Cannes. 


Sobre a Vitrine Filmes:


A Vitrine Filmes, em dez anos de atuação, já distribuiu mais de 160 filmes e alcançou mais de 4 milhões de espectadores. Entre seus maiores sucessos estão "O Som ao Redor", "Aquarius" e “Bacurau” de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Outros destaques são “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar 2020, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro, e “O Filme da Minha Vida”, de Selton Mello. Entre os documentários, a distribuidora lançou "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal e "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.


Em 2020, a Vitrine Filmes lançou no primeiro semestre “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia e “Você Não Estava Aqui”, de Ken Loach. No segundo semestre deste mesmo ano, em cenário pandêmico, a distribuidora adotou estratégias diferenciadas de distribuição em múltiplas janelas, lançando títulos em drive-ins, salas de cinemas e plataformas de streaming, como “Música para Morrer de Amor”; “Três Verões”; “Pacarrete”; “A Febre"; “Todos os Mortos” e muitos outros. Para 2021 a distribuidora já tem o line-up completo e continuará a buscar a melhor forma de chegar aos seus públicos.





Nenhum comentário