Novidades

[News] De setembro a novembro, Casa Natura Musical recebe shows de quatro mulheres que representam o novo samba brasileiro

Fundamentais para o processo da ascensão do samba no Brasil, uma série de mulheres conhecidas como tias baianas foram responsáveis por organizar eventos tanto de cunho afro-religioso quanto festivo em suas casas, nos morros cariocas, desempenhando a função de agitadoras da cultura negra na época. Hilária Batista de Almeida, conhecida como a Tia Ciata, é uma das figuras mais emblemáticas da época por ter aberto as portas da sua casa, na Praça Onze, para reuniões de sambistas quando a prática era proibida por lei. A história é controversa, mas uma das versões é de que Pelo Telefone, o primeiro samba a ser gravado no Brasil, foi concebido de maneira coletiva no quintal de Ciata, que morreu há 95 anos.

Com o passar dos anos, aos poucos, as mulheres conseguiram espaço como compositoras e passaram a cantar sambas a partir do viés feminino. Quem abriu alas foi Dona Ivone Lara, a grande Dama do Samba, que está sendo homenageada com um musical em cartaz no Teatro Sérgio Cardoso. Depois e por causa de Ivone, vieram nomes como Jovelina Pérola Negra, Carmelita Brasil e Leci Brandão.

Apesar de terem sido por muito tempo excluídas ou escanteadas do processo de composição dos sambas, o gênero consagrou intérpretes femininas icônicas da tradição cancioneira nacional, como Aracy de Almeida, Elizeth Cardoso, Clementina de Jesus, Beth Carvalho, Alaíde Costa, Dorina, Elza Soares e Elis Regina. Hoje em dia, parte da nova geração de vozes que defende o lugar das mulheres no samba são Mariene de Castro, Fabiana Cozza, Teresa Cristina, Mart’nália, Maria Rita, Roberta Sá, entre muitas outras. Confira abaixo informações sobre os shows de sambistas que estarão na Casa nos próximos meses.

Roberta Sá - Giro

Dia 27 de setembro – Sexta-feira, 22h. Abertura da casa às 20h30

Ingressos: Pista Lote 1 - R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Pista Lote 2 - R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia). Pista Lote 3 - R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia). Bistrô - R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia). Camarote – R$ 160 (inteira) e R$ 80 (meia).

Classificação: Livre.

Duração: 90 minutos.

Capacidade: 710 lugares.

Roberta Sá apresenta seu novo disco, Giro (2019), que reúne um repertório composto por Gilberto Gil e parceiros. A ideia para este trabalho começou nos encontros em torno da mesa farta dos almoços de domingo do saudoso amigo e jornalista Jorge Bastos Moreno, no final de 2016. Nesse ambiente inspirador, Roberta teve a ideia de gravar um projeto só com canções do compositor baiano. Pouco depois, Gil a presenteou com a inédita Giro, já composta para o novo disco. O segundo presente foi Afogamento, parceria de Gil e Jorge Bastos Moreno (a gravação em dueto com Gil foi lançada em 2018, no álbum Ok Ok Ok, do baiano).

A partir dessas canções desenhou-se o álbum de inéditas de Gilberto Gil e parceiros, entre eles a própria Roberta, co-autora das canções Cantando as horas (Gil e Roberta), Xote da Modernidade (Gil/Bem Gil/Roberta Sá), Outra coisa (Gil/Roberta Sá/Yuri Queiroga) e Fogo de Palha (Gil/Bem Gil/Roberta Sá). Quem assina a produção de Giro foi Bem Gil, filho de Gilberto, que também ficou responsável por arregimentar o time de músicos.

Avenida Samba Canção part. Ná Ozzetti

Dia 6 de outubro – Domingo, 19h00. Abertura da casa às 17h30

Ingressos: Mesa Setor 1 - R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia). Mesa Setor 2 – R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Mesa Setor 3 – R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia). Bistrô – R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia). Camarote – R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia).

Classificação: 16 anos.

Duração: 90 minutos.

Capacidade: 360 lugares (mesa).

O show Avenida Samba Canção - A Beleza e Poesia de Sambas-enredo, com Igor Eça (violão), Paula Santoro (voz), Mingo Araújo (percussão) e participação especial da cantora Ná Ozzetti exalta a beleza dos sambas que marcaram épocas, provando que o gênero encanta o público também fora do período da folia. Idealizado pelo músico, diretor musical e arranjador Igor Eça, a apresentação faz um percurso musical que vai de Exaltação a Tiradentes, samba da Império Serrano de 1949 (dizem que é o primeiro samba a ser desfilado, gravado e a fazer sucesso, sendo considerado o marco do nascimento deste gênero) a sambas atuais, passando também por pérolas como Heróis da Liberdade (Império 1969), onde um samba enredo pedia o fim da tirania após apenas dois meses do decreto AI5, quando a ditadura estava instaurada no país.

No repertório estão ainda os sambas Onde o Brasil aprendeu a liberdade (Vila Isabel 1972), obra prima do Martinho que conta uma parte importante da história do Brasil, através das ricas manifestações culturais de Pernambuco, e Os Sertões (Em Cima da Hora 1976), que chega a usar partes do livro de Euclides da Cunha na letra do samba. O espetáculo já foi apresentado no Rival, Sala Baden, Centro de Referencia da Tijuca, Casa de Cultura Laura Alvin (uma temporada de 4 semanas) e no Blue Note no Rio de Janeiro, Theatro NET Rio  e Salvador, Fortaleza,  SESC Santo André SP e no Imperator - Centro Cultural João nogueira.

Mônica Salmaso canta Wilson Batista

Dia 25 de outubro – Sexta-feira, 22h (abertura da casa às 20h30)

Ingressos: Mesa Setor 1 - R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia). Mesa Setor 2 – R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia). Bistrô – R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia). Camarote – R$ 160 (inteira) e R$ 80 (meia).

Classificação: 16 anos.

Duração: 90 minutos.

Capacidade: 360 lugares (mesa).

A cantora paulista Mônica Salmaso presta uma homenagem ao sambista carioca Wilson Batista (1913 – 1968), compositor que duelou com Noel Rosa na célebre polêmica de sambas na década de 1930 – “rixa” amigável responsável pela composição de diversos clássicos do gênero. Wilson registrou mais de 500 obras catalogadas.

No show, Mônica Salmaso, ao lado dos músicos Paulo Aragão, Teco Cardoso e Luca Raele, faz uma espécie de visita guiada à obra do compositor carioca, elencando 26 músicas e várias histórias da vida do sambista. No repertório, estão Acertei no Milhar, Não Sei Dar Adeus, e Deixa de Ser Convencida, composta com Noel Rosa, entre outras canções.

Teresa Cristina – Um Sorriso Negro

Dia 23 de novembro – Sábado, 22h. Abertura da casa às 20h30

Ingressos: Pista Lote 1 - R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia). Pista Lote 2 - R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Pista Lote 3 - R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia). Pista Lote 4 – R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia). Bistrô - R$ 140 (inteira) e R$ 70 (meia). Camarote – R$ 160 (inteira) e R$ 80 (meia).

Classificação: 16 anos.

Duração: 90 minutos.

Capacidade: 710 lugares.

Devido ao grande sucesso em um projeto todo feminino, Teresa Cristina, acompanhada de uma banda formada apenas por mulheres, apresenta o show Um Sorriso Negro, cantando um repertório somente de compositores negros, com produção da Uns Produções e direção musical de Teresa Cristina.

Considerada uma das vozes de maior destaque no samba, Teresa celebra a história do gênero com um palco todo feminino: “A mulher precisa resgatar esse protagonismo e deixar esse posto de coadjuvante entregue pela história”, afirma a cantora.

O repertório do show traz clássicos de grandes nomes do samba, como Dona Ivone Lara, Lecy Brandão, Jovelina Pérola Negra, Wilson Moreira, Candeia, Cartola, e sucessos como: Alvorada, Axé de Ianga, Zé do caroço e Sorriso Negro. “A história do negro no Brasil se mistura com a história do samba e eu tentei traduzir essa constatação no repertório escolhido!” explica a sambista.

Casa Natura Musical
Inaugurada em maio de 2017, a Casa Natura Musical celebra dois anos como um dos espaços mais relevantes e antenados do circuito cultural de São Paulo, tendo sido eleita como a melhor casa de shows de grande porte da capital paulista (O Estado de S. Paulo, em 5/10/18) e o Melhor Espaço Para Shows (Blog do Arcanjo / UOL, em 2/1/19). Com total visibilidade de qualquer ponto da plateia, a Casa oferece uma combinação de conforto e qualidade musical, configurando-se como palco ideal para abrigar nomes consagrados, novos talentos e projetos especiais. A Casa é comprometida com pautas que convidam o público a participar de reflexões e discussões muito presentes nos dias de hoje por meio de uma programação pulsante, diversa e inclusiva. Uma de suas propostas fundamentais é proporcionar experiências e conteúdos engajadores, dando voz a diferentes pessoas e movimentos. Localizada em Pinheiros, o empreendimento soma os esforços dos empresários Paulinho Rosa e Edgard Radesca aos da cantora e compositora Vanessa da Mata. O patrocínio é da Natura, empresa que há quase 15 anos destaca-se pela atuação na valorização da produção contemporânea e da identidade musical brasileira por meio da plataforma Natura Musical.

CASA NATURA MUSICAL
Rua Artur de Azevedo, 2134, Pinheiros, São Paulo, tel: (011) 3031-4143
Ingressos sem taxa de conveniência na bilheteria da Casa
Ingressos podem ser pagos com dinheiro, cartões de crédito e débito
Horário da bilheteria: de terça a sábado, das 12h às 20h. Segundas e domingos, quando houver show. Em dias de espetáculo, a bilheteria fecha mais tarde, até uma hora após o início da apresentação.
Venda de ingressos: www.casanaturamusical.com.br
Venda para pessoas com deficiência: 4003-6860
https://www.facebook.com/CasaNaturaMusical
https://www.instagram.com/casanaturamusical/
www.twitter.com/casanaturamus


Nenhum comentário