Novidades

[News]"Madalena" é o único filme brasileiro selecionado para a competição do Festival de Cinema de Roterdã 2021

“MADALENA” É O ÚNICO FILME BRASILEIRO SELECIONADO PARA A COMPETIÇÃO DO FESTIVAL DE CINEMA DE ROTERDÃ 2021
 

Ficção marca a estreia do diretor Madiano Marcheti em longas-metragens



 


  

 

“Madalena”, primeiro longa-metragem de ficção de Madiano Marcheti, foi selecionado para a competição oficial do Festival Internacional de Cinema de Roterdã, a Tiger Competition. O evento acontece em duas etapas, entre 1º e 7 de fevereiro e 2 e 6 de junho de 2021, em formato híbrido - presencial e online. Clélia Bessa, Joel Pizzini, Sérgio Pedrosa, Marcos Pieri, Beatriz Martins são os produtores do longa, que será distribuído no Brasil pela Vitrine Filmes. A produção é da PóloFilme e da Raccordem coprodução com Vira Lata e Terceira Margem.   

 

filme tem como ponto de partida o corpo de Madalena, encontrado em uma plantação de soja. Na sequência a trama acompanha a história de três jovens Luziane (Natália Mazarim)Bianca (Pamella Yule) e Cristiano (Rafael de Bona), que vivem contextos diferentes em uma mesma cidade. Embora não se conheçam, o espírito de Madalena que esvoaça sobre a cidade, torna-se um elo entre os três. O longa denuncia a violência constante do país que mais mata a população LGBTQIA+.   

 

Estou extremamente feliz e honrado pela oportunidade de estrear meu primeiro longa-metragem em um festival da envergadura do Festival de Roterdã. Nós cineastas brasileiros enfrentamos muitas dificuldades para fazer com que nossos filmes cheguem às telas, sobretudo no momento atual que é particularmente sombrio no que diz respeito ao setor da cultura. Por isso, sou muito grato por ter a chance de levar mais um filme brasileiro para uma janela internacional de cinema tão prestigiada. Um filme do Centro-Oeste brasileiro que procura levantar discussões que considero importantes e urgentes, como meio ambiente e direitos humanosafirma o diretor mato-grossense Madiano Marcheti. 

 

Madalena" foi rodado em Dourados, no Mato Grosso do Sul e contou com mais de 20 atores do Estado no elencoO filme foi o único representante do Brasil no Festival de San Sebastian, na Espanha, na categoria Working in Progress, em 2019. 

 

SINOPSE 

Entre as vidas de Luziane, Cristiano e Bianca há pouca coisa em comum além do fato de viverem em uma pequena cidade cercada de plantações de soja no interior do Brasil. Embora não se conheçam, os três são afetados pelo desaparecimento de Madalena. Em regiões diferentes da cidade, cada um deles encontra seu modo de responder a essa ausência.  


ELENCO 

Natália Mazarim  

Rafael de Bona  

Pamella Yule  

Chloe Milan  

Mariane Cáceres  

Nádja Mitidiero  

Joana Castro  

Edilton Ramos  

Maria Leite  

Antonio Salvador  

Lucas Miralles 

 

FICHA TÉCNICA 

Diretor: Madiano Marcheti  

Produtores: Clélia Bessa, Joel Pizzini, Sérgio Pedrosa, Marcos Pieri, Beatriz Martins  

Roteiristas: Madiano Marcheti, Thiago Gallego, Thiago Ortman, Thiago Coelho 

Fotógrafos: Guilherme Tostes, Tiago Rios  

Montadora: Lia Kulakauskas  

Diretora de Arte: Rocio Moure  

Editor de Som e Mixador: Bernardo Uzeda 

 

DIRETOR – MADIANO MARCHETI 

Madiano Marcheti nasceu e foi criado em Mato Grosso, região amazônica do Brasil. MADALENA é seu primeiro longa-metragem. Atualmente, ele desenvolve seu próximo filme, “Mãe do Ouro”, e roteiriza os longas em desenvolvimento “Imagens do Calabouço” (dir. Carolina Aleixo) e “Chana com Chana” (dir. Lia Kulakauskas). Dirigiu o curta-metragem “O Lugar Mais Frio do Rio”, premiado no VII Festival Janela Internacional de Cinema de Recife e integrante de vários festivais, incluindo o Cinélatino, 27èmes Rencontres de Toulouse. Também dirigiu os curtas “Essa barra que é gostar de você”, “Travessias" e “Vácuo”, que circularam por vários festivais brasileiros. 


PRODUTORA - PÓLOFILME 

PóloFilme foi criada em 1987 pelo cineasta Joel Pizzini, em Campo Grande (MS). No início de 2015, o curta-metragem “Mar de Fogo” foi selecionado para a competição oficial da Berlinale. Com o Canal Brasil, realizou mais de oito ensaios para a série Retratos Brasileiros. Em 2013, realizou para o CTAV/Minc os dvds “Cinema de Poesia” e “Anabazys”. Atualmente, produz as séries “Fronteiras Fluidas”, “Roda de Choro” e “O Menino que Engoliu o Sol”. 


COPRODUTORA – RACCORD 

Raccord Produções é uma produtora existente há mais de 25 anos que mantém em seu perfil a dedicação para a produção audiovisual em todas as plataformas, trabalhando com produções convergentes e que tragam também inovações criativas. Seu catálogo inclui: Álbum em Família (2021); Cedo Demais (2021); Pluft (2021); Correndo Atrás (2021); Missão Cupido (2021); Os Maias (2015); Desenrola (2011); Cartola (2007); Cafuné (2006); Minha Vida de Menina (2004); Mais Uma Vez Amor (2005); Separações (2002); O Rap do Pequeno Príncipe Contra as Almas Sebosas (2000); e Como Ser Solteiro (1998). 


COPRODUTORA – VIRA LATA 

Viralata Produções atua no mercado audiovisual há 10 anos e desenvolveu mais de 800 produções entre publicidades, longas-metragens e séries. Através de toda sua capacidade criativa, seus conteúdos têm marcado presença em diversos eventos como Festival do Rio, Mostra Tiradentes, FestIn Lisboa e Ventana Sur. 


COPRODUTORA – TERCEIRA MARGEM 

Terceira Margem Produções é uma produtora audiovisual de Mato Grosso movida pelo desejo de contar histórias com narrativas originais e forte visão estética, com foco na diversidade e em locais ainda pouco explorados pela cinematografia brasileira. É coprodutora do longa-metragem “Madalena”, e atualmente desenvolve “Mãe do Ouro”, segundo longa de Madiano Marcheti. Também produz “Imagens do Calabouço”, longa documental financiado pelo FSA, e desenvolve o longa-metragem "Chana com Chana". 


DISTRIBUIDORA - VITRINE FILMES 

A Vitrine Filmes, em dez anos de atuação, já distribuiu mais de 160 filmes e alcançou mais de 4 milhões de espectadores. Entre seus maiores sucessos estão "O Som ao Redor", "Aquarius" e “Bacurau” de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Outros destaques são “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar 2020, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro, e “O Filme da Minha Vida”, de Selton Mello. Entre os documentários, a distribuidora lançou "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal e "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.
Em 2020, a Vitrine Filmes lançou no primeiro semestre “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia e “Você Não Estava Aqui”, de Ken Loach. No segundo semestre deste mesmo ano, em cenário pandêmico, a distribuidora adotou estratégias diferenciadas de distribuição em múltiplas janelas, lançando títulos em drive-ins, salas de cinemas e plataformas de streaming, como “Música para Morrer de Amor”; “Três Verões”; “Pacarrete”; “A Febre"; “Todos os Mortos” e muitos outros. Para 2021 a distribuidora já tem o line-up completo e continuará a buscar a melhor forma de chegar aos seus públicos.

PR/PP

Nenhum comentário