02 outubro 2018

[Resenha] A duquesa feia

Sinopse:
Theodora Saxby é a última mulher com quem se poderia esperar que o lindo James Ryburn, herdeiro do ducado de Ashbrook, se casasse. Mas depois de um pedido romântico feito na frente do próprio príncipe, até a realista Theo se convence de que o futuro duque está apaixonado. Ainda assim, os tablóides dizem que a união não durará mais do que seis meses. Em seu íntimo, Theo acredita que os dois ficarão juntos para sempre… até que ela descobre que o que James desejava não era seu amor, mas seu dote. E a sociedade, que primeiro se chocou com seu casamento, se escandaliza com sua separação. Agora James precisará enfrentar a batalha de sua vida para convencer Theo que ele amava a patinha feia antes que ela se transformasse em cisne. E Theo logo descobrirá que, para um homem com alma de pirata, vale tudo no amor – e na guerra. 


O que eu achei?
Como todos os livros desta saga este também é baseado num conto de fadas e neste caso é o Patinho feio.
Theo é uma jovem que acaba de debutar nos grandes salões de Londres, ela não é do tipo convencional, tem um estilo meio masculino de ser e rosto e corpo pouco lembram de uma menia feminina. 
James é filho do tutor de Theo, ele é o melhor amigo de Theo, faz o tipo bonitão e simpático que todos gostam de estar próximo.

O pai de James irá fazer a canalhice de usar os recursos financeiros de Theo e sua mãe para honrar com suas dívidas referente a jogos de azar. Mas lembrando que estamos falando de um romance de época, o dinheiro usado é parte do dote de Theo. Então como num toque de mágica o pai decide induzir o filho a pedir Theo em casamento, afinal nada melhor para uma moça meio feinha em arrumar um noivo bonitão. 
James ficará dividido entre a fidelidade da amizade de Theo e cumprir o que seu pai lhe pediu. Logo a partir do momento em que ele tenta olhar Theo com outros olhos, ele começará a perceber que no fundo sempre nutriu algum tipo de atração por ela.
O ponto decisivo para ele será quando Theo pedir que ele faça ciúmes em um pretendente, para isso basta fingir interesse por ela. Mas o feitiço realmente irá virar contra o feiticeiro, pois ele realmente já está apaixonado por sua melhor amiga.

James e Theo se casam, mas um infortúnio acontece quando ela terá sua vida devastada ao descobrir que seu amado casou com ela por dinheiro. Assim, Theo toma uma decisão muito moderna para  à época e decide expulsar James de sua vida.
Theo irá tomar um novo rumo em sua vida e decide abandonar todo título de nobreza para viver uma vida distante de seu amor. Mas ele não viverá como um rico, mas viverá como um pirata no mar. Enquanto Theo se torna uma mulher super reconhecida no meio da moda e vira um símbolo de dignidade e um exemplo a ser seguido por gerenciar diversos ramos de negócio.
Após alguns anos Theo poderá enfim dizer que virou viúva, pois não encontra notícias de seu marido há tempos, quando de repente James ressurge para virar sua vida do avesso.

Eloisa manteve o mesmo ritmos das histórias anteriores e o romance tem pitadas de erotismo sem ser vulgar. Enquanto o desenrolar do enredo é feito de forma a mostrar o desenvolvimento dos dois personagens principais, e assim nos levar a entender como cada um tomou suas decisões.
E uma crítica super positiva a autora é a forma com que ela trata o padrão de beleza feminino da época e mostrando o quão estes julgamentos podem atingir uma pessoa.
Então, se você gostou dos outros livros da série provavelmente irá gostar deste. E se apaixone tanto quanto eu por Theo e James.

Nenhum comentário

Postar um comentário