19 agosto 2018

[Crítica] Para todos os garotos que já amei, Disponível na Netflix

Sinopse:
Lara Jean adora escrever cartas de amor secretas para seus paqueras. Só não contava que um dia elas seriam misteriosamente enviadas!

A história visita o universo adolescente de forma leve e divertida, fugindo dos grandes dramas representados no ambiente escolar recentemente.
O que eu achei?
Jenny Han, autora do livro que deu origem ao filme criou uma conto de fadas moderno, para mostrar o mundo de Lara Jean, uma garota que perdeu a mãe muito cedo e achou que não se envolver com outras pessoas evitaria o sofrimento de perdê-las. Assim, Lara Jean passa pela escola tentando ser invisível, e quando se interessava por algum garoto, escrevia cartas descrevendo como se sentia, mas nunca teve coragem de enviá-las. 
Quando sua irmã mais velha vai para a faculdade, além de lidar com a saudade ela vai ter que encarar todos os garotos que ela amou cobrando explicações pelas cartas, alguns são gratas surpresas, outros, nem tanto.

Para fugir daquele que ela achar amar realmente, mas que para ela era impossível, ela aceita encara um namoro de mentirinha com outro dos que receberam as cartas, um atleta que foi trocado pela ex-namorada por um cara da faculdade. O plano era perfeito, ela despistava aquele de quem gostava e ele fazia ciúmes para a ex. Eles só esqueceram que não existem planos perfeitos quando o coração está envolvido.
Conforme seu namoro de mentirinha vai caindo nos ouvidos dos colegas de escola, ela tem que aprender a lidar com a popularidade repentina, o ciúme, e o medo de tudo aquilo que não conhece. Aos poucos ela vai descobrindo que a vida pode trazer boas surpresas e ela terá que decidir entre continuar a ser invisível ou assumir que pode ser a estrela da própria história.

Entre cenas divertidas e emocionantes, é uma delícia acompanhar a evolução de Lara Jean e suas descobertas sobre o amor e sobre ela mesma.
Essa história faz parte de uma trilogia, agora é torcer para que a Netflix traga os outros livros para as telas o mais rápido possível.



Trailer:
Mel Costa



Um comentário

  1. Este é o segundo post que leio só hoje sobre essa história. Como comentei no outro, achei muito minha cara, pois quando estava no ensino fundamental imaginava e escrevia as mesmas histórias que ela! HAHAHAHAHA

    ~Estamos começando agora, venha nos visitar. postaremos sobre filmes, decoração, DIY e muito mais.
    {alma da flor}

    com carinho,
    Isabelly.

    ResponderExcluir