21 agosto 2018

[Crítica] Meu ex é um expião

Sinopse:
"Audrey (Mila Kunis) e Morgan (Kate McKinnon), duas melhores amigas de trinta anos que vivem em Los Angeles são empurradas inesperadamente para uma conspiração internacional quando o ex-namorado de Audrey aparece em seu apartamento com uma equipe de assassinos. Surpreendendo a si próprias, a dupla entra em ação e percorre toda a Europa fugindo de assassinos e um agente britânico suspeito, mas charmoso, enquanto traçam um plano para salvar o mundo."

O que eu achei?
Apesar de ter Mila Kunis (conhecida por seus papéis de comédia em diversos filmes) como personagem principal, o longa começa já com cenas dignas de bons filmes de espionagem e mantém até o final o estilo misto de ação com comédia. Apesar de momentos cômicos, “Meu Ex é um Espião” tem um enredo forte que prende a atenção do espectador, principalmente pelas reviravoltas que torna quase impossível saber quem é o “mocinho” da história.
A mistura dos gêneros ação e comédia é bem equilibrada ao longo de todo o filme. Por exemplo, a cena de perseguição é feita por um insano motorista de Uber!
Vamos a um resumo do filme: Audrey (Mila Kunis) trabalha no caixa de um mercado e num certo dia um cliente dá em cima dela e revela uma informação sigilosa sobre Drew (Justin Theroux), seu ex-namorado. Sem levar muito a sério, principalmente por não ter terminado bem seu relacionamento, Audrey volta pra casa e conta tudo para Morgan (Kate McKinnon), sua melhor amiga e que mora junto com ela. De repente são surpreendidas por um ataque à casa. O momento principal é quando seu ex chega na casa e fala pra ela não confiar em ninguém, apenas ir para a Europa entregar um troféu importante a um agente secreto.
O filme tem algumas cenas previsíveis (típicas de filmes de comédia), como quando as amigas compram diversos troféus simples e guardam junto do principal. Já era de se esperar que Audrey entregaria o troféu errado. Outro fato trivial é que as amigas devem proteger um pen drive que pode salvar o mundo de cair nas mãos erradas. Por esses motivos o filme peca em originalidade. Entretanto, por não se tratar de um filme puramente de ação, isso não chega a ser um grande problema.
Um ponto positivo é a trama que deixa o espectador confuso de quem é e se existe um “mocinho” na história, pois a princípio, todos que vão atrás do pen drive parecem ser vilões. Além disso, “Meu Ex é um Espião” possui um desfecho surpreendente e bem elaborado. Outro ponto positivo é a estratégia de mostrar ao longo do filme o que aconteceu 1 ano antes do tempo em que se passa a história, feita de maneira a não causar confusão no espectador (como acontece em alguns filmes). Algo que normalmente não aparece em filmes de comédia são as cenas sangrentas. A diretora e roteirista Susanna Fogel resolveu fazer diferente e não deixou de lado cenas como cortar (completamente) um dedo e mostrar uma vilã morrendo com um metal atravessando seu corpo.
Vale a observação que Kate McKinnon é bem engraçada (apesar de às vezes exagerar no seu papel cômico) e mostra uma química muito boa e divertida com Mila Kunis.
Concluindo: o filme é bom pra divertir quem gosta de filmes de ação (e quem gosta de comédia, é claro).

Data de estreia no Brasil: 23 de agosto de 2018

Escrito por Victor Monteiro

Nenhum comentário

Postar um comentário