18 agosto 2018

[Crítica Musical] Biophilia

Nos levando para uma viagem não somente para dentro de nós como seres humanos, mas como parte da teia cósmica, Björk nos brinda com um de seus álbuns mais revolucionário: 'Biophilia'.
Explorando sonoridades completamente novas, o álbum viaja em busca de compreensão, equilíbrio entre homem, natureza e tecnologia, explorando desde o mundo microscópico até as grandes nebulosas e o Big-Bang visando um futuro harmônico.
O álbum representa a mente incansável e inquisidora, que não se limita a questões simples e vulgares. Somos muito mais que sangue e carne, somos parte de tudo o que nos cerca, mesmo que aquilo que não conheçamos seja infinitamente maior do que aquilo que conhecemos. Transcende a o corpo, a matéria, a compreensão e firma o olhar num futuro de evolução e equilíbrio.
A sonoridade do álbum é variante, do simples dedilhar de acordes de uma harpa a batidas eletrônicas, explosivas como vulcões em erupção. Instrumentos novos foram criados e dão ao álbum uma sonoridade jamais experimentada – pelo menos por mim, incluindo uma bobina de Tesla para produzir uma das faixas. É como entrar na catedral do universo e ouvir o sermão do Cosmos, sentir as vibrações que deram origem a vida, a canção que fez surgir o mundo, experimentar a natureza viver, reagir e reverberar por todo o canto – por dentro de nós.
Além de ser um álbum unicamente musical, com o conceito já explicado, 'Biophilia' chega como um experimento didático, onde cada faixa está ligada a um elemento natural e uma areá da musicologia. Essa parte é tão complexa e cheia de minucias que eu não me atreverei a tentar explicar muito – existem vídeos e entrevista que podem fazer muito melhor do que eu. O que eu posso dizer é que cada faixa foi construída tem em vista esses três elementos – o som, o elemento natural e a musicologia. O álbum deu origem à um aplicativo, o "Biophilia App", que serve de auxílio em instituições de ensino musical, onde cada faixa se torna interativa a sua maneira, ampliando ainda mais a tríado natureza-tecnologia-musicologia.
No geral, 'Biophilia' é um álbum difícil de digerir de início – eu mesmo demorei muito tempo para aceita-ló. A sonoridade mesmo que oscilante e sem um padrão sonoro nítido não falha se visto o conceito geral, mas é preciso muita paciência e entrega. Ele é expansivo em alguns momentos, e em outros, extremamente introspectivo. Na parte lírica, a poesia é de uma riqueza imensa, cheia de referências a fenômenos naturais correlacionais a estados emocionais e hábitos humanos.
Em suma, 'Biophilia' é um álbum contemplativo, futurista sem ser fantasioso. Mas pretensioso - de forma positiva - e ousado como só Björk sabe ser.

"Bem-vindo ao Biophilia, o amor pela natureza em todas as suas manifestações, do menor organismo até o grandioso gigante vermelha flutuando no reino mais distante do universo.

Com Biophilia, vem uma incansável curiosidade, uma ânsia de investigar e descobrir os inusitados lugares onde nós encontramos a natureza; onde ela brinca com os nossos sentidos com cores e formas, perfumes e cheiros; o gosto e o toque salgado do vento na língua. 

Porém, muito da natureza está escondido de nós, de forma que não podemos ver nem tocar, tal qual o fenômeno que é capaz de nos emocionar mais do que qualquer outra coisa na nossa vida cotidiana - SOM

O som manipulado pelos humanos,  sendo entregue com generosidade e emoção é o que chamamos MÚSICA. E da mesma forma como usamos a música para expressar partes de nós que, de outra forma, estariam escondidas, também podemos utilizar a tecnologia para tornar visível muito do mundo invisível da natureza. 

Em Biophilia, você irá experimentar como os três se unem: natureza, música e tecnologia.
OUÇA, APRENDA, CRIE.
 

Viaje pelo Cosmos ao alcance dos seus dedos, toque as galáxias e percorra todas as dimensões.
Agora, esqueça o tamanho do corpo humano, lembre-se que você é um elo entre o universal e o microscópico, das forças invisíveis que movem as profundezas do seu mais íntimo Ser. 


Estamos à beira de uma revolução que irá reunir os humanos com a natureza através de inovações tecnológicas. 
Até chegarmos lá... PREPARE, EXPLORE BIOPHILIA."


TRACKLIST

01. Moon
02. Thunderbolt
03. Crystaline
04. Cosmogony
05. Dark Matter
06. Hollow
07. Virus
08. Sacrifice
09. Mutual Core
10. Solstice

Nenhum comentário

Postar um comentário