25 agosto 2018

[Crítica Musical] The Calling

Sevdaliza retorna, após o lançamento de seu primeiro álbum de estúdio, “ISON”, com seu quarto e mais novo EP, “The Calling”, explorando ainda mais sua relação com o trip-hop em sete faixas inéditas e imperdíveis.
A relação de Sevdaliza com o trip-hop está cada vez mais profunda, amadurecendo a cada novo lançamento da cantora, e no novo EP está bem nítido que ela se dedicou a estreitar ainda mais, e explorar novos meios de se expressar através do estilo. A sonoridade desse novo trabalho explora, mais uma vez, tanto as características clássicas do estilo dos anos 90 quanto elementos mais modernos como feito em seu álbum de estúdio, mas longe de se repetir, ela o expande em sua produção.
As cordas, que foram bastante usadas no seu álbum, retornam com mais intensidade nesse novo trabalho, adicionados a elementos eletrônicos mais pesados, como sintetizadores e distorções sonoras que lembram muito o estilo de seus dois primeiros EPs 'The Suspended Kid' e “Children Of Silk', ambos de 2015, mas muito mais trabalhados, mais pesados. A mistura ainda se aproveitou um pouco do hip-hop, do R&B, do breakbeat e do pop – que ela também já explorou em seus EPs anteriores –, dando um aspecto mais moderno às faixas. A atmosfera melódica criada pelas cordas nos envolve enquanto os beats nos aprisionam e nos impactam.
A voz de Sevdaliza continua impecável. Indo do grave ao agudo com extrema facilidade, às vezes em uma mesma faixa, dando nuances lindas a música. O canto unido ao fundo sonoro te leva para uma experiência quase espiritual, extracorpórea. A imersão na sonoridade dela continua extremamente poderosa e envolvente, extremamente hipnótico. A sensualidade em sua voz é absurda, e também a carga emocional que ela consegue transmitir.

O trabalho continua sendo minimalista em sua produção, mas não contido. Emocionalmente é sedutor e melancólico, ainda que um pouco introspectivo. Sonoramente, é uma experiencia sensorial ainda mais elevada que seus trabalhos anteriores. Cada faixa explora de um jeito único as suas influencias e sonoridades, tanto novas quanto já conhecidas dentro da carreira da cantora, e nos entrega um conteúdo bastante moderno e – me atrevo – visionário.
É único, original e estranhamente elegante.


Eu acho a ligação iminente do corpo emocional com a mente e a alma intensamente bela. Sempre que encontro felicidade na mente, minhas dores físicas se dissolvem. Desidratação da alma, significa secar as rachaduras das articulações. Essas dores são experimentadas como reais. Eles refletem em cada camada do nosso ser. Para ter clareza em nossa mente, precisamos limpar nossos corações. O Chamado ['The Calling'] é a alma me dizendo para retornar. Chão. Ela é o nascimento de tudo o que há. Quando a voz dela racha, ela se quebra gentilmente como articulações.
Eu acredito que haverá um fim para onde esses pontos de dor apontam. Escutando. Eu sou, antes de eu ser minha ou sua.”
- Sevdaliza

TRACKLIST:

01. Soul Syncable
02. 5D
03. Soothsayer
04. Energ1
05. Human Nature
06. Voodoov
07. Observer


Nenhum comentário

Postar um comentário