Novidades

[News] Dirigido pelo argentino Francisco Márquez, 'Um Crime Em Comum' ganha trailer e pôster oficiais

 


O drama social e a violência policial são o mote do suspense psicológico “Um Crime em Comum”, que estreia nos cinemas nesta quinta, dia 14, e dia 28 de janeiro também estará disponível na Netflix. Com distribuição da Vitrine Filmes, a coprodução entre Argentina, Brasil e Suíça acaba de ganhar trailer e pôster oficiais. Dirigido pelo argentino Francisco Márquez, a trama gira em torno de Cecília (Elisa Carricajo), uma professora de Sociologia que conta com a ajuda da diarista Nebe (Mecha Martínez) para manter a rotina da casa e do filho pequeno. 


Numa noite, Cecília é acordada por batidas na porta. Assustada, ela reconhece o filho da empregada através das cortinas e, com medo, não abre a porta para o jovem. No dia seguinte, ela descobre que o garoto foi assassinado pela polícia e começa a lidar com a culpa e a própria consciência num claro exemplo de cegueira seletiva, onde se evidencia a sua desconexão com a realidade social fora da bolha em que vive. 


- Como intelectuais e artistas, voltamos nossos olhares para as camadas mais populares. Acreditamos que problematizar a situação é ajudar a torná-la visível. Mas o que aconteceria se essa dor tocasse a nossa campainha? Se ela nos questionasse diretamente? Se a realidade demandasse ações ao invés de palavras? E se algo nos forçasse a sair de nosso conforto e nos envolver diretamente? ‘Um crime em comum’ busca refletir sobre a questão. Acreditamos na necessidade de um cinema sensível a seu tempo e realidade. Um cinema político que coloca em xeque a sociedade de classes em que vivemos, buscando criar fissuras e estabelecer novos significados para o público - afirma o diretor Francisco Márquez. 


Com produção da Pensar com Las Manos, em parceria com Multiverso Produções e Bord Cadre, “Um Crime em Comum” fez sua estreia em grande estilo durante o Festival de Berlim de 2020. O longa também foi exibido na Mostra de Cinema de São Paulo e nos festivais de Londres, Mal de Plata e Havana. 


SINOPSE

A professora Cecília, 37 anos, acorda de madrugada ao som de batidas na porta de sua casa. Alguém está tentando entrar à força. Ela vê que é Kevin (15), filho da faxineira que trabalha em sua casa. Ele está sangrando. Assustada, ela não abre a porta. No dia seguinte, ela descobre que o garoto foi assassinado pela polícia.

                                                           Trailer:


SOBRE O DIRETOR:
Francisco Márquez nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 1981. Estudou cinema na Enerc (Escuela Nacional de Experimentación y Realización Cinematográfica), onde atualmente trabalha como professor. Estreou na direção com o documentário “Después de Sarmiento” (2015), que foi exibido em vários festivais pelo mundo, como o Rencontres de Toulouse. “La Larga Noche de Francisco Sanctis” (2016), sua primeira ficção, foi apresentada no  69º Festival de Cannes (mostra Un Certain Régard) e no 64º Festival de San Sebastián (mostra Horizontes Latinos). Ganhou o prêmio de melhor filme na mostra internacional do 19o BAFICI e o prêmio especial do Júri no 20o Festival de Cinema de Lima, além de outras dezenas de prêmios e participações em festivais. 


SOBRE A MULTIVERSO PRODUÇÕES:

A Multiverso Produções é uma produtora fundada por Daniel Pech, profissional com ampla experiência em produção audiovisual, já tendo atuado em projetos para algumas das mais importantes produtoras de cinema e TV do Brasil. Atualmente, a Multiverso assina a coprodução do longa “Um Crime em Comum”, de Francisco Márquez, que estreia em janeiro, está na pré-produção da série “Guerreiras da Independência”, contemplada no edital de produção de séries para as TVs públicas do FSA e do longa “Penal Cordillera”, contemplado no edital de Produção de longas em coprodução Brasil-Chile do FSA. Os dois projetos serão filmados no primeiro semestre de 2021. Além disso, é produtora do longa documental “As Faces de Mao”, que se encontra em processo de montagem e foi contemplado no módulo Finalização de Longas do Prêmio de Apoio ao Audiovisual da Cidade de São Paulo. Também estão em pós-produção a minissérie “Eu Não me Calo”, contemplada no Edital PROAC-LAB. Em desenvolvimento, a Multiverso produz os projetos “As Irmãs” (contemplado no Edital de Desenvolvimento de Longas do PROAC-SP) e “Casa sem Dono” (selecionado para o programa Puentes do EAVE). É ainda coprodutora do longa “La Fiebre”, selecionado para o Foro de Coproducción do Festival de San Sebastián.


SOBRE A VITRINE FILMES: 

Em dez anos de atuação, a Vitrine Filmes já distribuiu mais de 160 filmes e alcançou mais de quatro milhões de espectadores. Entre seus maiores sucessos, estão "O Som ao Redor", "Aquarius" e “Bacurau” de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Outros destaques são “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar 2020, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro, e “O Filme da Minha Vida”, de Selton Mello. Entre os documentários, a distribuidora lançou "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, e "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos dez  documentários mais vistos da história do cinema nacional. 

Em 2020, a Vitrine Filmes lançou no primeiro semestre “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia, e “Você Não Estava Aqui”, de Ken Loach. No segundo semestre deste mesmo ano, em cenário pandêmico, a distribuidora adotou estratégias diferenciadas de distribuição em múltiplas janelas, lançando títulos em drive-ins, salas de cinemas e plataformas de streaming, como “Música para Morrer de Amor”; “Três Verões”; “Pacarrete”; “A Febre"; “Todos os Mortos” e muitos outros. Para 2021 a distribuidora já tem o line-up completo e continuará a buscar a melhor forma de chegar aos seus públicos.




Nenhum comentário