27 outubro 2018

[Crítica Musical] Nasce Uma Estrela: Trilha-Sonora


Bem eu já falei um pouco sobre a trilha-sonora de “Nasce Um Estrela” aqui no Reino, na época do lançamento do filme, mas hoje vamos voltar nesse assunto e nos aprofundar um pouco mais nesse projeto incrível.

O filme “Nasce Uma Estrela” é um remake, o quarto já produzido, que nas versões anteriores contou com Judy Gallard e Barbra Straissand nos papeis principais das versões anteriores. Contudo, a trilha-sonora desse filme atual é completamente original, ou seja, criada única e exclusivamente para esse filme.

O filme como um todo traz inúmeras referencias a clássicos dramas musicais, e até mesmo as versão antigas de “Nasce Uma Estrela”, como fica claro quando Gaga canta sua primeira faixa no início do filme, durante pequenos 42 segundos. A faixa? “Somewhere Over The Rainbow”, imortalizada pela atriz Judy Garland em “O Mágico de Oz” em 1939 – atriz esta que esteve na versão de 1954 desse mesmo filme.

As composições conseguem manter o estilo clássico dos musicais, mas ainda assim terem aspectos de músicas comerciais: fazem parte da história, contam parte da história, mas ainda assim são produzidas com tanto cuidado que podem se passar por músicas regulares, e não de um filme. Longe de serem um dialogo entre personagens de forma cantada – algo que me incomoda muito em musicais -, os músicas são músicas, e ponto! São parte do processo evolutivo tanto da história quanto dos personagens.

Elas são divididas basicamente em três gêneros: country, rock e pop, sendo os dois primeiros majoritariamente de Cooper, com participações de Gaga aqui e ali, como na destruidora “Shallow”, primeiro single lançado. Gaga, apesar de estar presente em algumas faixas dividindo os vocais com Cooper, do meio ao fim tem suas próprias canções, compostas ou co-escrita por ela mesmo, que pendem mais para o pop comercial e baldas românticas.

É preciso ressaltar, explicitar, expor e aclamar a performance de Bradley Cooper como cantor. Sua presença de palco e sua voz foram algumas das maiores surpresas para mim no filme. Seu timbre remete aos mais clássicos cantores de rock, principalmente do progressivo e do grunge – a termos de comparação, me remeteu muito a Eddie Vader – fato que, em entrevista recente, ele assumiu ter se inspirado. O álbum já se inicia com uma das faixas mais pesadas de Cooper, “Black Eyes”, que remete muito ao hard rock com guitarras marcantes. Faixas como “Maybe It's Time”, “Out of Time” e “Diggin' My Grave” já seguem mais para um country rock, esta última contando coms os vocais de Gaga.



Já Gaga mostrou toda a sua capacidade vocal, despida de sua persona artística, se mostrando mais humana e vulnerável – algo que chegou a transcender sua personagem, como em “Shallow” e “I'll Never Love Again”. Sua voz rasgada e potente é explorada ao máximo, e temos mais ainda do seu tom grave. Acredito que seja impossível, mesmo para quem não é fã de Gaga como cantora pop – como este que vos escreve – não se sentir impactado pelas performances dela. A entrega emocional dela em cada faixa, principalmente antes de entrar na pegada pop, são simplesmente perfeitas e emocionantes, e com direito a uma versão de “La Vie En Rose”, de Piaf, de tirar o folego.



Agora, apesar de serem produções muito boas, e sonoramente viciantes, as letras de algumas faixas não foram assim tão impactantes para mim. É certo que elas foram compostas para se encaixarem na história do filme e serem parte do mesmo, mas ainda assim me pareceu que algumas faixas foram escritas de forma muito simplória. Isso de forma alguma desmerece as canções, mas para mim isso deixou a emoção de algumas cenas um pouco rasa demais. Nas faixas pop, como “Heal Me” e “Why Did You Do That?” cumprem perfeitamente com o seu papel, mas – e serei muito julgado por isso -, apesar de achar a faixa “I'll Never Love Again” sonoramente linda, liricamente é simples, igual a tantas outras faixas já compostas – mas repito, se encaixa na história, e é para isso que ela existe.



Com exceção de duas faixas, todo o resto da trilha-sonora lançada é original, composta com o auxilio de Lukas Nelson, filho do cantor country Willie Nelson, a pedido do próprio Bradley Cooper. Nelson também trabalhou com Gaga na composição das faixas, além do DJ White Shadow.

A trilha-sonora foi lançada em duas versões: uma versão conta com 34 faixas, sendo 19 musicais e 15 recortes de diálogos presentes no filme. A outra versão conta somente com as faixas musicais – o que torna o álbum bem mais curto.

“Nasce Uma Estrela” foi uma sequencia ininterrupta de surpresas, tanto de música quanto de atuação, e a produção dessa trilha-sonora é uma das melhores que já ouvi em muito, muito tempo. Ela é capaz de transcender o filme e existir por si só, como um álbum nascido de um artista.


Tracklist (com diálogos):
  1. Intro
  2. Black Eyes
  3. Somewhere Over The Rainbow (Dialogue)
  4. Fabulous French (Dialogue)
  5. La Vie en Rose
  6. I'll Wait For You  (Dialogue)
  7. Maybe It's Time
  8. Parking Lot (Dialogue)
  9. Out of Time
  10. Alibi
  11. Trust Me  (Dialogue)
  12. Shallow
  13. Fisrt Stop, Arizona  (Dialogue)
  14. Music To My Eyes
  15. Diggin' My Grave
  16. I Love You  (Dialogue) 
  17. Always Remember Us This Way
  18. Unbelievable  (Dialogue)
  19. How Do You Hear It?  (Dialogue)
  20. Look What I Found
  21. Memphis (Dialogue)
  22. Heal Me
  23. I Don't Know What Lve Is
  24. Vows  (Dialogue)
  25. Is That Alright?
  26. SNL (Dialogue)
  27. Why Did You Do That?
  28. Hair Body Face
  29. Scene 98 (Dialogue) 
  30. Before I Cry
  31. Too Far Gone
  32. Twelve Notes (Dialogue)
  33. I'll Never Love Again (Film Version)
  34. I'll Never Love Again (Extended Version)

 Tracklist (sem diálogos):
  1. Black Eyes
  2. Somewhere Over The Rainbow
  3. La Vie en Rose
  4. Maybe It's Time
  5. Out of Time
  6. Alibi
  7. Shallow (radio edit)
  8. Music To My Eyes
  9. Diggin' My Grave
  10. Always Remember Us This Way
  11. Look What I Found
  12. Heal Me
  13. I Don't Know What Love Is
  14. Is That Alright?
  15. Why Did You Do That?
  16. Hair Body Face
  17. Before I Cry
  18. Too Far Gone
  19. I'll Never Love Again (Film Version)
  20. I'll Never Love Again (Extended Version)

Lady Gaga, Bradley Cooper - Shallow (A Star Is Born)

Nenhum comentário

Postar um comentário