Novidades

[News]Warner Classics lança album do Quartour Ébène gravado na Sala São Paulo.

WARNER CLASSICS LANÇA ÁLBUM DO QUARTUOR ÉBÈNE GRAVADO NA SALA SÃO PAULO

“Quarteto de Cordas n. 6 Op. 18” e “n.12 Op. 127” de Beethoven já está disponível em todas as plataformas digitais
Ouça https://www.warnerclassics.com/release/around´world-complete


Os 16 quartetos de cordas de Beethoven ocupam um lugar de honra no repertório de câmara e, assim como as nove sinfonias e 32 sonatas para piano do artista, traçam a progressão por meio da vida criativa do compositor. 2020 marca o 250º aniversário do nascimento de Beethoven e o Quatuor Ébène celebra esse fato com uma extensa turnê, intitulada “Beethoven Around the World”, que começou em maio de 2019 e vai até dezembro de 2020. Nesse período, o grupo francês fará mais de 120 concertos em um total de 21 países em seis continentes, com foco nos ciclos completos dos quartetos a partir de fevereiro de 2020.

“Beethoven Around the World” abrange gravações ao vivo realizadas em sete das maiores cidades do mundo: Viena (no Konzerthaus); Filadélfia (Kimmel Center); Tóquio (Suntory Hall); São Paulo (Sala São Paulo); Melbourne (Centro de Recitais de Melbourne); Nairobi e, com o apoio da UNESCO, Paris (Philharmonie de Paris).

Neste lançamento estão os “Quartetos de Cordas n. 6 Op. 18” e “n. 12 Op. 127” gravados durante o concerto que o grupo apresentou na Sala São Paulo, em São Paulo, em setembro de 2019. Ao todo, são sete álbuns a serem lançados entre fevereiro e abril de 2020. As gravações dos concertos realizados na Filadélfia, Viena e Tóquio já estão também disponíveis nas plataformas digitais.


Sobre a turnê em andamento, os membros do Quatuor Ébène dizem: “é aqui que Beethoven se torna global. Os quartetos são 16 obras-primas que formam um cânone artístico eternamente moderno, de amplitude e profundidade incomparáveis - eles traduzem a humanidade mais pura em música. Eles representam uma odisséia, uma viagem ao redor do mundo. ” Os jogadores acreditam que a música do compositor "transcende todas as fronteiras linguísticas, geográficas e políticas . Tanto modernas, quanto atemporais, é universal. Não pode ser facilmente classificada como clássica ou romântica, como alemã ou até ocidental, mas é a música que se expressa livremente e que se dirige ao público do futuro em vez de ao seu próprio tempo. Pode parecer complexo a princípio, mas tudo se torna claro à medida que sua essência emerge”.

O grupo também enfatiza que: “o quarteto como gênero oferece aos músicos a chance de brilhar, embora simultaneamente baseado em colaboração e concordância: mostra a democracia em ação. Seu poder emocional e intelectual é considerável, mas também é universalmente acessível, pois incorpora ideais subjacentes - iluminação, fraternidade e humanismo, como exemplificado por Goethe e Schiller em seu Ode to Joy [a inspiração para o movimento final da 9ª Sinfonia de Beethoven] . Ao mesmo tempo, é influenciado pelas idéias de Kant sobre moralidade, boa vontade e o imperativo categórico, ideias que ganharam notoriedade no tempo de Beethoven. Também reflete a visão do filósofo alemão de nossa relação com o mundo natural, que tem tanta ressonância para as questões ambientais de hoje”. Apropriadamente, a turnê será associada a um programa de compensação de carbono dedicado ao reflorestamento.

Quatuor Ébène
Pierre Colombet, Violino I
Gabriel Le Magadure, Violino II
Marie Chilemme, Viola
Raphaël Merlin, Cello

Nenhum comentário