Novidades

[News]28 Patas Furiosas apresenta performances híbridas que evocam seus trabalhos cênicos anteriores

28 Patas Furiosas apresenta performances híbridas que evocam seus trabalhos cênicos anteriores

 

O coletivo teatral revisita suas obras para criar dois trabalhos complementares: a vídeo-peça-instalação Da Instabilidade aos Sonhos 1:  Memória de uma Trilogia, exibida pelo Youtube, e a performance presencial Da Instabilidade aos Sonhos 2:  Luto  de uma Trilogia, que faz curta-temporada no CCSP

 



Da Instabilidade aos Sonhos 1: Memória de uma Trilogia. Foto - Marcos Yoshi

 


 

A obra faz parte das ações realizadas pelo grupo no projeto 28 Patas Furiosas_Da Instabilidade aos Sonhos, com apoio da 34ª edição da Lei de Fomento à cidade de São Paulo. Além das apresentações, o Fomento também possibilitou o desenvolvimento da nova pesquisa cênica do grupo, intitulada 

Um Jaguar por Noite

 

O coletivo teatral 28 Patas Furiosas realiza, desde 2013, uma pesquisa artística calcada em procedimentos criativos autorais que transitam entre o teatro e as artes visuais, apoiados pelo universo de autores e autoras que escreveram suas obras em contextos de instabilidade política e social. Desde sua fundação até 2019, o coletivo criou os três espetáculos que integram a Trilogia da Instabilidadelenz, um outroA Macieira e PAREDE. Entre os dias 7 e 10 de outubro, o coletivo apresenta duas performances que se debruçam nos registros das suas pesquisas anteriores, traçando um lugar de memória e luto que compõem a própria história do grupo. Uma delas é exibida no Centro Cultural São Paulo e a outra no Youtube do 28 Patas Furiosas e no Youtube do CCSPAmbas acontecem ao mesmo tempo - de quinta a sábado com início às 19h e domingo com início às 18h.

 

A vídeo-peça-instalação Instabilidade aos Sonhos 1:  Memória de uma Trilogia parte da figura da Serpente, testemunha de todos os tempos, para narrar à Mulher-Que-Sonha o percurso de um coletivo de artistas que tenta retomar as suas peças de teatro já enterradas pelo tempo. À medida em que faz os anos caminharem para trás e para frente, a serpente reencontra um poeta esquizofrênico que mergulha no poço para encarar a tempestade das suas crises (Ienz, um outro); uma cidade inteira em deslocamento rumo ao mar (A Macieira); e alguns condôminos que tentam emparedar um sujeito sem cabeça (PAREDE) - todas as situações remontam às temáticas dos três espetáculos destacados. A ideia do grupo é elaborar suas memórias tendo como referência a própria história recente do Brasil.

 

Já a performance Da Instabilidade aos Sonhos 2:  Luto de uma Trilogia propõe uma instalação cênica construída a partir da pesquisa de diversas materialidades realizada em 2020/2021. Neste espaço abstrato, as atrizes e os atores do 28 Patas Furiosas ensaiam - diante e entre o público - práticas inventadas de um ritual poético de luto. Suas motivações envolvem pensar em como deixar nascer o luto, entender qual é o corpo e o peso do luto, como presentificá-lo e celebrá-lo. Além disso, o grupo também reflete sobre como é possível transformar a morte de três peças de teatro e retomar os espaços, a teatralidade e a linguagem artística que norteiam o coletivo.

 

________________________________

 

As duas performances acontecem simultaneamente no CCSP e no Youtube do 28 Patas Furiosas /  Youtube do CCSP e ambos são compostos por exibições de trechos das peças da Trilogia da Instabilidade, ritualizando dessa forma uma espécie de despedida e de vislumbre sobre quais vão ser os novos caminhos do 28 Patas Furiosas. Da Instabilidade aos Sonhos 1:  Memória de uma Trilogia é a performance online e Da Instabilidade aos Sonhos 2:  Luto de uma Trilogia é a performance presencial. Os dois trabalhos são diferentes e se complementam - um é um convite para o outro. Um desdobramento, um eco - proposta que faz referência ao trabalho ISSOÉOSSODISSO, da artista Lenora de Barros.

________________________________

 

“São dois trabalhos criados em um momento de muitos desejos e poucas perspectivas. Existe uma angústia e uma ansiedade tremenda nos assombrando. Estes sentimentos reverberaram nas criações e ganharam a forma de imagens carregadas. São traços de inúmeras curvas e sobreposições que exibem a sensação de que tínhamos que fazer tudo agora. Encaramos essa sensação como força necessária para construir duas experimentações cênicas que refletem o luto do tempo presente e apontam para os sonhos”, conta Wagner Antônio, que assina encenação, instalação e co-dramaturgia das obras. 

 

Para a concepção da vídeo-peça-instalação, o coletivo levou em consideração a forma com que seus processos criativos foram afetados e contaminados pelos acontecimentos políticos e sociais dos últimos oito anos. Foram eles, inclusive, que incidiram na invenção dos “mitos contemporâneos” que fazem parte das peças da Trilogia

 

"A ideia da construção destes mitos vem das instabilidade e do fluxo, não apenas dos sentidos únicos e lineares, já que isso refletiria justamente uma estabilidade. O mito, por sua vez, pode ser acessado e lido por diferentes vias, além de permitir o encontro com outras formas de narrar e criar imagens, gerando uma margem maior de leitura e interpretação para o público", conta o coletivo.

 

Sobre o 28 Patas Furiosas

 

28 Patas Furiosas é um coletivo teatral originado em 2011 na cidade de São Paulo, que tem como bases a experimentação da linguagem teatral aliada às artes visuais para a criação de espetáculos com dramaturgias autorais. Desde 2013, o grupo gerencia sua sede - o Espaço 28 - onde, além de conceber e apresentar suas peças, realiza atividades como festivais, residências artísticas, oficinas, debates e trocas com diferentes coletivos e com o público. 

 

O grupo é o criador do mOno_festival - festival de espetáculos solos, com duas edições realizadas até o momento (2018 e 2020). Formado pelos e pelas artistas Isabel Wolfenson, Murilo Thaveira, Sofia Botelho, Valéria Rocha e Wagner Antônio, o 28 Patas Furiosas se encontra em pesquisa continuada desde a sua formação, tendo realizado os espetáculos que integram a Trilogia da Instabilidade: lenz, um outro (2014); A Macieira (2016) e PAREDE (2019). Em 2021, o coletivo desenvolveu e apresentou a vídeo-peça-instalação PAREDE DE DENTRO.

 

FICHAS TÉCNICAS

 

Da Instabilidade aos Sonhos 1:  Memória de uma Trilogia (vídeo-peça-instalação) e Da Instabilidade aos Sonhos 2:  Luto  de uma Trilogia (performance presencial)

 

Idealização e Realização: 28 Patas Furiosas 

Encenação e Instalação: Wagner Antônio

Texto: Tadeu Renato

Dramaturgia: Dimitri Luppi, Isabel Wolfenson, Sofia Botelho, Tadeu Renato e Wagner Antônio

Atuação: Fe_Menino, Isabel Wolfenson, Murilo Thaveira, Pedro Stempniewski, Sofia Botelho e Valéria Rocha

Artista Convidada: Lenora de Barros

Direção Musical: Júlia Ávila

Mixagem: Brisalícia

Figurino: Valentina Soares

Assistência de Direção: Dimitri Luppi

Direção de Fotografia: Marcos Yoshi

Montagem e Efeitos: Yghor Boy

Arte Gráfica: Murilo Thaveira

Marcenaria: Marcus Garcia

Intérprete de LIBRAS: Amanda Lioli

Diálogos Instáveis: Luiz Rufino, Julio Docjar e Cia. Heliópolis

Assessoria de Imprensa: Canal Aberto

Produção: Iza Miceli

Apoio: Corpo Rastreado

 

FILMAGEM lenz, um outro (2017)

Idealização e Realização: 28 Patas Furiosas 

Encenação e Instalação: Wagner Antônio

Dramaturgia: Tadeu Renato

Atuação: Isabel Wolfenson, Marcus Garcia, Murilo Thaveira, Sofia Botelho, Valéria Rocha e Viviane Palandi

Direção Musical: Julia Teles

Figurino: Éder Lopes e 28 Patas Furiosas

Assistência de direção: Laura Salerno

Operação de som e luz: Dimitri Luppi e Wagner Antônio

Vídeo: Marcos Yoshi

Direção de Produção: Laura Salerno                

 

FILMAGEM A Macieira (2016)

Idealização e Realização: 28 Patas Furiosas 

Encenação e Instalação: Wagner Antônio

Texto: Tadeu Renato

Dramaturgia: Tadeu Renato e 28 Patas Furiosas

Atuação:  Fe_Menino, Isabel Wolfenson, Marcus Garcia, Murilo Thaveira, Sofia Botelho e Valéria Rocha
 e William Simplício

Direção Musical: Julia Teles

Figurino: 28 Patas Furiosas

Assistência de Direção: Laura Salerno

Assistência de Iluminação e Cenografia: Marcus Garcia

Arte Gráfica: Murilo Thaveira

Vídeo: NIT - Nucleo Independente Tecnorupestre

Direção de Produção: Laura Salerno

 

FILMAGEM PAREDE (2019)

Idealização e Realização: 28 Patas Furiosas 

Encenação e Instalação: Wagner Antônio

Texto: Tadeu Renato

Dramaturgia: Tadeu Renato e 28 Patas Furiosas

Atuação: Isabel Wolfenson, Murilo Thaveira, Pedro Stempniewski, Sofia Botelho e Valéria Rocha

Direção Musical: João Paulo Nascimento

Figurino: Valentina Soares

Assistência de direção: Laura Salerno

Direção Técnica: Douglas de Amorim

Arte gráfica: Murilo Thaveira

Vídeo: Dimitri Luppi e Marcos Yoshi

Produção: Iza Miceli

 

SERVIÇO 

ONLINE - YOUTUBE CCSP e 28 Patas Furiosas

Da Instabilidade aos Sonhos 1:  Memória de uma Trilogia

De 07 a 10 de outubro 

Quinta a sábado: Parte 1 - sessão às 19h | Parte 2 - sessão às 20h | Parte 3 - sessão às 21h

Domingo: Parte 1 -  sessão às 18h | Parte 2 - sessão às 19h | Parte 3 - sessão às 20h                                                                                                                               

Duração: Sessões com duração entre 30 e 50 minutos, aproximadamente

 

PRESENCIAL - CCSP/Espaço Ademar Guerra

Da Instabilidade aos Sonhos 2:  Luto de uma Trilogia

De 07 a 10 de outubro 

Quinta a sábado sessões: às 19h |  20h | 21h

Domingo sessões: às 18h | 19h | 20h

Duração: Sessões de aproximadamente 40 min, com intervalo de 20 min entre elas.

 

Local:  CCSP (Espaço Ademar Guerra)

Endereço: Rua Vergueiro, 1000 - Paraíso, São Paulo - SP, 01504-000

Classificação Indicativa: 18 anos


Grátis. 

Nenhum comentário