Novidades

[News] Com mais de 45 novelas no currículo, Wilson Rabelo, da série ‘Dom’ (Amazon Prime) comemora bom momento e fala dos desafios: ‘O Brasil é um prato cheio para preconceito em vários níveis’

 


Mineiro de Belo Horizonte, Wilson Rabelo começou como sonoplasta e iluminador nos palcos de Minas Gerais, foi quando se apaixonou pelo teatro, se envolveu intensamente no mundo da interpretação e decidiu partir para São Paulo, onde iniciou sua vida como ator. Com 44 anos de carreira, mais de 45 novelas em seu currículo, além de filmes, peças e grandes personagens como o Cartola de “Por toda a minha vida” (TV Globo), Wilson está no ar na série “Dom”, do Amazon Prime como o agente Arcanjo e ainda se prepara para a estreia de “Jogo da Corrupção”, a próxima temporada da série original Amazon, “El Presidente”, na qual interpreta o padre Pascual, além do filme “Pai da Rita”, ao lado de Ailton Graça, Elisa Lucinda e grande elenco. O ator em breve também irá iniciar as gravações da série “Arcanjo Renegado” (Globoplay) e do filme “Fim de Semana no Paraíso Selvagem”, de Pedro Severien. 




Aos 64 anos, o caminho até aqui, nem sempre foi fácil para ele. “O Brasil é um prato cheio para o preconceito em vários níveis. Não apenas o racial, experimentei vários... Por ser autodidata, de alguns acadêmicos, por não ter o padrão de corpo esperado, por ser muito magro, pelo comportamento, por razões raciais, etárias, sociais”, conta Wilson que afirma que usou as dificuldades para crescer e se superar: “Lidei com eles construindo constantemente uma autoimagem de superação e conhecimento, adquirido do maior número de fontes possíveis: leitura, cursos livres, troca de ideias, conscientização, participação de eventos, e principalmente, trabalhando muito”. 




Acreditando e apostando que para tudo existe um tempo, Wilson Rabelo se sente feliz por estar sempre em grandes produções culturais: “Venho de uma geração onde o simples telefone era inacessível, de muita injustiça e instabilidade política e social, onde ser ator de teatro era quase impensável e a televisão nem fazia parte do nosso sonho”, lembra o ator que credita nas futuras gerações mudanças importantes: 




“Vivemos um tempo de muitas mudanças e conscientização de direitos, a arte através das novas gerações vem ampliando seu espaço e seu poder de fala, representando segmentos e temáticas que eram antes segregados nos setores de comunicação ou com quase nenhuma visibilidade de cores e gêneros, e ainda poder acompanhar estas mudanças trabalhando, é um privilégio, que espero ter muita saúde para viver”.




“Dom”


No início de junho, mais uma produção com Wilson Rabelo no elenco estreou. A série “Dom”, do Amazon Prime, traz o ator na pele do agente Arcanjo, em que ele realiza o desejo de trabalhar com a produtora Conspiração, uma série do Amazon e direção de Breno Silveira. O personagem tem grande importância na trama e o permitiu viver e trabalhar oportunidades ímpares, como texturas de voz, tempo dramático e diversos detalhes sutis do personagem. 




Corrupção e Futebol


Sem data de estreia definida e assinatura do premiado diretor Armando Bó, “Jogo da Corrupção” mostra as origens da transformação da Fifa na grande potência política e comercial. Ao lado de nomes como Maria Fernanda Cândido e Eduardo Moscovis, Wilson Rabelo dá vida ao personagem padre Pascual que “mostra de maneira lúdica e, às vezes, bem-humorada o conflito entre o indivíduo e as instituições que representa, inclusive a Igreja”, conta. 




Com grande conhecimento político e com opiniões fortes, Wilson Rabelo acredita que a segunda temporada de “El Presidente” vai despertar o interesse exatamente porque trata de assuntos atuais como a corrupção no futebol. “O brasileiro está cada vez mais se apropriando da sua cultura e começando a tirar a poeira debaixo do tapete, para recontar a nossa história”, diz o ator que acredita que mesmo diante do cenário político do país, o fato da série levantar tais questões é algo positivo: “O futebol está muito associado ao mundo do dinheiro e deixando de ser um esporte apenas movido pela paixão e amor pela camisa, sem senso crítico, já temos séries sobre Castor de Andrade, por exemplo, que ajuda a entender o espírito do nosso país, acompanhado de uma nova visão crítica sobre nossa história”.




Gravações na Pandemia


Exaltando o cuidado em tempos de pandemia, Wilson Rabelo lembra das gravações que ocorreram no Uruguai. “Além da qualidade da produção, houve também o encontro com colegas, grandes atores brasileiros e de vários países, além de uma equipe técnica uruguaia, o que nos permitiu ter mais know how numa produção internacional. Tivemos uma convivência segura e impensável no Brasil, porque fazemos exames de PCR diariamente”, relembra. 




“Bacurau”


Presente em “Bacurau”, um dos longas nacionais mais premiados de todos os tempos, Wilson Rabelo esteve no Festival de Cannes para defender a produção que levou o prêmio do júri. O orgulho por ter representado o país em uma produção nacional é latente. “Representando o país com muitos sotaques e contando uma história quilombola em Cannes, através de um professor, um facilitador e transmissor de conhecimento e saber em uma comunidade em que se relacionavam em um modelo de sociedade horizontal, exemplo de vida e luta”.




Novos Projetos e o futuro do streaming


O ator enxerga o crescimento das plataformas de streaming como uma grande oportunidade e não se sente preterido diante das novas tecnologias. “Sou um ator de teatro, vivi o crescimento da televisão como mercado de trabalho, cinema... O streaming se intensificou mais na pandemia e pode ser uma maneira de democratizar o acesso a inúmeras produções, que além de diversificar o olhar do público em tantas histórias, linguagens e temáticas, leva a nossa arte a variados países”.

Mais informações: 

https://www.instagram.com/wilson_rabelo_/ 

Agenciamento Artístico: dell@dellsanthos.com.br 





Nenhum comentário