16 setembro 2018

[Review] 2ª temporada- Luke Cage

Depois que um experimento sabotado ter deixado Luke Cage com uma super-força e pele indestrutível, ele se torna um fugitivo que tenta reconstruir a vida no Harlem, bairro de Nova York. Mas logo ele é forçado a sair das sombras e lutar pela sua cidade, bem como confrontar o passado do qual tentou fugir e assumir a identidade de herói.

O que achei? Luke Cage mostra com fidelidade problemas como discriminação racial, brutalidade policial e um sistema de justiça falho e corrupção na polícia.

A série tinha potencial, mas falhou em atender as expectativas. Em ambas as temporadas – embora a segunda temporada seja superior à primeira em termos de enredo e desenvolvimento e evolução dos personagens - Luke Cage não é uma série que você maratona de uma vez só. Ela peca por um ritmo devagar, onde se demora um pouco para terminar de assisti-la.

A série tem seus pontos positivos, como o elenco. O destaque vai para Alfree Woodard no papel da vereadora de moral duvidosa Mariah Dillard, Simone Missick no papel da detetive intuitiva e impulsiva Misty Knight e Theo Rossi que interpreta Shades, sócio de Mariah Dillard e um dos inimigos de Luke Cage.

Outro ponto positivo é o Harlem que é bem mais que um plano de fundo para o enredo, é um personagem que ganha vida própria ao longo da série. Um destaque vai para a trilha sonora movida à hip hop, blues, jazz e rap que dão vida à ação da série e que une os diferentes personagens e suas histórias.


Trailer:

Nenhum comentário

Postar um comentário