20 setembro 2018

[Programação] Shows de 20 a 27 de setembro

              Confira a programação de shows no RJ da semana:

                Teatro Bradesco

O frenético Dancin´Days, dia 21 às 21h, dia 22 às 17h e 21h, dia 23 às 15 e 18h. De 75 a 160 reais. 

Asas abertas, feras soltas, o Rio de Janeiro era uma festa. E não havia lugar mais adequado para celebrar do que o Frenetic Dancing´Days Discotheque, boate idealizada pelos amigos Nelson Motta, Scarlet Moon, Leonardo Netto, Dom Pepe e Djalma. E por que não resgatar esse tempo quando o carioca era feliz e sabia? Os dias de alegria estão de volta!
Ao lado de Patrícia Andrade, o próprio Nelson Motta assina a história de ‘O Frenético Dancin' Days’. O musical marca a estreia da coreógrafa e bailarina Deborah Colker na direção de um espetáculo teatral, com realização das Irmãs Motta e Opus e direção de produção de Joana Motta.
O musical será uma superprodução, com 17 atores e sete bailarinos, escolhidos através de audições, à exceção de Stella Miranda, uma das mais importantes atrizes de musicais do país, que foi convidada especialmente para o projeto. Além de Stella, que interpreta Dona Dayse, o elenco é formado por: Ariane Souza (Madalena), Bruno Fraga (Nelson Motta), Cadu Fávero (Djalma), Franco Kuster (Léo Netto), Gabriel Manita (Inácio/Catarino), Karine Barros (coro/stand in feminino), Larissa Venturini (Scarlet), Natasha Jascalevich (Bárbara), Thadeu Matos (Tony Manero), além das Frenéticas: Carol Rangel (Edyr de Castro), Ester Freitas (Dhu Moraes), Ingrid Gaigher (Lidoca), Julia Gorman (Regina Chaves), Larissa Carneiro (Leiloca) e Ludmila Brandão (Sandra Pêra).
Deborah Colker (que acaba de ser premiada na Rússia com o Prix Benois de la Danse, considerado o Oscar da Dança) assina também as coreografias e terá ao seu lado uma ficha técnica de peso: Gringo Cardia (cenários), Maneco Quinderé (designer de luz) e Alexandre Elias (direção musical). Passarão pelo palco os principais personagens que marcaram não apenas a história da boate, mas da cultura nacional.
A noite carioca fervia nos anos 70, quando a casa foi criada para inaugurar também o Shopping da Gávea. A cena disco estava explodindo em Nova York, mas ainda não tinha acontecido no Brasil. O Dancin´Days foi inaugurado em 05 de agosto de 1976 e marcou a chegada da discoteca no país. Lady Zu, Banda Black in Rio, Tim Maia, a pista da boate fervia. Na casa, se apresentaram nomes como Rita Lee (ainda com o Tutti-Frutti), Raul Seixas, Gilberto Gil
Entretanto, nada causou tanta sensação quanto o surgimento das Frenéticas. Contratadas inicialmente como garçonetes, elas também faziam uma breve apresentação durante a madrugada. O sucesso foi imediato: Leiloca, Sandra Pera, Lidoca, Edyr, Dhu Moraes e Regina Chaves logo abandonaram as bandejas e assumiram os holofotes. Elas foram o primeiro grupo contratado da multinacional Warner, que estava aportando no Brasil. O país inteiro cantou ‘Dancin´Days’, ‘Perigosa’, ‘O Preto que satisfaz’ (abertura da novela ‘Feijão Maravilha’, da TV Globo), entre tantas outras.
A boate funcionou por apenas quatro meses, pois o contrato era limitado ao período que antecedia a abertura do Teatro dos Quatro. Ela celebrava um Rio e um país que conseguiam ser livres, apesar da ditadura militar. A casa reunia famosos e anônimos, hippies e comunistas, todas as tribos com o único objetivo de celebrar a vida. O sucesso foi tamanho que a casa foi reaberta no Morro da Urca e inspirou a novela ‘Dancin´ Days’, de Gilberto Braga, que tinha a música homônima das Frenéticas como tema de abertura. O país inteirou caiu na gandaia e entrou na festa.

E é justamente esta festa que estará de volta a partir de agosto. O espetáculo relembrará grandes clássicos da discoteca como ‘I love the nightlife’, ‘You make me feel might real’, ‘We are Family’, ‘Y.M.C.A’, ‘Stayin´alive’, além de clássicos das Frenéticas e grandes sucessos nacionais da época, como ‘Marrom Glacê’ e ‘A noite vai chegar’, entre outros. O Rio de Janeiro voltará a sorrir!

   God save the Queen,dia 26 às 21h.De 100 a 180 reais.

Na apresentação de seu novo espetáculo, "20 YEARS" , God Save The Queen reuniu os melhores clássicos do Queen num show eletrizante para sua turnê mundial 2018, comemorando seus 20 anos de sucesso.
Com vestuários, sons e instrumentos exatamente semelhantes aos originais, durante os 110 minutos do show, passeiam por clássicos como Bohemian Rhapsody, Radio Gaga, We will Rock You, We Are The Champions, entre outros.
A banda apresenta músicas de todas as épocas completamente ao vivo. Não tem vozes, coros, ou instrumentos agregados, muito menos qualquer recurso de Play back. As canções são respeitadas minuciosamente em seus arranjos originais, absolutamente AO VIVO.
A semelhança física e vocal de Pablo Padín com Freddie Mercury & os demais integrantes da banda God Save The Queen, com o grupo original é sem dúvida a chave do éxito deste famoso quarteto, eleitos em 2011 pela Revista Rolling Stone como o melhor tributo de todos os tributos do mundo.

                   KM de Vantagens Hall
Dilsinho, dia 20 às 21:30. Meia a 40 e inteira 80 reais. 

Dilsinho escolheu sua terra natal, o Rio de Janeiro, para a gravação de seu primeiro DVD da carreira. O show, intitulado Terra do Nunca, acontece no Km de Vantagens Hall RJ no dia 20 de setembro de 2018, em única apresentação, e conta com participações confirmadas de Ivete Sangalo, Léo Santana, Ferrugem, Mumuzinho, Dennis, Kevinho e Luan Santana, entre outros.
A venda para o público em geral estará disponível a partir de 23 de agosto. Os ingressos poderão ser adquiridos pela internet (www.ticketsforfun.com.br), nos pontos de venda espalhados pelo Brasil e na bilheteria do Km de Vantagens Hall RJ. O show é realizado pela TIME FOR FUN.
Hits como "12 Horas" e "Refém" farão parte do repertório da apresentação, que conta ainda com 12 canções inéditas e regravações de sucessos da carreira de Dilsinho.
O lançamento mais recente do cantor, o álbum "Ensaio Aberto", traz 10 faixas inéditas que farão parte do primeiro DVD de sua carreira:
"Me Belisca", "Telecine", "Pouco a Pouco", "Terra do Nunca", "Controle Remoto", "Santo Forte", "Péssimo Negócio", "Futuro e Presente", "Dúvida Cruel" e "Puxadinho". Todas as faixas foram produzidas pelo vocalista do grupo Sorriso Maroto, Bruno Cardoso, e por Lelê.
Sobre Dilsinho:
Um dos principais nomes do pagode romântico, Dilsinho segue movimentando o cenário musical através de canções que transbordam o gênero, ousando ao experimentar novas roupagens em suas músicas. Recentemente Dilsinho lançou “Ioiô”, a canção que conta com a participação de Ivete Sangalo e já passa de 7 milhões de visualizações em seu canal oficial no YouTube.
O single “12 Horas” está entre as músicas mais tocadas do país e o clipe da faixa já passa das 36 milhões de visualizações. A canção ganhou uma versão acústica com participação da cantora Marília Mendonça.
 Com mais de 1 milhão de inscritos em seu canal oficial no YouTube, o cantor acumula expressivos números em seus videoclipes: “Trovão” (single de Platina, com mais de 54.6 MM de views), “Refém” (single de Platina dupla, com mais de 72.6 MM de views), “Cansei de Farra” (single de Platina, com mais de 44.3 MM de views), “A Vingança” (+ de 23.6MM de views), “Já Que Você Não Me Quer Mais” (+ de 20.7MM de views), “Se Quiser” (+ de 21 MM de views) e “Piquenique” (single Ouro, com mais de 19.1MM de views).

 Capital Inicial, dia 22 às 22h. De 48 a 250 reais.

O Capital Inicial retorna ao palco do Km de Vantagens Hall RJ, no Rio de Janeiro, no dia 22 de setembro, fazendo um show que traz diversos sucessos alo longo dos mais de 30 anos de carreira da banda.
A venda para o público em geral já está disponível desde o dia 04 de maio. Os ingressos poderão ser adquiridos pela internet (www.ticketsforfun.com.br), nos pontos de venda espalhados pelo Brasil e na bilheteria do Km de Vantagens Hall RJ. O show é realizado pela TIME FOR FUN.
No repertório do show, estarão os maiores da banda como “Primeiros Erros”, “A Sua Maneira”, “Natasha”, entre outros. Com 18 discos lançados, o Capital Inicial é um dos grupos de rock mais queridos do país. Não para no tempo e renova seu público a cada lançamento. No Facebook, quase 5 milhões de seguidores acompanham os passos da banda. Sua agenda de shows se mantém cheia e ninguém volta insatisfeito para casa. Em  2018, a banda volta com as guitarras e distorções após 2 anos de uma grandiosa tour de seu DVD ACUSTICO NYC. Dinho, Fê, Flavio e Yves prometem uma noite de muito rock para ninguém ficar parado.
Sobre o Capital Inicial
 Banda que surgiu em Brasília nos anos 80, mesma época de Legião Urbana e Os Paralamas do Sucesso.  Em 2007, ganhou na categoria de Melhor Grupo no Prêmio Multishow de Música Brasileira. A banda acumula oito discos de platina, oito discos de ouro e um de platina duplo, somando cerca 2 milhões e meio de discos e dvds vendidos.

                          SESC Copacabana:
Samba com feijão-Samba Du Black, sexta, dia 21 ás 18h, livre, grátis para PCG e habilitado SESC, 1 real a meia e 2 a inteira.

O projeto Samba e Feijão leva à Unidade uma roda de samba com diferentes convidados. Personalidades e grupos importantes do cenário do samba carioca ressaltam os valores imateriais dessa manifestação popular. Uma ótima opção para curtir um bom samba de raiz, além do tradicional feijão preto temperado.
Quem comanda a roda é Sandro Black, músico e compositor versátil da cena carioca que encanta há mais de 8 anos os carnavais cariocas à frente de blocos como: Empolga às 9, Estratégia e Bloco Quizomba. Com uma escola musical fortemente calcada no samba de raiz e em suas raízes afro-brasileiras, o artista é acompanhado por um time ímpar de músicos consagrados do samba carioca. O show é uma emocionante imersão em ritmos, melodias e referências cantadas no sentido do resgate e reafirmação ancestral da música popular brasileira.

Nenhum comentário

Postar um comentário