30 maio 2018

[News] Wilson Simonal, que estaria completando 80 anos este ano,é destaque em documentário que estreia no Curta!na segunda da Música



A trajetória de Wilson Simonal chega ao Curta! no mês em que completam-se 18 anos sem o artista e no ano em que ele comemoraria oito décadas de vida. Estreia na Segunda da Música, 4, às 22h20, o documentário “Simonal - Ninguém Sabe o Duro Que Dei”. Dirigido por Cláudio Manoel, Micael Langer e Calvito Leal, o filme narra a trajetória do ex-cabo do exército brasileiro que se transformou em um dos cantores mais populares do país, chegou a reger um coro de 30 mil pessoas no Maracanãzinho, fez um dueto com Sarah Vaughan, mas morreu à beira do ostracismo. Através de depoimentos de amigos, personalidades e, principalmente, de imagens das performances, o filme revela as histórias do artista.
Considerado um dos ícones da vanguarda paulista, Itamar Assumpção tem sua obra revisitada no episódio inédito da série musical exclusiva “Os Ímpares”, na Segunda da Música, 4, às 20h. No programa, Anelis Assumpção, filha de Itamar, apresenta sua versão de “Fico Louco”, canção do álbum “Beleleu Leléu Eu”. Já Alice Caymmi faz sua versão de “Nega Música”. O episódio também revela detalhes da personalidade do artista e da gravação do disco através dos depoimentos de Paulo Barnabé e Suzana Salles, que participaram da produção do álbum com Itamar Assumpção. A série "Os Ímpares" traz, ao longo de 10 episódios, figuras de peso da música brasileira contemporânea como Criolo, Bayana System e Tulipa Ruiz para realizar releituras inéditas de álbuns de Jards Macalé, Di Melo, Itamar Assumpção, Walter Franco, Jorge Mautner, Pedro Santos, Ronnie Von, Verocai, Marku Ribas e Sérgio Sampaio. Com direção de Henrique Alqualo e Isis Mello, direção musical de Berna Ceppas e realização da Lunar Multimídia e da Moa Filmes, “Os Ímpares” foi produzida através de financiamento pelo Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.

Em 2008, restauradores do Museu do Prado, em Madri, na Espanha, afirmaram que o famoso quadro "O Colosso", de autoria originalmente atribuída ao pintor Francisco Goya, não era uma obra do artista espanhol. A polêmica envolvendo o pintor, considerado um dos principais nomes do Romantismo espanhol, é um dos pontos de investigação do episódio inédito da série “A História Oculta das Obras de Arte”, que será exibido na Terça das Artes, 5, às 20h. O programa revela a os métodos, os pigmentos e os detalhes que ajudam a interpretar os trabalhos de Goya. Os segredos por trás de “O Colosso” e de outras obras do artista são analisados por alguns dos mais importantes especialistas em arte do mundo na série que é uma iniciativa do Museu do Louvre em Paris.
Na Quinta do Pensamento, 7, às 23h30, no episódio inédito da série documental “Alegorias do Brasil”, o cineasta Murilo Salles parte da frase “o Estado sou eu”, atribuída ao rei da França Luis XIV, para apresentar reflexões, análises e questionamentos sobre o processo de modernização do Brasil. No episódio, nomes como a historiadora Mary Del Priore, o escritor e ensaísta Silviano Santiago e o psicanalista Contardo Calligaris traçam um paralelo entre a frase sobre o poder do monarca absoluto e o nosso país. “Alegorias do Brasil” é a primeira produção do cineasta Murilo Salles idealizada exclusivamente para a TV.  Ao longo de 13 episódios, as alegorias brasileiras - ou seja, as expressões culturais que afirmam a nossa identidade – serão colocadas em discussão e analisadas. A série é uma produção da Cinema Brasil Digital com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE.
Na Quarta de Cinema, às 20h, “A Vida é Curta!” exibe produções que revelam oficinas. Abrindo a faixa, “Zé(s)”, de Piu Gomes. O documentário retrata o encontro de Zé Celso Martinez Corrêa, diretor do Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona, de São Paulo, e Zé Perdiz, mecânico de Brasília cuja oficina se transforma em teatro. Depois, é a vez de “O Quebra-Cabeça de Tarik”, filme da cineasta Maria Leite. Na produção, o cineasta Tarik substituiu partes de seu corpo por máquinas com o objetivo de se tornar imortal. Em sua oficina, ele se prepara para receber a peça fundamental de seu grande projeto. Para finalizar, “Malha”, de Paulo Roberto de Souza Junior, mostra a violenta materialização de um festejo popular, a malhação do Judas, no interior da Paraíba.
Um pouco mais tarde, também na Quarta de Cinema, 6, às 23h30, a série “Projeções” traz o depoimento do videoartista Raimo Benedetti. O artista revela seu processo de criação, desafios e conquistas frente às suas obras projetadas. A série “Projeções” é uma produção do Itaú Cultural gentilmente cedida ao Curta! que busca tratar do mais recente cinema expandido brasileiro, em seus diferentes gêneros e formatos.
“Amazônia Eterna” é o destaque da Sexta da Sociedade, 8, às 22h15. O documentário brasileiro da produtora Giros e da Agência Tudo mostra como nove projetos, com propostas para o uso da floresta de maneira sustentável, podem beneficiar diretamente a população local e promover parcerias economicamente vantajosas. O filme, que ganhou o prêmio de melhor documentário no Brazilian Film & Television Festival of Toronto em 2013, apresenta imagens impressionantes da floresta para exibir uma nova visão sobre as possibilidades de convivência harmônica entre a exploração da economia verde e a manutenção do ecossistema amazônico.

SEGUNDA DA MÚSICA
Simonal - Ninguém sabe o duro que dei (Documentário)
O filme traça a trajetória impressionante do ex-cabo do exército que reinou soberano e acabou condenado ao ostracismo por um delito que jurava inocência. Através de depoimentos de amigos, personalidades e, principalmente, de imagens das exuberantes performances do grande artista, o filme mostra também as respostas que nunca apareceram. Simonal era informante da ditadura? Era favorável aos militantes? Ou seu maior crime foi ser negro, milionário, símbolo sexual num país e numa época de racismo exacerbado? 

Diretores: Cláudio Manoel, Mical Langer e Calvito Leal
Duração: 84 min.
Estreia: 4 de junho, segunda-feira, às 22h20
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
5 de junho, terça-feira, às 16h20
6 de junho, quarta
Os Ímpares (Série Musical) – Episódio Itamar Assumpção: Alice Caymmi e Anelis Assumpçã
Os Ímpares é uma série documental que tem como tema álbuns experimentais das décadas de 60 e 70 que não tiveram o devido reconhecimento na época do seu lançamento. O programa convidou artistas contemporâneos como Emicida, Criolo, Nação Zumbi, Teresa Cristina e Alice Caymmi para reler canções dos álbuns de Jards Macalé, Jorge Mautner, Pedro dos Santos, Sérgio Sampaio dentre outros. O programa acompanha todo o processo criativo das releituras e convida os compositores para contar um pouco da história dos discos.

Diretores: Henrique Alqualo e Isis Mello
 Duração: 27 min.
Estreia: 4 de junho, segunda-feira, às 20h.
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
5 de junho, terça-feira, às 14h
6 de junho, quarta-feira, às 8h

TERÇA DAS ARTES
A História Oculta das Obras de Arte (Série) – Episódio Goya
Em uma iniciativa do Museu do Louvre em Paris, os segredos por trás das obras de mestres como Rembrandt, Leonardo da Vinci, Raphael, Goya e Poussin são analisados por alguns dos mais importantes especialistas em arte do mundo. Neste episódio, o pintor romântico Goya e suas pinturas são objeto de estudo dos especialistas. Quais eram seus métodos? Quais pigmentos usava? Como interpretar os traços de assinatura que aparecem nos raios-X de seus quadros?

Diretores: Stan Neumann e Juliette Garcias
Duração: 52 min.
Exibição: 5 de junho, terça-feira, às 20h.
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
6 de junho, quarta-feira, às 14h
7 de junho, quinta-feira, às 8h

QUARTA DE CINEMA
Oficinas são tema da faixa A Vida é Curta desta semana. A temática é explorada em três curtas: “Zé(s)”, “O Quebra Cabeça de Tarik” e “Malha”.bnh
Exibição: 6 de junho, quarta-feira, às 20h.
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
7 de junho, quinta-feira, às 14h
8 de junho, sexta-feira, às 8h

Projeções (Série) – Episódio Raimo Benedetti
A série Projeções joga luz sobre o mais recente cinema expandido brasileiro, em seus diferentes gêneros e formatos. O programa conta com 15 episódios em que realizadores falam frente às suas obras projetadas, expondo seus processos de criação, desafios e conquistas.

Diretora: Renata Druck
Duração: 14 min.
Exibição: 6 de junho, quarta-feira, às 23h30.
Classificação: 10 anos
Horários alternativos:
7 de junho, quinta-feira, às 17h30
8 de junho, sexta-feira, às 11h30

QUINTA DO PENSAMENTO
Alegorias do Brasil (Série) – Episódio “O Estado Sou Eu”
Luis XIV ficou famoso por ser o rei na França que afirmou: “o Estado sou eu”. Sua frase designava um poder monarca absoluto, mas no caso do Brasil aplicar-se-ia ao processo de modernização do país, atendendo pelo nome de patrimonialismo. O Estado, ao invés de público, serve para atender aos interesses privados.
Diretor: Murilo Salles
Duração: 26 min.
Exibição: 7 de junho, quinta-feira, às 23h30
Classificação: Livre
Horários alternativos:
8 de junho, sexta-feira, às 17h30
10 de junho, domingo, às 10h

SEXTA DA SOCIEDADE
Amazônia Eterna (Documentário)
A Floresta Amazônica é hoje um imenso laboratório de experiências sustentáveis que revelam uma nova relação entre homens, corporações e este patrimônio natural imprescindível para a vida no planeta. Lá estão nascendo as diretrizes de um novo modelo econômico mundial: a economia verde. Mas quanto valem os serviços que esta commodity invisível presta para a humanidade? E quem deve lucrar com isso? Em busca destas respostas, o filme mostra iniciativas de sucesso, discute novas possibilidades com especialistas e mergulha numa viagem sensorial pelo cotidiano de quem habita a floresta.

Diretor: Belisario Franca
Duração: 79 min.
Exibição: 8 de junho, sexta-feira, às 22h15
Classificação: Livre.
Horários alternativos:
9 de junho, sábado, às 10h

11 de junho, segunda-feira, às 16h15 
Sobre o Curta!
Dedicado às artes, à cultura e às humanidades, o Curta! é um canal independente que acolhe a experimentação e se orgulha de ser um parceiro dos realizadores, artistas, criadores e produtores. Com o compromisso de transmitir 12 horas por dia de programação nacional independente, o canal pauta a sua programação pelos seguintes temas: música, dança, teatro, artes visuais, arquitetura, metacinema, filosofia, literatura, história política e sociedade.
O Curta! pode ser visto nos canais 56 e 556 da NET e da Claro TV, no canal 75 da Oi TV e no canal 664 da Vivo. Siga o Curta! nas redes sociais: www.facebook.com/CanalCurta, twitter.com/CanalCurta e www.youtube.com/user/canalcurta.
 é
Saiba mais em http://www.canalcurta.tv.br.


             

Nenhum comentário

Postar um comentário