23 abril 2018

[Resenha] A Noiva do Highlander

Sinopse:O escocês Conor McTiernay sonhou a vida inteira com um amor verdadeiro e duradouro. Mas ele sempre se deparou com uma situação oposta... As mulheres sempre o desejavam por causa de suas terras e títulos. Por isso, ele decidiu que nunca iria se casar. Mas isso mudou quando ele viu, pela primeira vez, uma mulher vinda da Inglaterra, encontrada escondida na floresta. Por trás da sujeira, ele tinha certeza de que Laura Cordell era uma mulher linda. Porém, ela conseguiria provar a ele que, ao contrário das outras mulheres que só queriam seduzi-lo por interesses materiais, ele tinha encontrado, de fato, uma esposa a quem poderia entregar seu coração?
O que eu achei ?
Desde que Outlander virou febre (digo virou febre porque não foi lançado recentemente, o primeiro livro data de 1991)percebi um aumento na demanda do filão de romance histórico envolvendo escoceses charmosos. Eu não li os livros da Diana Gabaldon por falta de tempo mas já assisti as duas primeiras temporadas da série na Netflix e adorei! Mas percebi que o número de histórias com enredo semelhante, com guerreiros escoceses fortes na capa, aumentou. Quando recebi A noiva do highlander para resenhar, pensei: deve ser apenas mais um do filão que Outlander criou. Felizmente, eu estava errada.

Conor McTiernay é o chefe de um dos clãs mais influentes das Terras Altas (Highlands)no ano de 1307. Ele governa seu povo com punho de ferro mas tem um coração benevolente. Para seu azar, durante sua vida, ele teve o desprazer de conhecer várias mulheres que tentaram seduzi-lo movidas não por amor mas por interesse,interessadas apenas no poder e na posição que teriam se ficassem com ele.Por causa disso, ele jurou nunca se casar. E assim, ele permaneceu solteiro por um longo tempo.

Mas é lógico que ele muda de ideia quando conhece Laurel Cordell, uma inglesa que conseguiu fugir de um cativeiro onde estavam sendo mantida prisioneira (o motivo dela ter sido presa é algo que você precisa ler para descobrir). Um belo dia, os caminhos deles se cruzam e embora Laurel estivessem em desvantagem (suja, machucada e inglesa-se você se lembra do filme Coração Valente, vai se lembrar que na época, as tribos escocesas e inglesas estavam em guerra) mas mesmo assim Conor a acolheu em sua tribo dizendo: ´´Você está segura.Ninguém lhe fará mal aqui!´´(e ai de quem contrariasse as ordens do chefe da tribo!)

Laurel logo demonstra ter uma personalidade forte e ela e Conor vivem discutindo porque discordam nos mais variados pontos mas para surpresa geral, ela não demonstra ter medo dele.
´´É claro que não tenho medo do Conor. Que ideia ridícula, posso ficar irritada com frequência... mas não tenho medo dele.´´
Conforme o tempo vai passando, os desentendimentos vão se agravando e fica bem claro que Laurel não vai permitir que Conor ou qualquer outro homem tire sua liberdade, que ela lutou tanto para conquistar. Se inicia assim uma batalha de egos que culmina quando ela revela seu segredo...

Essa é uma daquelas leituras que te deixam com um gostinho de querer saber como os protagonistas vão ficar juntos. Você sabe que eles vão ficar no final mas como os acontecimentos levarão a isso é um enigma, visto que parece quase impossível que o amor desabroche de duas personalidades tão conflitantes quanto as de Conor e Laurel.
Michele Sinclair criou uma trama de prender o fôlego, perfeita para quem gosta do gênero. Recomendo!





Nenhum comentário

Postar um comentário