08 janeiro 2019

[Resenha] A Era dos Mortos - Parte 1

Sinopse: E OS HUMANOS DESCOBREM QUE A PIOR DESGRAÇA NÃO SÃO OS ZUMBIS...Vários anos se passaram desde que Uriel, agindo como um tirano, assumiu o controle da maior colônia de sobreviventes do apocalipse zumbi na Terra. Ivan, Estela e quase todos os seus aliados estão mortos. Do grupo original, apenas Isabel, Mariana e alguns poucos conseguiram escapar de Ilhabela. E a cada dia, a fome de poder de Uriel e de seu filho, Otávio, aumenta, tornando a vida dos sobreviventes ainda mais penosa. O trabalho escravo se torna a regra A cobrança de mais e mais tributos e a imprevisibilidade do poder central mantêm todos em constante alerta. Otávio, que passou anos realizando pesquisas médicas, finalmente consegue um meio de controlar os bersekers, os zumbis monstruosos, transformando-os em cães de caça. É a sua forma de assegurar a permanência no comando da comunidade, mas também de destruir, pelo medo, qualquer intenção de resistência. Então, ele produz algo ainda pior, uma criatura feroz e diabólica com o poder de destruição em massa. Há muito em jogo. O governo central ainda considera Isabel uma grande ameaça, seja viva, ou morta-viva, o que poderia transformá-la numa nova Senhora dos Mortos. Mas, duas crianças chamam a atenção de Isabel que decide prepará-las para batalhas ainda mais sangrentas. Serão elas a esperança para o fim daquela era de medo e destruição? A derradeira batalha está para começar, mas os inimigos, humanos e zumbis, também têm suas surpresas. Sejam bem-vindos a uma nova era de horror e violência. Esta é... a Era dos Mortos.

O que eu achei?
Em "A Era dos Mortos", sequência de "A Ilha dos Mortos". A trama está chegando ao seu fim e ainda assim Rodrigo de Oliveira consegue incrementar novos arcos a essa série de forma que funcione e sem se tornar cansativo ou repetitivo. Nesta etapa, vamos para um salto no tempo de alguns anos e vamos ser apresentados ao Morro da Boa Vista. 

O Morro da Boa Vista é uma comunidade no mais alto lugar de Santa Catarina e nela teremos uma figura do passado como líder, a própria Isabel já com sua idade avançada. Além da mesma, a história vai acrescentar ainda mais personalidades fortes e bastante odiosas por assim dizer. Momentos tensos, pesados e também aqueles que pode ainda nos desestabilizar em meio a tantas tragédias já decorrentes.

Neste livro Rodrigo de Oliveira vai além de nos mostrar os zumbis como vilão. Aqui, os humanos em si são a própria ameaça para si mesmo, e dentre tantos questionamentos e críticas a nossa realidade, vemos um reflexo de quão mesquinho o homem é. Cada ato tomado tem seu tom de importância e ainda é possível se surpreender com a raça humana nessa história. 

O autor nos prepara para o desfecho de As Crônicas dos Mortos com uma pincelada nos acontecimentos anteriores. Particularmente não estou pronto para ficar sem essa história que além de eletrizante, deixa uma marca por sua originalidade e nos faz querer ainda mais. 

Por Leonardo Alves

Nenhum comentário

Postar um comentário