[Crítica Musical] LOBOS - Reino Literário Br

Recentes

Home Top Ad

Anuncio aqui

12 janeiro 2019

[Crítica Musical] LOBOS


Depois de singles e clipes de sucesso como “Álcool” e “Ressaca”, o cantor Jão lançou seu primeiro álbum de estúdio, intitulado “LOBOS”, com doze faixas (na versão física) autorais – incluindo a já lançada “Imaturo”.
Jão lida em seu álbum com todo o drama do amor trágico, não correspondido ou corrompido, com letras confessionais e cheias de emoção. Mas não se engane – não vamos ouvir uma sequência de baladas melancólicas e depressivas. Por vezes as faixas brincam em fazer sua temática divergir com seu som, onde algumas letras pessimistas apresentam melodias animadas, como a faixa de abertura “Vou Morrer Sozinho”.
Mas não é somente das lamentações que “LOBOS” se alimenta. Ser jovem, apaixonado, mas não ter uma gota de reciprocidade – além das tantas inseguranças que é comum à muitos de nós -, algumas faixas apresentam uma positividade dançante e contagiante, as vezes esperançosa como em “Lindo Demais”, às vezes alegremente destrutivas e inconsequentes como em “A Rua” - mas sempre libertadoras.
O álbum parece seguir em três caminhos distintos em suas composições: o drama do amor rompido assombrado pelas lembranças – como “Imaturo” e “Me Beija Com Raiva”–, a esperança de alguma luz, e por fim, a aceitação. E é nessa parte que as letras ganham ainda mais poder. Algumas letras tratam de um amor proibido, que passa por provações e precisa se manter às escondidas. Medos e inseguranças se mostram algumas das maiores dificuldades, mas num caminho de compreensão e aceitação dos defeitos, dos erros e dos tropeços em nossa trajetória, como fica claro na lindíssima “Monstros”.
É essa vulnerabilidade que torna o álbum – e o artista – tão bem sucedido. Tendo em vista que o momento musical parece visar numa vida de dramas por traições ou diversão por diversão, “LOBOS” chega conversando de maneira mais franca e realista, expondo sentimentos reais, que conversa com toda uma geração. O álbum tem um apelo jovem muito forte, mas consegue ser maduro e bem produzido, sem ser piegas, repetitivo ou falso.
Jão se mostra um cantor bastante competente – ainda que alguns pontos não me agradem muito (vale lembrar que meu repertório de vozes masculinas é bem baixo, então não tenho muito conhecimento nesse meio), e principalmente nas baladas, sua voz se destaca lindamente, potente e poderosa – como em “Monstros”.
Sonoramente, “LOBOS” é um novo folego na musica pop atual, unindo elementos de vários gêneros diferentes, indo de referencias ao sertanejo e brega até o eletro-pop, usando ate de sintetizadores e moduladores de voz. Há também faixas minimalistas e intimistas, como “Ainda Te Amo”, e faixas mid-tempo com um pouco de referência as batidas do funk melody (talvez) como na faixa título, “Lobos”.
Se mostrando um artista com identidade própria, pronto e com vontade de arriscar em suas criações, e sem medo de ser real e expor sentimentos, “LOBOS” chega para fortalecer ainda mais o cenário pop nacional.

Tracklist:


01. Vou Morrer Sozinho
02. Me Beija Com Raiva
03. Lindo Demais
04. Imaturo
05. Ainda Te Amo
06. A Rua
07. Lobos
08. Eu Quero Ser Como Você
09. Aqui
10. Monstros
11. Fim do Mundo
12. Ressaca

Jão - Vou Morrer Sozinho


Music video by Jão performing Vou Morrer Sozinho. 
© 2018 Head Media, 
Under Exclusive License to Universal Music International

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here

Pages