14 setembro 2018

[Resenha] Os Criminosos de Novembro

Sinopse: O jovem Addison Schacht tem 18 anos de idade e está terminando o ensino médio. Preenchendo o formulário para concorrer a uma vaga na universidade, ele para em uma das perguntas: “Quais são suas maiores qualidades e seus piores defeitos?”. Enquanto pensa na sua trajetória até ali e decide se deve ou não continuar os estudos, o rapaz vai levando a vida, vendendo drogas na escola, arrumando briga com os professores e tentando entender sua relação com a melhor
amiga Digger (eles são só amigos, viu?).
Mas quando Kevin, um colega de turma, é assassinado, Addison decide fazer uma investigação por conta própria. E, quanto mais ele descobre a respeito desse mistério, mais mergulha em questões ocultas de seu próprio passado.

O que eu achei?

Os Criminosos de Novembro foi uma história que criei muita expectativa desde o anúncio da adaptação com Ansel Elgort (o Gus de A Culpa é das Estrelas) e Chloë Grace Moretz (Se Eu Ficar), e primeiro assisti ao longa e posso dizer sai muito frustrado dessa experiência, mas resolvi dar mais uma chance a história quando a editora Planeta anunciou a publicação do livro no Brasil.

 O livro vai contar a história de Addison, um jovem de 18 anos que está na transição de adolescente para a vida adulta com muitas inseguranças, a vida lhe cobrando muito e ele chega no momento de concorrer a uma vaga em uma universidade e para isto ele precisa preencher um formulário que lhe faz questionar sobre seus defeitos e qualidades, e isso lhe faz chegar a uma dúvida que passa pela cabeça de todo mundo: continuar ou não com os estudos?

 Ele tenta levar seus dias normais vendendo drogas na escola e na companhia de sua melhor amiga Digger e tenta assumir uma posição de que não esteja sendo consumido por essa questão. Mas tudo muda quando um colega de classe é assassinado, e isso vai mexer com a cabeça de Addison mais do que tudo e a polícia não dá muita importância ao caso. Querendo respostas e sedento por justiça, ele vai iniciar uma investigação por conta própria ao lado se sua melhor amiga e será uma jornada que vai mexer ainda mais com ele quando descobre que muito de seu passado estará no futuro de sua investigação.

 O livro possui uma boa premissa, mas em alguns aspectos falha bastante. Primeiramente por sua escrita em primeira pessoa, é algo pessoal, livros nesse formato são bem mais difíceis de fluir do que em uma narrativa em terceira pessoa, mas caso você prefira observar apenas de um ponto de vista pode ser que você goste ainda mais da história. Vale ressaltar que a mesma tem seus elementos que tornam a leitura empolgante, mas no geral a trama em si não é muito surpreendente. Addison tem o péssimo problema de protagonista que toma decisões idiotas e é algo que me tirou do sério em momentos. Em contrapartida pode-se dizer que o livro acerta com seus momentos dramáticos. Tratando de adolescentes com inseguranças e pior ainda por carregar traumas, Sam Munson reúne um conjunto de fatores como racismo, ansiedade e como é a cabeça do jovem ao lidar com frustrações e o autor ainda acrescenta uma dose de humor negro que da um tom muito bom a toda a história.

 Os Criminosos de Novembro é uma leitura que pode ser um pouco complexa, mas pode ser uma boa experiência se você não se deixar levar por expectativas, ainda mais por ser o romance de estreia do autor.


Por Leonardo Alves

Nenhum comentário

Postar um comentário