04 setembro 2018

[Programação] Teatro da semana de 4 a 11 de setembro

    Confira a programação de teatro da semana de 4 a 11 de setembro no RJ:


O show das princesas, apresentação única, dia 7 de setembro, às 16h. 70 a inteira e 35 a meia.

As clássicas Princesas dos contos de fadas: Cinderela, Branca de Neve e Bela Adormecida estão reunindo todas as princesas em um único show! Mas suas respectivas vilãs pretendem fazer uma participação especial quê irá surpreender a todos. Enquanto as três vão recrutando as mais variadas princesas, passando por diversos contos, as vilãs Rainha Má, Malévola e as irmãs Anastácia e Drizela pretendem atrapalhar o show.
Personagens irreverentes trazem muito humor ao espetáculo, recheado de números musicais e interação com a plateia.


  Beatles num céu de diamantes, quartas e quintas às 21h,até 18 de outubro, 80 a inteira e 40 a meia.


Completando 10 anos de sucesso, o espetáculo musical ‘Beatles Num Céu de Diamantes’ realiza uma temporada comemorativa na reinauguração do Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea.
O aclamado e premiado ‘Beatles Num Céu de Diamantes’, da dupla Charles Möeller & Claudio Botelho, é um fenômeno teatral. Em cartaz desde 2008, o espetáculo já foi visto por mais de 700 mil espectadores em 16 (dezesseis) temporadas, com apresentações no Rio e São Paulo, em turnês por diversas cidades do Brasil e no exterior, em Lyon, na França.
céu de diamantes’ é uma revista musical com a obra dos Beatles. Sem exatamente um enredo único, mas apontando diversas pequenas histórias e situações interpretadas a cada canção, o espetáculo traz clássicos e músicas ‘lados b’ do mítico grupo inglês. É um passeio da dupla Möeller & Botelho por um dos repertórios mais ricos da música popular mundial, criado na década de 60.
No palco, oito atores-cantores, acompanhados por três músicos em instrumentos como piano, violoncelo, violão, ukulele e percussão, apresentam uma teatral e emocionante visão sobre a mais forte invenção da música popular nos últimos 50 anos: a obra dos Beatles.

Com poucos recursos cênicos, e sem texto propriamente dito, a música é a grande protagonista do espetáculo, com suas letras originais em inglês. As canções são rearranjadas para a linguagem do teatro musical e agrupadas em temas como o sonho, a fuga, a descoberta, os encontros, a decepção, o amadurecimento e a volta. Não há um único número no estilo “cover de Beatles”, não vemos uma biografia do grupo, e sim uma viagem pelas canções e o que elas trazem ao nosso imaginário.

   Cinderela... de gato e sapato, sábados, domingos e feriados às 16h, 60 reais a inteira e 30 a meia.Até 28 de outubro.

Com texto de Alessandro Dovalle e supervisão de direção de Anacleto Carindé, “Cinderela… de gato e sapato” é uma comédia musical, que conta a história de Cinderela, uma jovem que vive como empregada em sua própria residência e sofre com as maldades de sua madrasta Crezilda Bateau Mouche e de suas irmãs Florípedes e Acácia. Sonhadora, Cinderela mantém vivo o desejo de encontrar o seu príncipe encantado e se tornar uma Princesa.
No castelo, o rei está cansado do reinado e decide entregar a coroa ao herdeiro do trono. Mas, para assumir, Derick precisa se casar e conta com a ajuda do Ministro Nicolau, autor da ideia de fazer um grande baile e convocar todas as moças solteiras do Reino.
Após receberem o convite, Crezilda e suas filhas impedem que Cinderela vá ao palácio, deixando a gata borralheira sozinha em casa. Nesse momento, sua fada madrinha aparece e, num passe de mágica, a transforma em uma linda princesa. Antes de sair, Cinderela é alertada de que o encanto só vai durar até meia-noite. No palácio, Cinderela dança com o Príncipe, que fica encantado com sua beleza. Ao soar dos sinos que indicam meia noite, Cinderela foge perdendo um de seus sapatos de cristal. Derick então, faz de tudo para encontrar a dona daquele lindo sapatinho misterioso.

Tô de graça, sextas e sábados ás 21h e domingos ás 20h, 80 a inteira e 40 a meia. Até 2 de dezembro.


Um dos maiores êxitos do canal Multishow em 2017, faz sua estreia no Teatro das Artes, com texto e direção de Rodrigo San’tanna.
Graça (Rodrigo San’tanna) é uma pedinte e catadora de lata que tem a missão diária de sustentar e administrar as confusões de um marido eternamente desempregado e dos seus treze filhos.
É sobre essa personagem tão comum, e ao mesmo tempo invisível à sociedade, que a história de “Tô de Graça”, já aclamada na TV à cabo, chega aos palcos cariocas.
A trama se desenrola com a notícia que a favela onde Graça vive, será o cenário para a gravação do videoclipe de um artista famoso. Isso causará um alvoroço na família e perturbação à nossa anti- heroína, que acha um desfrute a execução desse evento num lugar tão desassistido.
E é nesse ponto que mora a intrínseca crítica social, pois a comunidade se mostra um lugar carente de apoio e infraestrutura para os nativos, porém, extremamente romantizada aos olhos do turista e da mídia.
Além do texto hilário e escrachado, típico do ator/criador, a peça traz uma realidade delicada sobre a vida em locais tão precários; resultado de uma construção elaborada nas próprias vivencias de San’tanna.
Outro ponto forte da obra, é o poder de cativar o público, ao retratar a força dos laços e conflitos familiares da nossa sociedade. Um vasto material de afeição coletiva.
A ideia de levar o riso para o teatro, se deu justamente pelo índice de audiência em 2017. Sendo um dos programas mais vistos do referido canal. A aceitação e admiração do público pelo programa, promoveu Graça a um dos personagens mais populares do comediante, transformando o universo desse pequeno barraco, numa dimensão de novas possibilidades.
A peça conta também com Isabelle Marques (Brit), Andy Gercker (Maico) e Evelyn Castro (Marraia) representando todo o brilhante elenco do programa.

Tô de Graça já é um sucesso em todo país e essa nova roupagem trará uma grande história, cheia de situações surpreendentemente cômicas, um show de improviso e diversão garantida.

                          Teatro Bradesco:
  Piaf! O show com Nathalie Lermite, apresentação única dia 11 de setembro às 21h. De 50 a 180 reais.

Um show grandioso com canções maravilhosamente interpretadas, celebrando a vida e música da lendária Edit Piaf. Com mais de 300 apresentações em 50 países, Piaf! O Show já foi assistido por um milhão de espectadores.
O espetáculo narra a história da carreira da cantora parisiense através de suas canções inesquecíveis, complementadas por uma cenografia original e projeções fotográficas inéditas, além de imagens de famosos locais parisienses da era Edith Piaf.

Concebido e dirigido por Gil Marsalla e estrelado por Nathalie Lermitte, referência no cenário musical francês.


  Thiago Ventura,dia 6 de setembro ás 17, 19:30 e 22h.De 60 a 100 reais.

Em seu segundo show solo 'Só Agradece', Thiago Ventura faz piadas e conta histórias engraçadas sobre os seus últimos anos como comediante de stand up. Do início da carreira até a recente turnê, além de momentos da vida pessoal e viagens internacionais, sempre com seu inconfundível estilo da quebrada.
Administrador de empresas e ex-bancário, Thiago Ventura se dedica à comédia stand up desde 2010. Está em cartaz desde de maio de 2016 em São Paulo com o show solo “Isso é tudo que eu tenho“, no Teatro Shopping Frei Caneca. Fenômeno de público e crítica por onde passa, já participou dos maiores festivais de comédia do Brasil, entre eles o palco de comédia stand up da Virada Cultural Paulistana, Risadaria e Festival de Férias. Fez shows para os brasileiros no Japão, Estados Unidos e Dublin. Faz parte do elenco do Comedians Club, a principal casa de comédia do país.

O frenético Dancin´Days, dia 7 às 21h, dia 8 às 17 e 21h e dia 9 às 18h. De 75 a 160 reais.

Asas abertas, feras soltas, o Rio de Janeiro era uma festa. E não havia lugar mais adequado para celebrar do que o Frenetic Dancing´Days Discotheque, boate idealizada pelos amigos Nelson Motta, Scarlet Moon, Leonardo Netto, Dom Pepe e Djalma. E por que não resgatar esse tempo quando o carioca era feliz e sabia? Os dias de alegria estão de volta!
Ao lado de Patrícia Andrade, o próprio Nelson Motta assina a história de ‘O Frenético Dancin' Days’. O musical marca a estreia da coreógrafa e bailarina Deborah Colker na direção de um espetáculo teatral, com realização das Irmãs Motta e Opus e direção de produção de Joana Motta.
O musical será uma superprodução, com 17 atores e sete bailarinos, escolhidos através de audições, à exceção de Stella Miranda, uma das mais importantes atrizes de musicais do país, que foi convidada especialmente para o projeto. Além de Stella, que interpreta Dona Dayse, o elenco é formado por: Ariane Souza (Madalena), Bruno Fraga (Nelson Motta), Cadu Fávero (Djalma), Franco Kuster (Léo Netto), Gabriel Manita (Inácio/Catarino), Karine Barros (coro/stand in feminino), Larissa Venturini (Scarlet), Natasha Jascalevich (Bárbara), Thadeu Matos (Tony Manero), além das Frenéticas: Carol Rangel (Edyr de Castro), Ester Freitas (Dhu Moraes), Ingrid Gaigher (Lidoca), Julia Gorman (Regina Chaves), Larissa Carneiro (Leiloca) e Ludmila Brandão (Sandra Pêra).
Deborah Colker (que acaba de ser premiada na Rússia com o Prix Benois de la Danse, considerado o Oscar da Dança) assina também as coreografias e terá ao seu lado uma ficha técnica de peso: Gringo Cardia (cenários), Maneco Quinderé (designer de luz) e Alexandre Elias (direção musical). Passarão pelo palco os principais personagens que marcaram não apenas a história da boate, mas da cultura nacional.
A noite carioca fervia nos anos 70, quando a casa foi criada para inaugurar também o Shopping da Gávea. A cena disco estava explodindo em Nova York, mas ainda não tinha acontecido no Brasil. O Dancin´Days foi inaugurado em 05 de agosto de 1976 e marcou a chegada da discoteca no país. Lady Zu, Banda Black in Rio, Tim Maia, a pista da boate fervia. Na casa, se apresentaram nomes como Rita Lee (ainda com o Tutti-Frutti), Raul Seixas, Gilberto Gil.
Entretanto, nada causou tanta sensação quanto o surgimento das Frenéticas. Contratadas inicialmente como garçonetes, elas também faziam uma breve apresentação durante a madrugada. O sucesso foi imediato: Leiloca, Sandra Pera, Lidoca, Edyr, Dhu Moraes e Regina Chaves logo abandonaram as bandejas e assumiram os holofotes. Elas foram o primeiro grupo contratado da multinacional Warner, que estava aportando no Brasil. O país inteiro cantou ‘Dancin´Days’, ‘Perigosa’, ‘O Preto que satisfaz’ (abertura da novela ‘Feijão Maravilha’, da TV Globo), entre tantas outras.
A boate funcionou por apenas quatro meses, pois o contrato era limitado ao período que antecedia a abertura do Teatro dos Quatro. Ela celebrava um Rio e um país que conseguiam ser livres, apesar da ditadura militar. A casa reunia famosos e anônimos, hippies e comunistas, todas as tribos com o único objetivo de celebrar a vida. O sucesso foi tamanho que a casa foi reaberta no Morro da Urca e inspirou a novela ‘Dancin´ Days’, de Gilberto Braga, que tinha a música homônima das Frenéticas como tema de abertura. O país inteirou caiu na gandaia e entrou na festa.
E é justamente esta festa que estará de volta a partir de agosto. O espetáculo relembrará grandes clássicos da discoteca como ‘I love the nightlife’, ‘You make me feel might real’, ‘We are Family’, ‘Y.M.C.A’, ‘Stayin´alive’, além de clássicos das Frenéticas e grandes sucessos nacionais da época, como ‘Marrom Glacê’ e ‘A noite vai chegar’, entre outros. O Rio de Janeiro voltará a sorrir!

  Obs: as apresentações de Júlio Cocielo nos dias 3, 4 e 5 de setembro foram canceladas. Para reembolsos, entre em contato com o teatro.

                        SESC Copacabana:
O Sesc Copacabana recebe “O condomínio”, uma comédia de humor negro, que fala sobre desconfiança, intolerância e radicalismos da sociedade brasileira atual. Em cartaz entre 6 a 30 de setembro, a peça tem como cenário o condomínio de um tradicional prédio, na Copacabana dos anos 40. Uma trama policial onde os latidos de um cachorro colocam todos os moradores em cheque. A peça é escrita pelo premiado dramaturgo Pedro Brício, que divide a direção com Alcemar Vieira, a direção de produção é de Claudia Marques e o elenco composto por Pedroca Monteiro e Sávio Moll. As apresentações, no Mezanino do Sesc Copacabana, acontecem de quinta a sábado, às 21h e domingo, às 20h. Durante a temporada, a cada noite, um ator ou atriz convidado vai participar da peça, interpretando um dos personagens.
Serviço
Local: Mezanino do Sesc Copacabana

Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, Rio de Janeiro
Informações: (21) 2547-0156
Temporada: 6 a 30 de setembro de 2018, quinta a sábado, às 21h e domingo, às 20h
Ingresso: grátis (PCG), R$ 7,50 (associados Sesc), R$ 15,00 (estudantes e idosos) e R$ 30,00 (inteira).
Funcionamento da bilheteria: 2ª das 9h às 17h; de 3ª a 6ª das 9h às 21h; sábados das 13h às 21h; domingos e feriados das 13h às 20h
Capacidade de público: 70 lugares
Duração: 70 minutos
Classificação: 12 anos

     Procópio, quinta, sexta e sábado às 20:30 e domingo às 19h, 14 anos, grátis para PCG,7,50 para habilitado SESC, 15 a meia e 30 a inteira.

Um futuro marcado por um decreto, que afeta a vida dos moradores de uma praça. Dois homens em fuga ocupam um lugar abandonado, em ruínas. O convívio forçado, aos poucos revela com humor e poesia a história desses dois homens e a dureza dos novos tempos. Com dramaturgia de Carla Faour, e direção de Dani Barros, Procópio é o segundo espetáculo da dupla de atores e produtores Kadu Garcia e Paulo Giannini, que em 2014 estrearam o premiado espetáculo Galápagos.
                        
                  Trajetória sexual

X conta suas primeiras experiências sexuais. Entre elas: o sexo com o melhor amigo, com desconhecidos, com a ex-namorada, com a amiga transgênero, o fisting, em estados variados de  consciência, em lugares públicos e o sexo com amor. Com Álamo Facó.
Serviço
Local: Sala Multiuso do Sesc Copacabana.
Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, Rio de Janeiro.
Informações: (21) 2547-0156.
Temporada: 6 a 30 de setembro de 2018, quinta a sábado, às 19h e domingo, às 18h.
Ingresso: grátis (PCG), R$ 7,50 (associados Sesc), R$ 15,00 (estudantes e idosos) e R$ 30,00 (inteira).
Funcionamento da bilheteria: 2ª das 9h às 17h; de 3ª a 6ª das 9h às 21h; sábados das 13h às 21h; domingos e feriados das 13h às 20h.
Duração: 70 minutos.
Não recomendado para menores de 18 anos.



Nenhum comentário

Postar um comentário