Novidades

[Crítica] Os Arrependidos

Sinopse: Em 1970, auge da repressão pela ditadura militar, cinco guerrilheiros presos vieram a público renegar a luta armada e elogiar o regime. Com a repercussão das declarações, o governo resolveu transformar as retratações em prática de Estado. Passou a torturar opositores para que fizessem o mea-culpa. Até 1975, cerca de quarenta presos participaram dos “arrependimentos”, como ficaram conhecidos. Os Arrependidos reconta a história pouco lembrada de ex-militantes que, muito jovens, largaram tudo para arriscar a vida por uma causa, foram presos e torturados, e viraram arma de propaganda de seus inimigos. Estreia mundial.

O que achei? Os Arrependidos, quinto longa de Ricardo Calil com nova parceria do jornalista Armando Antenore, é um dos documentários que fazem parte do 26º Festival É Tudo Verdade.

O documentário alterna entre registros audiovisuais dos guerrilheiros em entrevistas à telejornais da época, entrevistas atuais com alguns dos ex-guerrilheiros e seus parentes. Também é mostrado propagandas ufanistas da época, como exemplo de outra tática do regime militar de idolatria ao país e ao governo.

Vários jovens guerrilheiros foram capturados pelo regime militar e quarenta deles aceitaram renegar o movimento de luta armada contra a ditadura após sessões de tortura e foram usados como propaganda pelo governo para inibir esses movimentos de resistência.

Os momentos mais comoventes do longa foram sobre Massafumi Yoshinaga, que foi o garoto-propaganda da campanha do regime militar de combate aos guerrilheiros que eram chamados de terroristas, e que teve um final trágico, e a leitura da carta de Manuel Henrique Ferreira, falecido em 2014, pela sua esposa Graça Lago e sua filha Manuela Werneck Ferreira, que ele escreveu durante o seu cárcere, expondo a farsa da ditadura em relação aos arrependidos.

Os Arrependidos faz um resgate de uma história esquecida e não muito conhecida de um período conturbado da sociedade e política brasileira. E, em um momento onde uma parcela dessa mesma sociedade trata como mito um presidente defensor da ditadura e seus torturadores e que ficam pedindo pela volta da mesma, esse documentário se mostra mais do que necessário para que o que a ditadura fez e representa não fique esquecido jamais. 


Direção: Ricardo Calil, Armando Antenore. Brasil. 
 
74 min.

Idioma: português. 
 
Classificação indicativa: livre 
 
Trailer:
 

 Escrito por Michelle Araújo Silva



 
 

Nenhum comentário