03 novembro 2017

[Resenha] Meu vício depois do amor

“A cocaína foi o pior vício do Maycon, e ele, meu pior vício. Amá-lo é aquela mistura de dor e prazer. Olho em seus olhos, ambos estão machucados, nós nos machucamos e as feridas ainda estão sangrando, posso ver isso bem claro. Mas o destino resolveu brincar conosco, ele fez duas pessoas improváveis se amarem e aqui estamos nós, cheios de razões e com orgulho ferido, mas engolindo tudo com uma dose alta de prazer. Parece insano, nos acostumamos à dor, e por mais que eu queria correr, nunca dou de fato um passo para longe dele” Nessa sequência, a luta ainda é obscura e velhos fantasmas perseguem Maycon. Eles estão casados e têm um filho. Além de enfrentarem os problemas diários do casamento, tem a abstinência do Maycon e a insegurança da Elena. Eles se amam e apesar de toda a loucura, isso é algo notório. Mas Maycon, na falta da droga, se vê atormentado pelos demônios do passado. Meu vício - depois do amor, traz o enredo e dramas do primeiro livro, contudo revela um amadurecimento necessário para o casal que se encontra em situações complexas e lutam para se manterem unidos. Será que continuaremos a presenciar os milagres do amor?

O que eu Achei:

Depois de me frustrar com a inocência (e estupidez) da protagonista no primeiro livro, comecei a leitura deste volume esperando mudanças, queria que a personagem virasse a mesa, largasse de ser a boboca completamente manipulável e tomasse as rédeas da própria vida e da vida do filho , afinal todos sempre deram palpite na vida do garoto e ela não fazia nada, então dois anos depois e agora casada esperava uma Elena muito mais segura de si, mas infelizmente não foi o que aconteceu.
Maycon começa o livro atormentado pelo passado. A morte de Robert, que praticamente passou despercebida no livro anterior,agora se mostra um verdadeiro fardo para ele, que se culpa pela morte do amigo, e quando finalmente se abre sobre o assunto com Elena, ela o sufoca com julgamentos, principalmente por ele confessar que ainda sente falta da cocaína. Ok, emtendo o lado da Elena, juro que entendo, mas a falação dela me stressa, sério, depois de dois anos, ela ainda esperava uma vida fácil, e sem batalhas com o antigo vício de Maycon?! Ah, e pra piorar tudo ainda somos apresentados a uma nova personagem,que só serviu para acrescentar ciúmes nesta relação já tão caótica.
Elena neste livro está mais livre das manipulações de Maycon e de sua sogra abominável, porém pra compensar ela está a mercê de sua nova amiga, madrasta de Maycon, e como um não gosta do outro, esta influencia sob o relacionamento não dará bons frutos, mas é graças a isso que ela ganha um pouco mais de força na história (ainda não foi o suficiente para eu gostar dela),e finalmente impõe alguma coisa e toma decisões para o futuro.
O ponto mais positivo dessa história é a realidade sobre o relacionamento com um dependente, ou ex, dependente químico, as lutas diárias travadas e como o amor é importante nesta batalha. No mais, a protagonista não conseguiu me conquistar, ingênua demais no primeiro e insegura demais neste, em vários momentos entendo o lado dela mas a falta de atitude foi demais para que eu aguentasse. Não tenho mais estruturas para ler sobre protagonistas fracas e que não crescem ao longo da sua jornada.


3 comentários

  1. Olá! A história parece ser bem forte, gosto de livros que acabam mostrando um pouco da realidade, do que acontece no nosso dia-a-dia, acho super válido tratar um tema tão rotineiro em nossas vidas, que é a recuperação em relação ao vício em drogas, mas muitas vezes varrido para debaixo do tapete sem que haja um debate. Fico decepcionada em saber que a mocinha não é tão forte assim e muitas vezes, pode ser tachada de chata, mas sem dúvida é um livro que estará na minha lista.

    ResponderExcluir
  2. WOW! Esse livro não entrará para a lista. Achei a história com sentimentos pesados e acertou meu coração só com a sinopse. E após ler a resenha... sinto que terei a mesma opinião. Personagens fracas e manipuláveis me irritam.

    ResponderExcluir
  3. Oi Nayara.
    Não fiquei com nenhuma vontade de ler esse livro.
    Acho que uma das coisas mais desanimadoras é ver um personagem não amadurecer frente as situações. Elena parece uma personagem tão boba.
    Bjs

    ResponderExcluir