30 outubro 2017

[Resenha] Meu Vício

Meu VícioElena Tyner é uma garota comum de dezenove anos que cursa psicologia. Devido a uma criação tradicional, assim como a sociedade em sua maioria, ela possui preceitos e preconceitos contra usuários de drogas, passando até ter repúdio pelos mesmos. Mas tudo muda quando ela faz uma entrevista com um usuário, se envolve e passa a ver o outro lado da história. Nesse drama é relatado de forma clara e espontânea a amarga experiência que é conviver, amar, e presenciar uma pessoa entregar sua vida para as drogas... Um caminho obscuro e muitas vezes sem volta...
Falar sobre dependência química é muito forte, muito atual e de suma importância. Mostrar todo sofrimento do dependente e de todos ao redor de forma tão realista e interessante, faz com que a gente vivencie o sofrimento junto com Maycon e Elena. E sinta o amor surgindo no meio das trevas, da dúvida. Um amor puro e sincero, porém não aceito.
O que eu Achei:
Depois de me encantar com o livro “batidas perdidas” da autora Bianca Briones, o assunto dependente químico deixou de ser um tabu e se mostrou um tema rico em possibilidades e que pode render uma linda história de amor. Então fiquei bem empolgada quando vi a capa e li a sinopse de “Meu Vício” da autora Kell Teixeira. A história se mostra bela, porém em alguns pontos a protagonista se mostra uma verdadeira mala, talvez pela ingenuidade de menina certinha, mas por toda a sua chatice tive uma grande dificuldade em me conectar com o livro.
Em “Meu Vício”, vamos conhecer Elena, uma jovem estudante de psicologia, que por ter que fazer um trabalho da faculdade acaba entrevistando Maycon Sebastian, o filhinho de papai, viciado assumido do campus, porém basta se encontrarem pessoalmente para a conexão acontecer, a química entre eles é inegável, os dois até tentam negar essa atração mútua, mas depois do Maycon aceitar ir com calma com Elena, eles ficam livres para viver seu amor, aí começam os problemas...
Bom, no primeiro encontro ela o questiona se está resfriado, já que ele não para de coçar o nariz, tipo, QUAL É O SEU PROBLEMA GAROTA??!Ele é viciado em cocaína e você sabe disso, pois ele mesmo não faz a mínima questão de esconder, então foi muita ingenuidade para que eu engolisse, desculpa aí, mas eu precisava desabafar sobre essa cena!
Elena com muito custo, e brigas, convence Maycon a se internar em uma clínica para dependentes, mas se eu já a achava chata antes, ela consegue ficar pior, eu até a entendo em certo ponto, ter um namorado tentando superar o vício, com altas crises de abstinência, e ainda por cima te culpando por ter sido o motivo dele estar ali não deve ser fácil, porém nessas horas o cara não precisa de ninguém ali julgando-o, né? Também não precisa ser tão permissiva quanto a mãe dele é, ô mulherzinha insuportável essa!


Tirando a Elena a história foi muito bem construída, mostra a realidade de um viciado, como ele se sente ao usar a droga, pensa que nada mais no mundo o fará se sentir daquela maneira, sem contar o fator preconceitos das pessoas que tudo se resume a uma simples questão de escolha, e a impotência da família diante da situação, e olha que neste caso estamos falando de uma família rica. Meu vício também não traz um final feliz, pois Maycon precisa de um dia de cada vez, e esses dias não são nada fáceis, e estou louca para saber mais sobre esta batalha interna no segundo livro: Meu Vício depois do amor, quem sabe não encontro lá também um amadurecimento da Elena, estou torcendo muito por isso.


Nenhum comentário

Postar um comentário