31 outubro 2017

[Crítica] Uma razão para recomeçar

Ben (Jonathan Patrick Moore) conheceu Ava (Erin Bethea) aos sete anos quando ela estava de pé na entrada de sua garagem. À medida que o tempo passa, os dois viajam juntos através das estações da vida, até que ocorre uma tragédia que deixa todo o seu futuro em perigo.

O que eu achei?
Ben trabalha no escritório de arquitetura com seu pai, enquanto estuda e também trabalha como motorista de limousine, apenas com o intuito de ganhar dinheiro.
Ava estuda e namora Ben desde o colegial, sempre soube que ele era o homem de sua vida, mas fica estremecida quando um novo aluno surge e tenta paquerá-la.

Ava e Ben se amam e óbvio desde a primeira cena, mas quase não encontram tempo de ficarem juntos e após uma discussão decidem dar um tempo. No dia seguinte ambos percebem que não conseguem ficar longe um do outro e voltam. Esse medo de perder que ambos sentem, faz com que o relacionamento deles torne- se cada vez mais intenso e logo se casam.
O casal é incrível juntos, tem química, amor e tesão ali. Mas faltava algo para suas vidas. Ben era arquiteto e Ava era professora primária, ambos eram felizes em suas vidas e desejam ter um filho, afinal tudo era tão perfeito. O que eles não contavam é que teriam dificuldades para gerar uma criança, e começam a planejar até mesmo o dia certo para tentar fazer um filho. 

Passa- se algum tempo e enfim o casal consegue engravidar, ao mesmo tempo a melhor amiga de Ava também engravida, completando a felicidade do casal. Quando de repente o destino decide mudar e atrapalhar os planos do casal e Ava perde o bebê, mas quando eu achava que nada podia ser pior... tudo se torna pior e Ava é diagnosticada com câncer.
A partir daí tudo o que eu escrever é spoiler, mas acredite em mim: VOCÊ IRÁ AMAR ESSE CASAL! Irá torcer do início ao fim para que tudo dê certo. O filme é sensível, repleto de cenas inesquecíveis e que te fará se emocionar, leve lenço de papel para o cinema e prepare-se para chorar!

O filme estreia dia 19 de outubro, então procurem correr pro cinema.


Nenhum comentário

Postar um comentário