28 novembro 2018

[News] Mostra de Cinema Polonês de 8 a 5 de dezembro na Cinemateca


De 08 a 15 de dezembro, a Cinemateca Brasileira exibe oito títulos poloneses em mostra que faz parte da celebração mundial do centenário da reconquista da independência da Polônia. Os filmes, que já passaram pela Europa, América do Norte, Ásia e Oceania, chegam ao país possibilitando ao público brasileiro conhecer um pouco do cinema histórico polonês.
A seleção traz um amplo olhar temático e diversidade de estéticas, percorrendo períodos históricos, a partir do ponto de vista de diferentes gerações. As obras podem ser divididas em três épocas: a Polônia sob as partições, a Segunda Guerra Mundial e a República Popular da Polônia comunista.

O espectador vai entender que a arte cinematográfica serviu como forma de protesto e foi crucial na luta pela independência da Polônia. O filme “Cinzas e Diamantes” (1958), de Andrzej Wajda, é um verdadeiro marco do cinema polonês e usa uma linguagem artística cheia de símbolos e metáforas para conseguir driblar a censura. O “O Homem de Mármore” (1976), outro longa de Wajda, é um exemplo de cinema político e rebelde, retratando sem medo a realidade do regime socialista. A indicação ao Oscar recebida por “Terra Prometida” (1974), também de Wajda, e por “Dias e Noites”, de Jerzy Antczak (1975), comprovam o valor do cinema polonês do período. O primeiro filme conta a história de três amigos na Polônia industrial do final do século XIX, que sonham em montar uma fábrica de tecidos para fazer fortuna, enquanto o segundo narra, do ponto de vista feminino, a vida de uma típica família da burguesia polonesa entre 1863 e 1914.

Os dois longas que tratam da Segunda Guerra Mundial, “O Pianista” (2002), de Roman Polanski, e “Volínia”, de Wojtek Smarzowski (2016), não poderiam ter sido filmados antes da queda do muro de Berlim, pois seus temas eram tabus durante o período da República Popular da Polônia. A história dos judeus durante a guerra era um tema proibido e o massacre na Volínia até hoje desperta controvérsias.

“Varsóvia 44”, de Jan Komasa, conta a história do Levante de Varsóvia, da resistência da juventude e dos sacrifícios por seus ideais e pela pátria, em uma produção cinematográfica moderna. O mais recente título da Mostra, “Guerra Fria” (2018), de Paweł Pawlikowski, melhor direção em Cannes deste ano, conta a história de um amor impossível, nos tempos difíceis da década de 1950, com ritmos de música e sofisticadas cenas de dança folclórica ao fundo.

Michalina Łabacz – bio
Nascida em 1992, Michalina Łabacz é formada pela  Aleksander Zelwerowicz National Academy of Dramatic Art em Varsóvia e é considerada uma das mais talentosas atrizes polonesas da nova geração. Estreou no cinema em Volhynia, dirigido por Wojtek Smarzowski, pelo qual ganhou diversos prêmios.
Em 2016 ela recebeu o prêmio de Melhor Atriz Iniciante no Gdynia Film Festival. Em 2017, foi premiada com o  Jancio Wodnik de Melhor Atuação no National Film Art Festival (Prowincjonalia), em Września, e o de Melhor Atriz no Waterloo Historical Film Festival, na Bélgica.
Por seu papel em Volhynia ela foi indicada no Polish Film Awards – Eagle, nas categorias de Melhor Atriz e Descoberta do Ano.
Ela também participou da segunda temporada de Belfer, como Magda Reiss, e atualmente ela pode ser vista na série de TV Pod powierzchnia, dirigida por Borys Lank.


Mostra do Cinema Polonês – 100 anos da Reconquista da Independência
08 a 15 de dezembro (sábado a sábado)
(dia10, segunda, a Cinemateca não funciona)
  
A entrada é gratuita | retirada de ingressos com uma hora de antecedência
Classificação indicativa: 16 anos
Cinemateca Brasileira | sala BNDES
(Largo Sen. Raul Cardoso, 207 - Vila Clementino)

:: PROGRAMAÇÃO ::

ABERTURA

*Dia 08/12, sábado

20h30 - GUERRA FRIA (Zimna Wojna)

Ficção, romance, 2018, pb, 84 min

Direção: Paweł Pawlikowski

Elenco: Joanna Kulig, Tomasz Kot, Borys Szyc, Agata Kulesza, Cèdric Kahn, Jeanne Balibar

Sinopse: Um músico amante da liberdade e uma jovem cantora com histórias e temperamentos completamente diferentes tem uma convivência muito conturbada, mas também não conseguem viver separados. É uma história de amor nos difíceis anos da Polônia stalinista, passando também por uma Paris boêmia, Berlim e Belgrado.

*Dia 09/12, domingo

17h – O HOMEM DE MÁRMORE (Człowiek z marmuru)

Ficção, drama, 1976, cor, 170 min

Direção: Andrzej Wajda

Elenco: Jerzy Radziwiłowicz, Krystyna Janda, Tadeusz Łomnicki, Jacek Łomnicki

Sinopse: Produzido em um período em que a mídia polonesa era meticulosamente examinada pela censura, O Homem de Mármore é hoje considerado um dos melhores filmes produzido atrás da Cortina de Ferro. Agnieszka, uma estudante de cinema, tenta fazer um documentário, seu trabalho de conclusão de curso, sobre Birkut, um antigo herói do proletariado. Durante um controverso projeto cinematográfico, Agnieszka descobre a verdade amarga sobre Birkut e o sistema como um todo.

20h - VARSÓVIA 44 (Miasto 44)

Ficção, romance, 2014, cor, 122 min

Direção: Jan Komasa

Elenco: Józef Pawłowski, Zofia Wichłacz, Anna Próchniak

Sinopse: Uma história épica sobre juventude, amor, coragem e sacrifício durante o Levante de Varsóvia de 1944 contra a ocupação nazista. Jovens, que sonham com liberdade e têm suas primeiras experiências amorosas, precisam rapidamente amadurecer na cidade sob ocupação alemã. O filme, com um orçamento estratosférico para os padrões poloneses, consegue retratar os acontecimentos da época com surpreendente precisão.

*Dia 11/12, terça-feira

18h - TERRA PROMETIDA (Ziemia obiecana)

Ficção, drama, 1974, cor, 169 min

Direção: Andrzej Wajda

Elenco: Daniel Olbrychski, Wojciech Pszoniak, Andrzej Seweryn

Sinopse: No final do século XIX, a revolução industrial chega à Polônia. Na cidade de Łódź, a Manchester polonesa, a indústria têxtil floresce e três jovens empreendedores desejamfundar sua própria tecelagem. Embora nenhum deles tivesse dinheiro, eles conseguem ganhar um bom dinheiro graças a sua determinação, inteligência e malandragem. Parece que o futuro lhes pertence.


21h15 - CINZAS E DIAMANTES (Popiół i diament)

Ficção, drama, 1958, p/b, 99 min

Direção: Andrzej Wajda

Elenco: Zbigniew Cybulski, Ewa Krzyżewska, Wacław Zastrzeżyński, Adam Pawlikowski, Bogumił Kobiela

Sinopse: No último dia da Segunda Guerra Mundial, Maciek, um jovem soldado do Exército Nacional, recebe ordens para assassinar Szczuka, um líder comunista. Interpretado por Zbigniew Cybulski, o James Dean do cinema polonês, apersonagem é confrontada com mudanças políticas e sociais da época, além de seus próprios dilemas morais. Quando se apaixona pela garçonete Krystyna (Ewa Krzyżewska), cogita depor suas armas e começar a viver uma vida normal.


*Dia 12/12, quarta-feira


18h - NOITES E DIAS (Noce i Dnie)

Ficção, Drama, 1975, cor, 245 min

Direção: Jerzy Antczak

Elenco: Jadwiga Barańska , Jerzy Bińczycki, Emir Buczacki, Stanisława Celińska,

Władysław Hańcza

Sinopse: Uma linda história sobre o amor, contada a partir de umponto de vista feminino,em meio às transformações sociais na Polônia entre 1865 e 1914. O filmese passa na região de Kalisz, após o fracasso do Levante de Janeiro de 1863, e apresenta uma imagem única de uma sociedade oprimida, da vida no exílio e do confisco da propriedade privada através das histórias de amor e luta da família Niechcic. Um campeão de bilheterias dirigido por Jerzy Antczak e descrito pelo jornal Washington Post como o E o Vento Levoupolonês, destaca-se pelos cenários belíssimos e pela esplêndida reconstrução histórica.

*Dia 13/12, quinta-feira


17h - O PIANISTA (Pianista)

Ficção, drama, 2002, cor, 142 min

Direção: Roman Polański

Elenco: Adrien Brody, Thomas Kretschmann, Frank Finlay

Sinopse: O filme ganhador de 3 Oscarsé uma adaptação das memórias de Władysław Szpilman (Adrien Brody), famoso pianista judeu-polonês, escritas durante a Segunda Guerra Mundial. Após ser forçado a morar no gueto de Varsóvia com sua família, Szpilmanescapa por um triz da deportação para o campo de concentração e milagrosamente sobrevive no gueto, lutando pela vida após ser separado para sempre daqueles que amava. Ao final, ele recupera seus talentos musicais e confronta seus medos e, graças ao estoicismo e a seus dotes musicais, consegue encontrar a salvação.

20h - VOLÍNIA (Wołyń) – sessão seguida de debate com a atriz Michalina Łabacz

Ficção, drama, 2016, cor, 149 min

Direção: Wojciech Smarzowski

Elenco: Michalina Łabacz, Arkadiusz Jakubik, Vasili Vasylyk

Sinopse: Volínia é uma região localizada no extremo leste da Polôniaantes da Segunda Guerra Mundial e que hoje pertence à Ucrânia.A vida dos habitantes poloneses, ucranianos e judeus mudará com a guerra, primeiro pela ocupação soviética e depois pelo exército nazista. Zosia Głowacka, uma jovem polonesa apaixonada porum ucraniano, será forçada a se casar com um fazendeiro rico, MaciejSkiba, masessa não será a sua única infelicidade. No meio dos conflitos sangrentos, ela precisará também lutar pela própria vida.

*Dia 14/12, sexta-feira

18h - GUERRA FRIA (Zimna Wojna)

Ficção, romance, 2018, pb, 84 min

Direção: Paweł Pawlikowski

Elenco: Joanna Kulig, Tomasz Kot, Borys Szyc, Agata Kulesza, Cèdric Kahn, Jeanne Balibar

Sinopse: Um músico amante da liberdade e uma jovem cantora com histórias e temperamentos completamente diferentes tem uma convivência muito conturbada, mas também não conseguem viver separados. É uma história de amor nos difíceis anos da Polônia stalinista, passando também por uma Paris boêmia, Berlim e Belgrado.

*Dia 15/12, sábado

16h - NOITES E DIAS (Noce i Dnie)

Ficção, Drama, 1975, cor, 245 min

Direção: Jerzy Antczak

Elenco: Jadwiga Barańska , Jerzy Bińczycki, Emir Buczacki, Stanisława Celińska,

Władysław Hańcza

Sinopse: Uma linda história sobre o amor, contada a partir de umponto de vista feminino,em meio às transformações sociais na Polônia entre 1865 e 1914. O filmese passa na região de Kalisz, após o fracasso do Levante de Janeiro de 1863, e apresenta uma imagem única de uma sociedade oprimida, da vida no exílio e do confisco da propriedade privada através das histórias de amor e luta da família Niechcic. Um campeão de bilheterias dirigido por Jerzy Antczak e descrito pelo jornal Washington Post como o E o Vento Levoupolonês, destaca-se pelos cenários belíssimos e pela esplêndida reconstrução histórica.


21h15 – O HOMEM DE MÁRMORE (Człowiek z marmuru)

Ficção, drama, 1976, cor, 170 min

Direção: Andrzej Wajda

Elenco: Jerzy Radziwiłowicz, Krystyna Janda, Tadeusz Łomnicki, Jacek Łomnicki

Sinopse: Produzido em um período em que a mídia polonesa era meticulosamente examinada pela censura, O Homem de Mármore é hoje considerado um dos melhores filmes produzido atrás da Cortina de Ferro. Agnieszka, uma estudante de cinema, tenta fazer um documentário, seu trabalho de conclusão de curso, sobre Birkut, um antigo herói do proletariado. Durante um controverso projeto cinematográfico, Agnieszka descobre a verdade amarga sobre Birkut e o sistema como um todo.


Nenhum comentário

Postar um comentário