27 março 2018

[Crítica] Jogador Número 1

SinopseNum futuro distópico, em 2044, Wade Watts (Tye Sheridan), como o resto da humanidade, prefere a realidade virtual do jogo OASIS ao mundo real. Quando o criador do jogo, o excêntrico James Halliday (Mark Rylance) morre, os jogadores devem descobrir a chave de um quebra-cabeça diabólico para conquistar sua fortuna inestimável. Para vencer, porém, Watts terá de abandonar a existência virtual e ceder a uma vida de amor e realidade da qual sempre tentou fugir.
O que eu achei?
Eu estou sem palavras, ou melhor se existe uma palavra para definir como estou é emocionada.
Jogador Número 1 conseguiu sintetizar, absolutamente tudo que eu mais esperava desta história.
Não tem nada a ver com o Livro, e daí!?
O longa vai muito além, traz para a tela grande tudo que o público Nerd mais ama.

Definitivamente um dos Blockbusters mais relevantes na história dos trabalhos já feitos por Steven Spielberg, #JogadorN1 consegue conversar com todas as faixas etárias, agradando todas as gerações.

Uma história que vai muito além de Easter Eggs, que fala sobre amizade, amor e sobre a necessidade de viver mais a realidade, fora do mundo virtual, por mais difícil que possa parecer, o longa te leva a reflexão de como está sua vida "Off Line"!?

Trilha sonora impecável que conversa com a cenas de tirar o fôlego, te prende do início ao fim, personagens carismáticos e vilões bem apresentados que complementam a trama; Jogador Número 1 é sem dúvida um filme pra toda a família, daqueles que daqui alguns anos chamaremos de Clássico. Um Marco da cultura Pop, Apenas!

Trailer:


Por Juliana Brito





Nenhum comentário

Postar um comentário