Novidades

[´News]CAVALOS, monólogo com Alexandre Paz cumpre temporada online e gratuita, aos sábados e domingos de março, a partir do dia 6/3, pelo Sympla, com acessibilidade e legendas

Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro,
Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro,
através da Lei Aldir Blanc apresentam:

 
CAVALOS, monólogo com Alexandre Paz cumpre temporada online
e
gratuita, aos sábados e domingos de março, a partir do dia 6/3,
pelo Sympla, com acessibilidade e le
gendas

Foto divulgação: Thiago Santos
 

“Todo cavalo é selvagem e arisco quando mãos inseguras o tocam.”
Clarice Lispector

 
Espetáculo “Cavalos”, que visa provocar questionamentos sobre a masculinidade através da figura paterna, faz curta temporada online e gratuita partir de 6 de março, sábados e domingos, até 28 de março, pelo Sympla – Zoom, com acessibilidade de libras e legendas. O monólogo estrelado por Alexandre Paz tem direção de Nina da Costa Reis, tem dramaturgia assinada pelo ator e diretora com Pedro Emanuel.
 
Se o cenário do espetáculo é o quarto do personagem, nas oito apresentações online, o quarto do ator recebe o cenário para compor o ambiente desse homem em busca do que é o falocentrismo e em que influi nos homens.  Esse homem que narra a trajetória de todo ser humano em busca dos entendimentos da vida e das relações parentais e afetivas. Com a dramaturgia construída a partir de histórias coletadas, autobiográficas e ficcionais, “Cavalos” encontra na performance de Alexandre Paz a jornada desse filho em busca deste pai, dentro dos estereótipos masculinos construídos pela nossa sociedade - com a música, o humor e a dor que cabem em todos nós.
 
 

"Fazer Cavalos é mergulhar num poço profundo, para através do amor perdoar a própria masculinidade. A partir daí, redescobrir outras formas e fazer prevalecer o afeto, já que a vida é breve e não dura uma eternidade, como dizem por aí... eu, Alexandre, e meu pai, Francisco, só existimos uma única vez. A história é uma só. Qual é a nossa história? E se eu pudesse refazer tudo isso? E você, qual história é a sua?", sugere Alexandre Paz.

 

Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc apresentam o solo teatral que desvenda um homem que procura entender onde está o seu pai e quem é ele. Cavalos provoca o repensar do modelo masculino e as diferentes possibilidades de se reconstruir no mundo.
 


“Refletimos sobre os caminhos que tomamos em sociedade,
em como os padrões de masculinidade influem nas nossas vidas.”,
declara Nina da Costa Reis.

 

Com acessibilidade de libras e legendas, Cavalos conta também com apresentações dirigidas para coletivos e agentes culturais dos municípios de Nova Iguaçú, Niterói e Maricá. Bate-papo e troca de saberes que valorizam o intercâmbio cultural do estado Rio de Janeiro.
 
 

“A busca pelo pai, levantando uma série de questões, sem uma necessária resposta e, acima de tudo, sem medo dos clichês, dão o tom de honestidade e humanidade, que, com devido peso e leveza, proporcionam, a cada um dos presentes, um profundo mergulho, individual, de modo que o espetáculo é, não só um solo na performance do ator, como também um solo na fluição de cada expectador, que têm, cada um, a possibilidade de uma inesperada imersão em sua própria  história”, reflete o ator e diretor Julio Adrião sobre Cavalos.

 

Sinopse Cavalos
Um homem sozinho em seu quarto reflete sobre si mesmo e busca responder perguntas sobre a masculinidade, por meio da sua relação com seu pai. Temas como encontro, ausência, repressão e afeto surgem no universo criativo entre memórias autorais e ficcionais do ator. Narrativas curtas e músicas cantadas num videokê traçam com humor e dor a jornada de um filho que procura desvendar quem é seu pai dentro dos estereótipos masculinos construídos pela nossa sociedade.
 
Mídias digitais:
www.facebook.com/cavalossoloperformatico
instagram.com/cavalosespetaculo
 

Sobre Nina da Costa Reis | Diretora
NINA DA COSTA REIS é atriz, diretora, performer, figurinista e produtora cultural. atuante no cenário artístico carioca desde 2008 vem realizando seus próprios trabalhos. É co-fundadora e idealizadora da ong “Conexão do Bem” e da “Ocupação Ovárias”, indicada ao prêmio Shell 2018. Idealizou e realizou algumas peças e performances, onde trabalhou com os artistas: Marco André Nunes, Jefferson Miranda, Glberto Gawronski, Sergio Fonta e outros. Como figurinista ganhou o prêmio “Glauce com vida” pelo trabalho “O Dote”.
 
Sobre Alexandre Paz | ator
ALEXANDRE PAZ é ator e produtor cultural e vem atuando no mercado cultural há 10 anos. Foi co-criador e integrante do “Limiar Grupo de Teatro” durante cinco anos, realizando espetáculos que circularam por alguns estados do país. em sua trajetória enquanto ator trabalhou com alguns artistas: Karin Anouz, Gilberto Gawvronski, Analu Prestes, Regina Miranda, Nelson Rodrigues Filho, Carolina Pismel, Kadu Garcia, e outros. Como produtor, atuou em produções de musicais em turnê pelo Brasil, eventos culturais e espetáculos teatrais na cidade do Rio de Janeiro.
 
Sobre Pedro Emanuel | Dramaturgo
PEDRO EMANUEL é dramaturgo, roteirista, diretor e ator. Mestrando no Programa de Artes da Cena na UFRJ, pesquiso o uso da dramaturgia teatral como ferramenta sócio-política no combate a estereótipos que visam marginalizar moradores da periferia. Graduado em Artes Dramáticas pelo Centro Universitário da Cidade. Profissionalizei-me, como ator na Casa das Artes de Laranjeiras. Atualmente, trabalho como roteirista no Programa Vai que Cola e A Vila (Multishow) e trabalho como Arte-Educador/Pesquisador no Projeto Entre Lugares (no Complexo da Maré) - com o grupo escrevi a peça Ela não se lembra mais (2019). Junto à Cia Cria do Beco, ganhei o prêmio de melhor esquete pelo FESTU (2019) com a cena que escrevi junto ao grupo, Nem Todo Filho Vinga. Trabalhei como Professor do Curso de Teatro da Universidade Candido Mendes (2014-2018), onde produzi o Festival Arte de Portas Abertas e dirigi e escrevi os espetáculos Longe Daqui (2016) e O último que sair que sair apague a luz (2017) no projeto acadêmico intitulado Em Companhia. Como membro e co-fundador da companhia de teatro, Cia. em Obra, dirigi, escrevi e atuei em diversos espetáculos. Entre os destaques estão Bolo de Carne (2015) e Febril (2014). Trabalhei nas funções de ator e de ass. de direção e dramaturgia no espetáculo Gesucth (2014), em Munique, Alemanha, pela Resistência Artística Villa Waldberta. Meus mais recentes trabalhos foram Inventário (2017), Já estava assim quando cheguei (2018) e Cavalos (2019).



FICHA TÉCNICA
Direção: Nina da Costa Reis
Atuação: Alexandre Paz
Dramaturgia: Alexandre Paz, Nina da Costa Reis e Pedro Emanuel
Preparação Corporal: Michele Cosendey
Figurino e Cenografia: Nina da Costa Reis
Direção Musical: João Mello
Videomaker: Raphael Belarmino
Projeto Gráfico: Humberto Costa
Assessoria de Imprensa: Passarim Comunicação (Silvana Cardoso E. Santo)
Mídias Digitais: Mario Camelo
Gestão e Prestação de Contas: Martha Avelar
Produção: Fernando Alax
Idealização: Alexandre Paz e Nina da Costa Reis
Realização: Girassol Produções Teatrais


SERVIÇO

Espetáculo: Cavalos
Apresentações: sábados e domingos | acessibilidade de libras e legendas
Datas: 6 e 7, 13 e 14, 20 e 21, 27 e 28 de março de 2021
Horário: 20h
Intérprete: Alexandre Paz
Gênero: Monólogo
Local: Sympla/Zoom 
https://www.sympla.com.br/produtor/cavalos?tab=proximos-eventos
Online e gratuito
Classificação etária: 16 anos
Capacidade: 300 participantes
Duração do espetáculo: 60 minutos

PR/Passarim

Nenhum comentário