18 julho 2018

[Resenha] Sete Minutos Depois da Meia-Noite

Sinopse: Conor é um garoto de 13 anos e está com muitos problemas na vida.

A mãe dele está muito doente, passando por tratamentos rigorosos. Os colegas da escola agem como se ele fosse invisível, exceto por Harry e seus amigos que o provocam diariamente. A avó de Conor, que não é como as outras avós, está chegando para uma longa estadia. E, além do pesadelo terrível que o faz acordar em desespero todas as noites, às 00h07 ele recebe a visita de um monstro que conta histórias sem sentido.

O monstro vive na Terra há muito tempo, é grandioso e selvagem, mas Conor não teme a aparência dele. Na verdade, ele teme o que o monstro quer, uma coisa muito frágil e perigosa. O monstro quer a VERDADE.
Baseado na ideia de Siobhan Dowd, Sete minutos depois da meia-noite é um livro em que fantasia e realidade se misturam. Ele nos fala dos sentimentos de perda, medo e solidão e também da coragem e da compaixão necessárias para ultrapassá-los.

O que eu achei?
"Sete Minutos Depois da Meia-Noite" é um drama YA com elementos fantásticos, de Patrick Ness, indpirado na idéia original da Siobhan Dowd, que faleceu devido ao câncer.

A história se passa em Londres, e gira em torno de Connor, um jovem de 14 anos que sofre silenciosamente inúmeras perdas e desilusões. Além disso, é atormentado noite após noite por um pesadelo devastador. E em uma dessas noites, um monstro que surgiu a partir do teixo que se encontra na colina nos fundos de sua casa, aparece em sua janela para lhe contar três histórias.

O livro, que é bem curto e enxuto, segue os passos e os sentimentos de Connor, que sofre pela doença de sua mãe. Ainda sofre bullying na escola, e tem uma relação distante com seu pai; tudo isso culmina dentro dele, fazendo-o se isolar em si mesmo.
Connor é um personagem incrívelmente lindo, um dos melhores que já li - visto sua pouca idade e tudo pelo que passa. Sua personalidade foi criada com um atenção muito cuidadosa, para que não parecesse nem clichê demais, nem dramático demais. Sua dor e seu comportamento são muito reais.

A história desse livro, e da relação entre Connor e o monstro, juntamente com as reações do jovem ao que o cerca, nos serve como ensinamento de algo simples, mas extremamente doloroso: superer e aceitar a verdade, seja qual for.
Se você pensou na máxima "a verdade vós libertará", você está mo caminho certo - apesar se parecer clichê. Mas acredite, esta história é extremamente original e cativante, além de emocionante ao extremo.

As histórias que o monstro conta a Connor são complexas e cheias de significados, num esforço de abrir os olhos e a mentr do jovem para aquilo que ele mais tenta esconder: a verdade. A verdade que assusta, fere, sufoca. Mas que ele precisa contar ao monstro para que ele possa ter paz.

É interessante notar que o monstro que surge para Connor sempre num horário específico - 00:07 - não o assusta, nem o apavora. Connor convive com monstros piores em seu dia-a-dia, fazendo-o carregar o peso de uma vida que ele não escolheu e sobre a qual ele não teve escolha se não aceitar, tendo que enfrentá-los - e quase sempre sendo derrotado por eles.

A história pode parecer meio previsível a partir de um certo ponto - e até é, para ser honesto -, mas a trajetória é tão linda, emocionante e envolvente que faz cada página valer a pena. A mensagem que ela nos deixa, para aquele mais sensíveis a questionamentos profundos, provavelmente vai ecoar durante um bom tempo após o fim da leitura: será que estou sendo verdadeiro comigo mesmo?

O livro mistura fantasia, terror e drama de uma maneira encantadora, que é capaz de envolver e emocionar sem esforços. As analogias são lindas, as mensagens nos são apresentadas de forma extremamente poéticas.
É uma leitura indispensável.

Obs.: Em 2016 um filme dirigido por Juan Antonio Bayona e escrito por Patrick Ness, baseado no livro foi lançado, estrelado por Lewis MacDougallSigourney WeaverFelicity JonesToby Kebbell e Liam Neeson.

Sete Minutos Depois da Meia-Noite (A Monster Calls, 2016) - Trailer 2 Legendado


Nenhum comentário

Postar um comentário