25 maio 2018

[Resenha] E Quem Souber, Que Conte Outra!

Sinopse: Era uma vez...  Tudo começa com um sonho, uma lembrança, uma imagem. Em seguida, surgem enredos e personagens mágicos que nos levam a mundos distantes e encantadores. Fadas, duendes, princesas, sapos, bruxas, madrastas etc nos encantam a tal ponto que passamos, por um breve espaço de tempo, a sermos crianças novamente. Leia cada conto de fada aqui existente, com o olhar puro de uma criança e, no final de sua leitura, sinta-se a vontade para fazer o que o título lhe propõem: E quem souber, que conte outra!
O que eu achei?
Com a imaginação fluindo e correndo solta, essa coletânea traz uma seção de contos de fadas dos mais variados estilos, nos mais variados mundos com os mais variados protagonistas e personagens mágicos possíveis.

Em quantidade, a maior parte dos contos segue a receita da menina-protagonista, a magia que a cerca e fadas e bruxas más, onde há reviravoltas e descobertas.

Há também as inovações, o que achei fantástico. A magia foi trazida para o mundo comum, com seres humanos e meta-morfos; a descoberta de si mesmo por desafios em mundos mágicos; a história do Brasil; a fé e o milagre.

No geral, os contos trazem mensagens de força, bondade e amizade, onde a força de vários por um bem em comum pode mudar o mundo – o nosso e o mágico -, revelando uma moral para se refletir. Mas há também os contos um pouco mais sombrios, carregados de mistérios e um pouco de suspense que dão todo um toque especial e único à coletânea.

São todos muito bem escritos, passando desde contos que seguem a linha simples, focando a magia e a história em si, indo para os contos com leves toques de sátira e humor até os, digamos, mais “pesados” (quando comparados aos anteriores) em sua escrita – mas todos são muito bem estruturados e organizados em seu conteúdo.


 

Nenhum comentário

Postar um comentário