Novidades

[News] Shows do Projeto Margem acontecem dias 11 e 13 de abril, reunindo artistas da cena musical independente de São Paulo


O Projeto Margem, que possibilitou nos últimos meses a produção e gravação de dez videoclipes que evidenciam o trabalho autoral de artistas independentes que residem em São Paulo, promove no mês de abril dois shows com apresentações dos artistas contemplados pelo projeto. O Margem foi viabilizado pelo Coletivo Babel com apoio do programa VAI. No dia 11 de abril, quinta, às 19h30, o show será no Centro Cultural Olido; já no dia 13, sábado, às 17h, a apresentação será no CEU Butantã.
No Centro Cultural Olido, os artistas que se apresentam são Marina Matheus, Obinrin Trio, Gê de Lima, Evi Hadu e Amanda Temponi com participação especial de Diego Moraes; enquanto no CEU Butantã, estão agendadas as participações de Melvin Santhana, Barroso Eus, Georgia e SóCiro com participação especial de Valéria.
O Coletivo Babel surgiu do encontro de quatro artistas (Guilherme Moscardini, Jhessica Daher, Vanessa Martinez e Fernando Alves de Sá) que se depararam com a necessidade de criar um projeto social que se posicionasse quanto à carência de pertencimento da classe artística menos favorecida tomando como referência recortes sociais, raciais e de gênero.

Sobre os artistas
Centro Cultural Olido

Gê de Lima
O ator, cantor e compositor vem crescendo como referência de empoderamento LGBT negro e isso se confirma com seus últimos clipes lançados, Fotografia, Acaso e Textura, todos com o protagonismo voltado para a diversidade. Seu repertório apresenta músicas que contam a história da sua trajetória com canções que visam a valorização de corpos negros LGBTs.

Obinrin Trio 
Obinrin é sinônimo de feminino em yorubá. O trio paulistano é formado pelas irmãs Raíssa e Lana Lopes e Elis Menezes, que conheceram no carnaval de 2016. Elas contagiam o ambiente, seja dançando um côco, chamando um Part maracatú ou empunhando um violão.

Amanda Temponi
Cantora e compositora, traz grande influência da música vocal nos seus arranjos e composições. Sua música é instintiva e suas letras trazem reflexões sobre o que é simples e do estar presente por inteiro como protagonista de sua própria vida.

Marina Matheus
Marina Matheus é travesty e multiartista. A partir de seus trabalhos no cinema, teatro, dança, performance e música, hoje mescla seus conhecimentos no seu projeto como cantora. Navega entre os ritmos latinos e brasileiros e flerta com o rock em suas interpretações e composições, pesquisando as expressões e leituras das vivências das corpas transvestigêneres na América do Sul.

Evi Hadu
Artista queer, gay, paraibano e radicado no Capão Redondo, periferia de São Paulo, o cantor e compositor tem influências tropicalistas, misturando gêneros tradicionais como forró e samba, e gêneros contemporâneos como funk e rock. Suas canções refletem temas do universo gay e questões sociais com tom de provocação.

Ceu Butantã 
Georgia
A Mc paulistana de 22 anos traz inúmeras influências em seus cantos e rimas - desde o Rap, R&B, Reggae, Dancehall, MPB e Bossa Nova, demonstrando ter suas criações desvinculadas dos padrões da indústria. Com líricas reflexivas e críticas severas ao machismo e política, a ideologia caminha de mãos dadas com seu timbre.

Barroso Eus 
Ator, cantor e compositor do bairro Jardim Evana (Campo Limpo), da periferia de São Paulo. Suas influências brasileiras vão de Tim Maia a Sabotage e Maria Bethânia e são mescladas ao peso multicultural de James Brown, Led Zeppelin, Daniel Caesar e Janis Joplin, trazendo ao palco temas universais e do mundo pessoal de Barroso. Amor, condição socioeconômica e crise existencial dançam em um encontro regado a muito ritmo, questionamento e poesia.

SóCiro 
Ciro Ernesto Medeiros dos Santos, ou SóCiro, vindo de Porto Velho, Rondônia, iniciou sua relação com a música desde menino. Canta tudo que seja real e que se sinta, com letras viscerais e com identidade única, associadas ao seu poder de ser e se moldar independente das circunstâncias.

Melvin Santhana 
Cantor, compositor e multi-instrumentista paulista, natural de Guarulhos, desde o início de sua carreira dialoga sobre musicalidade com forte influência na diáspora africana. Com elementos do funk, rap, trap, soul, samba, afro-beat, seu primeiro disco solo, Abre Alas, é o espelho de sua pluralidade artística.

Serviço
Projeto Margem

Dia 11 de abril, quinta-feira às 19h30, no Centro Cultural Olido

Endereço: Av. São João, 473 - Centro, São Paulo   

Grátis

Projeto Margem

Dia 13 de abril, sábado, às 17h, no CEU Butantã

Endereço: Av. Engenheiro Heitor Antonio Eiras Garcia, 1870 – Butantã

Grátis



Nenhum comentário