07 fevereiro 2019

[Resenha] Um Sedutor Sem Coração

Sinopse: Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas. A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon. Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar. Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu? Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.

O que eu achei?
Esse foi meu primeiro contato com a escrita de Lisa Kleypas. Já tinha ouvido falar muito dela mas só tinha lido Julia Quinn de romances de época até então. 
Um sedutor sem coração é o primeiro dos quatro volumes da série Os Ravenels.

Logo nas primeiras páginas somos apresentados a Devon Ravenel, um jovem membro da alta sociedade inglesa. Primo de um conde, ele recebeu a melhor educação que poderia ter mas nunca teve que trabalhar; é um bon vivant. Assim como seu irmão caçula, West, nunca teve que trabalhar um dia na vida. Suas atividades incluem e se restringem a apenas festas e bordéis,nada produtivo. Até que um belo dia, seu primo morre em um acidente e ele se vê obrigado a assumir a responsabilidade. 

Lógico que um título de conde seria uma coisa boa. Mas é aquela história: com grandes poderes, vem grandes responsabilidades. E nem tudo são flores: ele herdou propriedades endividadas e caindo aos pedaços, precisando de uma reforma urgentemente. A herança também inclui três irmãs órfãs, Helen Ravenel e as gêmeas mais novas, Pandora e Cassandra. Mas o maior problema de Devon não são as irmãs e sim a viúva de seu primo, uma mulher prepotente e teimosa. 
Tudo o que Devon queria era paz, tranquilidade e vender tudo para pagar as dívidas.Porém, há uma pedra em seu sapato...

Assim que Kathleen o conhece, ela percebe que ele compartilha um traço da personalidade de seu finado marido:o famoso pavio curto dos Ravenel assim como a tendência da família de ceder aos prazeres carnais. Ela o desafia para um jogo de gato e rato para impedi-lo de vender a casa e despejar as cunhadas, que a acolheram tão bem e fizeram-na ter a sensação de pertencer a algum lugar. O X da questão será quando eles começarem a desenvolver sentimentos um pelo outro...

A escrita da Lisa é leve, ela não usa um vocabulário rebuscado e a leitura é gostosa com aquelas descrições sem ser excessivamente detalhadas. A autora consegue alternar as narrativas primárias (um libertino tentando salvar o legado da família) e secundária (o romance que brota entre eles). Há um plot twist que te deixará de boca aberta. 

Se você curte romances históricos, não perca essa série. Cada uma é focada em um Ravenel ou em um amigo deles. Os quatro já foram lançados aqui pela Arqueiro.




Nenhum comentário

Postar um comentário