10 julho 2018

[Programação] Teatro de 10 a 17 de julho

Venha conferir a programação de teatro da semana:
Era para ser uma vez... aos sábados e domingos às 17h, 70 a inteira e 35 a meia.
Uma certa rainha má decide invadir o mundo real e obrigar Wendy a recontar as histórias infantis para lhe dar um final feliz. Tudo daria certo, não fosse o fato de sua assistente errar de quarto e de criança. Nina, que tem como inspiração autores nacionais como Monteiro Lobato e Ziraldo, se vê obrigada a juntar personagens de universos distintos para agradar a rainha. Esses, por sua vez, tentam salvar a menina e encontrar o caminho de volta à suas histórias.

Martinho da Vila 8.0- uma filosofia de vida, sextas e sábados às 21h, 100 a inteira e 50 a meia e domingos ás 20h, 80 a inteira e 40 a meia.

O cantor, compositor e escritor, Martinho da Vila, que completou 80 anos, em fevereiro, receberá mais uma homenagem, dessa vez, no teatro. Com direção de William Vita, a peça musicada, “Martinho da Vila 8.0 | Uma Filosofia de Vida”, de Ana Ferguson, Luiz Marcelo Legey e Solange Bighetti, terá uma pré-estreia, no dia 17 de maio, às 21h, no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, no Rio, e temporada até 15 de julho, às sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 20h.
O espetáculo, que tem como curadora, Cléo Ferreira, esposa do sambista, contará a vida de Martinho da Vila, com base no livro “Memórias Póstumas de Teresa de Jesus”, publicado por ele, além de uma vasta pesquisa no acervo e entrevistas com o artista. O público irá se deliciar com trechos dos seus principais sucessos, como “Devagar, devagarinho”, “Disritmia”, “Mulheres”, entre muitos outros. No cenário, projeções de fotos e os ambientes que retratam a sua vida pessoal e profissional desde a década de 40 até os dias atuais.
“Depois que o Martinho recebeu o título de Doutor Honoris Causa, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em outubro de 2017, nos sentimos na obrigação de levar ao conhecimento do público, toda uma história de vida ligada ao movimento negro e preocupação com a língua portuguesa nos países lusófonos. Além disso, falar da sua carreira artística de grande sucesso, ao longo de seus 80 anos”, explica uma das roteiristas Ana Ferguson.
Caberá aos atores Victor Hugo, Junior Vieira e Nill Marcondes, a responsabilidade de interpretar Martinho da Vila, nas fases criança, jovem e adulta, respectivamente. “Impossível interpretar o Sr. Martinho. Serei apenas um dos contadores dessa linda história, que é e foi a vida dele. A primeira coisa que fiz, foi desacelerar em tudo que faço e na forma de falar, tenho assistido muitos vídeos de entrevistas e também tivemos um encontro com o mestre. Estou também fazendo um trabalho específico funcional e aeróbico para perder peso e tônus muscular. A minha expectativa é que tenhamos um espetáculo cheio de cumplicidade, boas lembranças, amor e muita Alegria”, diz Nill,que, ao longo da sua carreira, de grandes projetos, como o filme “Carandiru”, de Hector Babenco, e os musicais “Hair” e “Blue Jeans”.
“Eu não sou ansioso, mas confesso que estou sentindo uma grande ansiedade, para que chegue logo o dia 17. Nunca imaginei ser tema de uma peça teatral, li o roteiro e acho que vai ser emocionante”, comenta o homenageado Martinho da Vila.
O elenco de “Martinho da Vila 8.0 | Uma Filosofia de Vida” também contará com as atrizes Babi Xavier (Cléo – esposa), Ana Miranda (Dona Teresa de Jesus – mãe), Junior Vieira (Sr. Josué – pai), além de Esther Delamare (professora Ida) e William Vita (Marcus Pereira – primeiro empresário).

“Estamos trabalhando com o objetivo de trazer uma peça rica em detalhes, tanto em conteúdo, quanto em imagens, figurino e trilha sonora”, completa Solange Bighetti.

  O Pequeno Príncipe, sábados e domingos, ás 15h, 70 a inteira e 35 a meia. 

Baseado no lindo conto de Antoine Saint-Exupéry a adaptação de Carla Araújo conta a história do princepezinho, viajando pelo universo a procura de um amigo verdadeiro, onde encontra o excêntrico aviador, que o introduz ao mundo mágico do Pequeno Príncipe.
Sem perder a essência do original, a adaptação de Carla Araújo, traz para o palco personagens clássicos, com uma abordagem clássica e uma bem-sucedida mistura de consciência, esperança e amor próprio e senso de coletividade para o público Infanto-juvenil que emociona e contagia o espectador.
O musical traz uma abordagem criativa, encoraja a explorar nossas potencialidades e acreditar na expressão individual independente de padrões ou vigências sócias.
O Pequeno Príncipe é um dos livros mais vendido no mundo, e um dos personagens mais querido de todos os tempos, que empolga crianças e adultos, deixando sua marca de forma simples , mensagens de otimismo, simplicidade e amor.

  Solidão, que nada, dia 11 de julho, às 20h, 70 a inteira e 35 a meia

Falar de solidão nos tempos de hoje é quase mandatório. Numa sociedade cada vez mais conectada pelas redes digitais, parece que o contato físico que gera intimidade e fortalece as relações está sendo fortemente impactado.
“Solidão, que nada” a um só tempo trata deste assunto tão atual e premente e, ainda, marca a volta aos palcos da atriz Luciana Coutinho, mostrando que seu brilho vai além da comédia ao nos presentear com sua verve dramática e seus talentos musicais.
Dividir o palco com a atriz Roberta Novaes é também um brinde à vida offline. Além de serem colegas de profissão, a razão de levarem este projeto à diante é uma real celebração à amizade.
A ideia de fazer o espetáculo partiu de Roberta, que em tempos de Candinha e Mulher da Toalha do Zorra Total mostrou-se fã e interessada nas personagens que Luciana representava na TV. A partir desse momento, ela realizou o grande sonho: estudar teatro e se tornar atriz.
Por ironia do destino, fez um Workshop ministrado e dirigido por Luciana e uma grande amizade acabou surgindo. Foi então que Roberta convidou Luciana para o papel de Clarisse, na peça “Solidão, que nada”, de Hugo Leandro.
A sintonia é grande e o Teatro agradece essa amizade, pois “Solidão, que nada” promete ser um grande sucesso nos palcos brasileiros.
O objetivo maior deste espetáculo é levar entretenimento e proporcionar uma reflexão sobre a vida, as relações e o amor!

   Aventuras caninas,sábados e domingos às 17h, 60 a inteira e 30 a meia.

Os Aventureiros Caninos é uma adaptação que chegou para animar a criançada com suas histórias e muitas surpresas.
Trabalhamos com o lúdico e a curiosidade das crianças, tendo interação, música e muita diversão.
Com 50 minutos de muita aventura num texto original dividido em duas partes: “O aniversário surpresa do Cão Policial” e o “Os Aventureiros Perdidos”. O espetáculo tem humor, danças e muita aventura. A Companhia prioriza a qualidade textual e conta uma história com início, meio e fim e não coloca os bonecos apenas no palco. É um espetáculo teatral com figurinos caprichados, belo 
cenários, efeitos que deixam as crianças e os adultos encantados.

 Vou deixar de ser feliz por medo de ficar triste , sexta e sábado às 21h e domingo ás 20h, 80, preço único.

A partir de 1º de junho o Teatro das Artes recebe a comédia romântica “Vou deixar de ser feliz por medo de ficar triste?”, de Yuri Ribeiro, com argumento do próprio autor em conjunto com Claudia Wildberger. Para contar a história do casal Andréia e Daniel, o diretor Jorge Farjalla optou por uma linguagem poética e lúdica para criar uma montagem não realista, transformada em fábula.
Se valendo da atualidade do tema, Yuri Ribeiro, que também está como ator, resolveu transformar sua experiência de vida em espetáculo teatral. O espetáculo aborda as várias fases de um relacionamento amoroso, prometendo deliciosas risadas e muita reflexão. No palco, Paula Burlamarqui dá vida a Andrea, uma mulher mais “experiente” que casa com Daniel, interpretado por Ribeiro, um rapaz que tem uns bons anos de experiência a menos que ela. O filho de Andrea, Caio (Vitor Thiré), brincalhão e piadista, não se dá muito bem com “a espécie de irmão mais velho que ele arrumou”.
Vou Deixar De Ser Feliz Por Medo De Ficar Triste? é uma produção da CW MARKETING em parceria com a BRAIN +. Espetáculo com aproximadamente 70 minutos de duração, promete conquistar um público diversificado, emocionando e, principalmente, divertindo com um 
humor leve e inteligente.

    Confissões de um senhor de idade, terças e quartas às 21h, de 15 a 60 reais

Flavio Migliaccio retorna em cartaz dia 17 de julho com o espetáculo “Confissões de um Senhor de Idade”, montado ano passado em comemoração aos 60 anos de carreira do ator. Escrita e dirigida por Flávio, a peça fica em cartaz às terças e quartas no Teatro dos Quatro, no Shopping da Gávea, às 21h, até o dia 28 de agosto.
Flávio divide o palco com o ator Luciano Paixão, que interpreta Deus encarnado no corpo de um simples mortal para propor um estranho pacto: se Flávio ajudar a desvendar um caso estranho que está acontecendo no céu, receberá a recompensa da vida eterna.
Num diálogo bem humorado com Deus, Flávio conta suas histórias, suas experiências, suas memórias, saudades e até tristezas, tudo com o bom humor que sempre foi a sua marca. Detalhes da vida íntima do artista também serão revelados – uma forma de presentear o público, em agradecimento ao carinho recebido pela comemoração dos 60 anos de carreira.

Terapia do riso-especial 12 anos, sextas e sábados às 21h e domingos ás 20h, 70 sexta e 80 aos sábados e domingos

A edição comemorativa “Terapia do Riso – Especial 12 anos”, traz em cena os atores Israel Linhares, Hellen Suque e Bia Guedes. A novidade fica por conta do retorno dos personagens mais marcantes de todas as edições anteriores mesclados com novos e inéditos personagens, em 70 minutos apresentação, prometem fazer o público ‘chorar de rir’.
Além de novos personagens o espetáculo vai contar com participações especiais de atores convidados. A tradicional abertura da peça mantém o envolvimento da plateia no contexto da história
O humor de estereótipos e muita interação com a plateia, continuam sendo a marca deste espetáculo que agrada a todos os públicos, que se identifica com os conflitos dos personagens apresentados.
O teatro escolhido para a estreia nacional desta nova edição é o teatro Vannucci, localizado dentro shopping da Gávea no Rio de Janeiro que aposta em sucessos da comédia para manter a assiduidade do público que tem buscado cada vez mais, esse gênero como entretenimento.

                                           CCBB RJ
  A peste, todo dia às 19:30 às 20:50, 20 a inteira e 10 a meia.

Construída a partir do romance homônimo de Albert Camus, a peça é uma obra de resistência em todos os sentidos. Nela, o bacilo da peste é o motivo usado para alertar o público dos fatos absurdos de uma sociedade alegoricamente egoísta.

Lugar nenhum- uma peça-ensaio da Companhia do Latão, todo dia das 19:30 às 21:10, 20 a inteira e 10 a meia. Até 6 de agosto.

Em comemoração aos seus 20 anos, a Companhia do Latão apresenta espetáculo inédito inspirado em escritos de Anton Tchekhov. A peça dialoga com as primeiras encenações da companhia, tanto por adotar a forma livre de uma peça-ensaio como por refletir novamente sobre os desajustes ideológicos na experiência cultural brasileira.

   Tchekhov é um cogumelo, todo dia até 22 de julho, das 19 ás 20:30. 20 a inteira e 10 a meia

A peça aborda por múltiplos ângulos e linguagens a peça As Três Irmãs, de Tchekhov, numa adaptação contemporânea que combina neurociência, teatro, dança e música. O elenco é composto por três atrizes de gerações distintas, um cantor de músicas tradicionais, dois dançarinos e uma pequena banda de jovens músicos que tocam instrumentos não convencionais.

                           Teatro Bradesco


  O homem de La Mancha, dias e horários alternados entre 17 e 21h, de 75 a 180 reais.

Superpodução dirigida por Miguel Falabella estreia dia 07 de junho no Teatro Bradesco
São Paulo, 08 de maio de 2018 – O Homem de La Mancha, o emocionante musical de D. Quixote, estreia dia 07 de junho no Teatro Bradesco do Rio de Janeiro. Um ano depois da temporada de sucesso em São Paulo, que levou mais de 100 mil pessoas ao teatro, o premiado espetáculo de Miguel Falabella, produzido pelo Atelier de Cultura, desembarca em curta temporada na cidade maravilhosa. Os ingressos variam de R$ 37,50 a R$ 190 e já estão abertas as reservas para grupos a partir de 10 lugares.
A adaptação de Falabella transpõe a história original da peça “Man of La Mancha”, de Dale Wasserman, ao cotidiano brasileiro: da Inquisição Espanhola para um hospício brasileiro dos anos 50. A inspiração do diretor para cenários e figurinos é direta desse ambiente: as obras do artista plástico Arthur Bispo do Rosário, um dos internos da Colônia Juliano Moreira (RJ).
O enredo de “O Homem de la Mancha” traz a história de Miguel de Cervantes, poeta, ator de teatro e coletor de impostos, que é internado em um manicômio no final dos anos 1950. Junto com ele, é apresentado ao público seu criado, Sancho. O musical narra, a partir daí, diversos momentos que culminam na encenação da história de D. Alonso Quijana, fazendeiro tomado pela loucura que imagina ser D. Quixote, Senhor de La Mancha, um Cavaleiro Errante atrás de aventuras para combater o mal, assistir os indefesos e praticar o bem.
O espetáculo apresenta 27 números musicais, dentre os quais está a música “O Sonho Impossível”, um dos maiores ícones da história do teatro musical. A produção completa é composta por 92 profissionais, sendo 30 atores, 16 músicos e 46 integrantes da equipe técnica.
Nos papeis de Miguel de Cervantes e Dom Quixote de la Mancha está o ator Cleto Baccic, premiado em 2014, como Melhor Ator pela APCA. No mesmo ano, o espetáculo ainda foi eleito a melhor peça de 2014, pela mesma instituição, Melhor Musical pelo Júri de Críticos da Folha de São Paulo e Prêmio Aplauso Brasil, também como melhor musical. Em 2015 recebeu os prêmios Bibi Ferreira de Melhor Musical nas categorias Voto do Júri e Voto Popular.
“O Homem de La Mancha” estreou em 1965 na Broadway e é um dos musicais mais vistos no mundo. No Brasil, essa é a segunda vez que o espetáculo é montado. A primeira vez foi em 1972, com direção de Flávio Rangel, e versão das músicas por Chico Buarque de Hollanda e Ruy Guerra. Era a vez de Paulo Autran, Bibi Ferreira e Grande Otello viverem os personagens Miguel de Cervantes/Dom Quixote, Aldonza/Dulcinéia e Sancho Pança, respectivamente
A premiada produção fica em cartaz até 29 de julho e terá cinco sessões por semana, de quinta a domingo.


Nenhum comentário

Postar um comentário