11 abril 2018

[News] Novidades da Sessão Vitrine Petrobras

A Vitrine Filmes e a Petrobras anunciaram as novidades do projeto SESSÃO VITRINE PETROBRAS nesta terça, dia 10, em coletiva de imprensa realizada em São Paulo. Entre os anúncios, estão a inclusão de mais quatro cidades no circuito e mais sessões ao longo do ano. Desde janeiro de 2018, o projeto passou a lançar um filme por mês para atender melhor a uma demanda do mercado. “Percebemos que um lançamento por mês era o ideal para trabalhar cada filme e suas ações”, comentou Talita Arruda, curadora da Sessão Vitrine Petrobras. 
O projeto é parceiro de cinemas em 24 cidades, tem programação contínua, realizando pré-estreias com a presença da equipe dos filmes e debates. O preço praticado nas salas não ultrapassa o valor de R$ 12,00 (inteira). Cuiabá, Manaus, São Bernardo do Campo e Vitória entram no circuito parceiro do projeto, que também está presente nas cidades de Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Maceió, Niterói, Palmas, Porto Alegre, Recife, Rio Branco, Rio de Janeiro, Salvador, Santos, São Luis, São Paulo e Teresina. Além disso, o espectador pode ter acesso liberado às sessões através do “Cartão Fidelidade Sessão Vitrine Petrobras”, que pode ser comprado no site do projeto (sessaovitrine/cartaofidelidade).
Filmes com carreira em festivais e esperados pelo público serão lançados ao longo de 2018. São eles: “SEVERINA”, de Felipe Hirsch, “TODOS OS PAULOS DO MUNDO”, de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, “BARONESA”, de Juliana Antunes, “ERA UMA VEZ BRASÍLIA”, de Adirley Queirós, “CAMOCIM”, de Quentin Delaroche, “UNICÓRNIO”, de Eduardo Nunes, e “TINTA BRUTA”, de Márcio Reolon e Filipe Matzembacher, entre outros.
- O projeto tem a preocupação de abraçar produções que trazem diversidade: filmes de diversos gêneros, coproduções internacionais, obras com protagonistas negros, com mulheres diretoras, e produções de jovens e renomados talentos. Nas edições anteriores, tivemos uma experiência muito positiva com a exibição de curtas antes dos longas, que foi bem recebida pelos exibidores e pelo público, e que queremos repetir -  afirma Talita.
No mercado há oito anos, a Vitrine Filmes criou o projeto intitulado SESSÃO VITRINE em 2011, e que já na sua primeira edição foi reconhecido por realizadores, público, críticos e demais agentes do audiovisual, conquistando o prêmio Iniciativa Cinematográfica, concedido pela Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro. Foi sob o selo da SESSÃO VITRINE que primeiros longas de diretores como Kleber Mendonça Filho, Adirley Queirós e Gabriel Mascaro foram lançados, consolidando assim o projeto como uma vitrine de novos e já consagrados realizadores.
- Até o momento, tivemos mais de 100 mil espectadores nos 17 filmes lançados pelo projeto, tendo uma média de mais de 6.500 pessoas por filme. O que representa um aumento significativo de público em filmes independentes – comemora Silvia Cruz, diretora da Vitrine. “É muito importante o trabalho que a Vitrine e a Petrobras fazem. Hoje, a Vitrine é uma distribuidora que é como nossa casa, principalmente para os produtores de filmes mais reflexivos – opina Sara Silveira, produtora do “Pela Janela”, lançado pelo projeto em janeiro.
“Chama atenção a altíssima qualidade dos filmes escolhidos. Todos os realizadores ficam orgulhosos de estar presente nesse catálogo. Eu acho que o projeto é histórico”, elogia Felipe Hirsch, diretor do “Severina”, a estreia de abril. “É um privilégio ter nosso filme participando, sob essa curadoria, sabendo que ele está sendo bem cuidado, bem pensado”, completa Marcio Reolon, um dos diretores de “Tinta Bruta”, que vai ser lançado em novembro.  “Nunca imaginei que meu filme fosse estrear em 24 cidades, é um prazer fazer parte do projeto”, celebra Juliana Antunes, diretora de “Baronesa”, lançamento de junho.
Com a distribuição coletiva de filmes brasileiros, a SESSÃO VITRINE PETROBRAS exibe um recorte da produção audiovisual contemporânea. O projeto tem o intuito de levar ao público um cinema de qualidade, original, que retrata a cultura do país, fomentando uma relação entre o espectador e o evento de ir ao cinema, através de lançamentos e sessões com debates, investindo na formação de novas plateias e fortalecendo o circuito audiovisual como um todo.
- Reconhecemos nesta ação uma forma concreta de contribuir com a democratização do acesso do público às obras, possibilitando que as plateias descubram novos realizadores e permitindo que o público amplie seu interesse pelo cinema brasileiro. Acreditamos que a cultura também é uma forma de energia e tem o poder de movimentar a sociedade por meio da criatividade e da inspiração – declarou Carolina Cruz, da Gerência de Atendimento Regional  São Paulo – Sul da Petrobras.
Sobre o Patrocínio:
Desde os primeiros longas patrocinados (“Carlota Joaquina, Princesa do Brasil” e "O Quatrilho", em 1995), a Petrobras construiu um forte elo com o cinema nacional. Tornou-se a maior parceira da Retomada do Cinema Brasileiro, tendo patrocinado mais de 500 longas-metragens e atuado de forma sistêmica em todos os elos da cadeia produtiva do audiovisual. A parceria com a Vitrine Filmes vem potencializar uma iniciativa bem-sucedida, que foca em curadoria e formação de público para o cinema nacional, com sessões diárias de valor reduzido, debates e maior visibilidade para os filmes.
Sobre o Projeto:
 Cada filme da SESSÃO VITRINE PETROBRAS terá pelo menos uma sessão diária com horário fixo, nos mesmos cinemas de mais de 24 cidades. Os filmes ficarão em cartaz por no mínimo duas semanas em cada cidade. A intenção é que uma programação mensal e um horário fixo tornem-se um referencial e criem um público cativo.
 A curadoria da SESSÃO VITRINE PETROBRAS é feita pela criadora do projeto e da Vitrine Filmes, Silvia Cruz, em parceria com a curadora Talita Arruda. A proposta curatorial do projeto é feita priorizando filmes brasileiros e coproduções internacionais que despertem interesse no público, seja pela inovação do seu processo criativo, pelo seu viés autoral ou pela sua qualidade e originalidade ao se posicionar propositadamente diante de aspectos da nossa cultura. A escolha dos filmes visa também abraçar temáticas, gêneros e propostas estéticas diferentes e produções de diversos estados brasileiros, proporcionando uma programação diversificada para o público em geral.
Sobre a Vitrine Filmes:
Em oito anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 120 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro em 2014.
Em 2017, a Vitrine lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa do ator e diretor Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.
Neste ano, os principais lançamentos da distribuidora serão "Benzinho", exibido em nos festivais de Sundance e Rotterdam, dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, e "Paraiso Perdido", de Monique Gardenberg.

Serviço:
Os ingressos são vendidos a preço reduzido, e há também a possibilidade de ter acesso liberado às sessões através do cartão chamado “Cartão Fidelidade SESSÃO VITRINE PETROBRAS”, que poderá ser adquirido no site do projeto.
Valor máximo do ingresso nos cinemas parceiros: R$ 12 (inteira) / R$ 6 (meia)
Mais informações sobre a SESSÃO VITRINE PETROBRAS.
CIRCUITO EXIBIDOR PARCEIRO:
Rio Branco (Cine Teatro Recreio), Maceió (Cine Arte Pajuçara), Fortaleza (Cinema do Dragão), Brasília (Cine Brasília e Espaço Itaú de Cinema Brasília), Vitória (Sesc Gloria), Goiânia (Cine Cultura Goiânia e Lumiere Bouganville 5), São Luís (Cine Lume), João Pessoa (Cine Bangue), Recife (Cine São Luíz, FUNDAJ Cinema do Museu), Teresina (Cine Teresina), Curitiba (Cineplex Batel e Cinemateca de Curitiba), Niterói (Cine Arte UFF), Rio de Janeiro (Espaço Itaú de Cinema Botafogo e Estação Net Rio), Manaus (Casarão de Ideias), Aracaju (Cine Vitória), São Paulo (Espaço Itaú de Cinema Augusta, Cinesystem Morumbi Town e CineArte), Palmas (Cine Cultura Palmas), Porto Alegre (Cine Bancários), Salvador (Espaço Itaú de Cinema Glauber Rocha), Belo Horizonte (Cine Belas Artes, Cine 104), Santos (Cinespaço Miramar), Belém (Cine Líbero Luxardo) entre outras.
Site: www.sessaovitrine.com.br
Facebook: www.facebook.com/sessaovitrine
Instagram: www.instagram.com/vitrine_filmes
Obs. Cinemas que não fazem parte do projeto, mas que eventualmente lancem algum filme lançado pela SESSÃO VITRINE PETROBRAS podem ter o valor do ingresso praticado regularmente pela sala de cinema e não necessariamente pelo valor promocional do projeto.

 “SEVERINA”, de Felipe Hirsch
 Brasil / Uruguai, 103 minutos, Ficção

A vida de um livreiro, melancólico e aspirante a escritor, é abalada pelas aparições e desaparições de sua nova musa que rouba na sua livraria. Logo, ele descobre que ela rouba nas livrarias de outros livreiros também. Então, ele começa a viver um delírio amoroso, na fronteira entre a ficção e a realidade. No entanto, quanto mais se aproxima dela, mais indescritível ela se torna: Por que ela rouba e quais são seus valores? Quem é o homem mais velho com quem ela mora? O que é verdadeiro ou apócrifo nessa história? E, além disso, ele enfim conseguirá ocupar um lugar na vida dela, ao mesmo tempo em que se afasta de sua própria vida?

“TODOS OS PAULOS DO MUNDO”, de Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira
RJ, 88 minutos, Documentário
A criação da Babel despeja pelo mundo homens que falam línguas diferentes: todos os rostos, corpos e vozes de Paulo José, encarnados nos personagens que o ator interpretou em sua carreira no teatro, na televisão e no cinema. TODOS OS PAULOS DO MUNDO é um ensaio cinematográfico sobre Paulo José, um dos maiores artistas do Brasil, no ano em que completa 80 anos de vida.

“BARONESA”, de Juliana Antunes
MG, 73 minutos, Híbrido
Uma guerra entre traficantes na Vila Mariquinhas, na Zona Norte de Belo Horizonte, faz com que Andreia queira sair da comunidade onde mora e que ajudou a construir. Dirigido por uma mulher, esse filme é um documentário sobre o cotidiano, o passado, os anseios e como os entes queridos de outra mulher, sem as tintas da delicadeza, do sentimental e toda a moldura edulcorada da tal e tradicional feminilidade.

“ERA UMA VEZ BRASÍLIA”, de Adirley Queirós
DF, 100 minutos, híbrido
Em 1959, o agente intergaláctico WA4 é preso por fazer um loteamento ilegal e é lançado no espaço. Recebe uma missão: vir para a Terra e matar o presidente da República, Juscelino Kubitschek, no dia da inauguração de Brasília. Sua nave perde-se no tempo e aterrissa em 2016 em Ceilândia. Essa é a versão contada por Marquim do Tropa, ator e abduzido. Só Andreia, a rainha do pós-guerra, poderá ajudá-los a montar o exército para matar os monstros que habitam hoje o Congresso Nacional. Este é um documentário gravado no ano 0 P.G. (Pós Golpe), no Distrito Federal e região.

“CAMOCIM”, de Quentin Delaroche
PE, 76 minutos, Documentário
A cada quatro anos, o cotidiano calmo e tranquilo de Camocim de São Félix, pequena cidade de Pernambuco, é chacoalhado. Durante a campanha municipal, a cidade se divide em duas e todas as vidas parecem orbitar em torno da política. No meio deste mercado eleitoral, Mayara, 23 anos, tenta fazer uma campanha “limpa” para eleger seu candidato e amigo César.

“UNICÓRNIO”, de Eduardo Nunes.
RJ, 124 minutos, Ficção
Maria, uma menina, está sentada num banco ao lado de seu pai. A conversa que eles têm ali conduz a narrativa do filme: acompanhamos a história na rústica casa de campo, onde ela mora com a mãe e onde as duas aguardam a volta deste mesmo pai. A relação entre Maria e a sua mãe muda com a chegada de um outro homem.

"TINTA BRUTA", de Márcio Reolon e Filipe Matzembacher
RS, 120 minutos, Ficção
Enquanto responde a um processo criminal, Pedro é forçado a lidar com a mudança da irmã para o outro lado do país. Sozinho no escuro do seu quarto, ele dança coberto de tinta neon, enquanto milhares de estranhos o assistem pela webcam.



Nenhum comentário

Postar um comentário