20 março 2018

[News] Pagliacci faz uma celebração poética à figura do palhaço


Uma reflexão sobre o “ser palhaço” é o mote do documentário PAGLIACCI, dirigido por Chico Gomes, Julio Hey, Luiza Villaça, Pedro Moscalcoff e Luiz Villaça, que estreia dia 12 de abril. O longa aborda questões filosóficas e simbólicas sobre a necessidade do homem de rir de si mesmo ao acompanhar Fernando Sampaio, fundador da companhia “LaMínima”, ao lado do ator Domingos Montagner e da sua mulher Luciana Lima.

- O palhaço é aquele que desafia, que contrasta, que faz rir. Aquele que não pensa e nem age como os outros esperam e, por isso, pode se expressar de forma real, sem medo de ser ridículo e do julgamento alheio. Quebra paradigmas e traz o novo. Fala aquilo que incomoda, aquilo que transforma. O palhaço, o bobo da corte, o louco, o bêbado. O personagem que enxerga os podres e comunica o que ninguém mais tem coragem de dizer e é por isso ele nos faz rir de nós mesmos – afirma um dos diretores, Luiz Villaça.
Despertado no trabalho conjunto do grupo formado por Villaça com Chico Gomes, Pedro Moscalcoff, Julio Hey e Luiza Villaça, o grupo de diretores da Bossa Nova Films abraçou o desafio e, através do cotidiano de Fernando Sampaio e de entrevistas com os artistas e com o público, construiu no documentário, o significado desta profissão tão antiga quanto a humanidade.

PAGLIACCI mostra como um homem tímido fora dos palcos se transforma quando assume a persona do palhaço. Desde o falecimento do amigo e sócio Domingos Montagner, em 2016, Fernando conduz o processo da construção de uma versão teatróloga e circense da ópera homônima pela primeira vez sem a presença física de Domingos, mas com novos parceiros que encontrou durante oficinas ministradas pela dupla Fernando Paz e Filipe Bregantim. O documentário narra a construção do espetáculo desde os primeiros ensaios até uma montagem já mais madura, duas semanas após a estreia. Os momentos iniciais da preparação, a ansiedade, o nervosismo e os últimos ajustes estão em pauta.
Montagner e Fernando se conheceram no Circo Escola Picadeiro, em São Paulo, e logo formaram uma dupla de palhaços. Na época, sob orientação do Mestre Roger Avanzi, o Palhaço Picolino, eles levavam às ruas recriações e números circenses. Juntos, ao lado de Luciana Lima, esposa de Montagner, eles criam o LaMínima, em 1997, com o espetáculo “LaMínima Cia de Ballet”, baseado no humor físico e nas clássicas paródias acrobáticas. Ao longo de 20 anos, os amigos e parceiros foram se aperfeiçoando e trabalhando com grandes nomes da arte circense e do humor, como Leris Colombaioni, Leo Bassi, Chacovachi, Fernando Neves e Neyde Veneziano. Em 2008, ganharam o Prêmio Shell de Teatro SP de Melhor Ator com a peça “A Noite dos Palhaços Mudos”, com direção de Álvaro Assad e roteiro de Laerte. O LaMínima também é o fundador do coletivo Circo Zanni, que tem como objetivo revitalizar a importância dos circos na vida cultural das cidades.

"Senhoras e senhores! Na peça que estão prestes a assistir, o autor quer capturar as velhas tradições e mostrá-las novamente.
Mas ele não pretende contar-lhes o que estão sempre acostumados a dizer.
Não! Este autor quer mostrar-lhes um verdadeiro pedaço de vida. A verdade foi sua inspiração. Verão o amor como o povo real ama. Verão os trágicos resultados do ódio e espasmos da dor real.
Escutarão gritos de raiva real e risos cínicos.
Assim, não devem pensar em nossos pobres truques teatrais. Devem
pensar em nossas almas, pois somos pessoas de carne e osso - e
neste mundo solitário respiramos o mesmo ar que vocês.”

Tonio, Prólogo da ópera “O Palhaço”
PAGLIACCI é uma produção da Bossa Nova Films, LaMínima,  GloboNews, Globo Filmes e Canal Brasil. Será distribuído no Brasil pela Pandora Filmes.

                   SINOPSE:
O documentário “Pagliacci” celebra - de maneira poética - o que é ser palhaço. O filme aborda questões filosóficas e simbólicas sobre a necessidade do homem de rir de si mesmo. Em uma mescla sensorial e emocionante, o longa parte do que há de mais humano e verdadeiro: o riso.

Ficha Técnica:

Direção: Chico Gomes, Julio Hey, Luiza Villaça, Pedro Moscalcoff, Luiz Villaça
Argumento: Luiz Villaça
Roteiro: Guilherme Quintella
Produção: Denise Gomes, Paula Cosenza, Luciana Lima, Fernando Sampaio
Produção Executiva: Adriana Tavares
Fotografia: Pedro Moscalcoff
Som Direto: Adriano Vasquez, Guilherme Lessa, Luciano Raposo, Marcelo Lopes, Robson Lima, Rodrigo Amorim, Tales Manfrinato
Montagem: Gabriel Lancman
Edição de Som: Daniel Sasso e Toco Cerqueira
Mixagem: Toco Cerqueira
Trilha Sonora Original: Marcelo Pellegrini
Texto e adaptação da peça “PAGLIACCI “de Luís Alberto de Abreu
Elenco/ Personagem: Alexandre Roit, Alice Viveiros de Castro, Carla Candiotto, Cesar Guimarães, Chico Pelúcio, Claudio Carneiro, Erica Stoppel, Fernando Cavarozzi,Fernando Paz, Fernando Sampaio, Filipe Bregantim, Keila Bueno, Luciana Lima, Marcelo Lujan, Roger Avanzi(Picolino), T´ófanes da Silveira, Verônica Tamaoki

Prêmios:
PRÊMIO SHELL DE TEATRO DE SÃO PAULO 2009: MELHOR ATOR para Domingos Montagner e Fernando Sampaio, com “A NOITE DOS PALHAÇOS MUDOS” Prêmio Mambembe Melhor Ator: “O Palácio não acorda” - de Paulo Rogério Lopes, Direção Leopoldo Pacheco / 1997.
Prêmio APCA de Melhor Ator 1997 “O Palácio não acorda”- de Paulo Rogério Lopes - Direção Leopoldo Pacheco

           SOBRE OS DIRETORES:
Julio Hey
O gosto pela linguagem cinematográfica vem de família para Julio Hey. Inspirado pelo avô, começou a trabalhar com fotografia ainda cedo, antes mesmo de cursar cinema na New York Film Academy. Depois de começar a dirigir, voltou para NY a fim de apurar a técnica e a habilidade de dirigir atores, em imersões com a coach de Adrienne Weiss. Responsável por filmes publicitários premiados, Julio também desenvolveu projetos de conteúdo junto a marcas importantes como Samsung, Gol+KLM e Caixa Seguradora.
Este ano se envolveu na produção do filme Híbridos, de Vincent Moon e Priscilla Telmon, que explora o universo da música sagrada no Brasil. O diretor também se dedica a projetos autorais de documentários, tendo entrevistado pessoas como o saxofonista Sonny Rollins, o ex-piloto de F1 Jackie Stewart, os músicos Chico Buarque e João Carlos Martins, a filósofa húngara Agnes Heller entre outros.

Chico Gomes
Chico vive os sets de filmagem desde criança. Nascido em uma família de produtores de cinema, começou como assistente de direção ainda aos 17 anos. Com um olhar especial para a montagem e direção de atores, ele se lançou como diretor a partir de videoclipes, curtas-metragens e filmes para internet em 2011, quando inaugurou o coletivo Expresso4 Filmes com mais cinco amigos. Na Bossa Nova Films, criou, roteirizou e dirigiu filmes tanto para cinema, quanto para TV e internet, além de fomentar o núcleo de criação e desenvolvimento de projetos e novos talentos da produtora, conhecido por BossaLab.
Nos cinemas, assinou o documentário Olhar Instigado (2016), exibido na 40º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, além de Pagliacci (2018). Há três anos atua também como diretor e roteirista dos VTs do programa Criança Esperança, da TV Globo. Para a TV, também dirigiu e montou a 2ª unidade dos programas Que Monstro Te Mordeu? (2014), de Cao Hambuguer e Vizinhos (2015), de Luiz Villaça, exibidos na TV Cultura e no canal GNT, respectivamente. Na publicidade, meio no qual faz dupla com Pedro Moscalcoff, dirigiu mais de 50 filmes - incluindo webséries ficcionais -, para Itaú, P&G, Panasonic e Samsung.

Pedro Moscalcoff
Formado em Audiovisual pela Universidade de São Paulo (USP), Mosca integra o time da Bossa Nova Films desde 2012 como diretor de cena e diretor de fotografia nos projetos de publicidade e entretenimento.

Ele assina o curta-metragem de animação Pescador de Marcéu (2012), que circulou por festivais do Brasil e de países tais como Uruguai, México, Alemanha e Espanha. É responsável pela direção de fotografia dos projetos que realiza em dupla com Chico Gomes. Dentre eles, destacam-se o trabalho de três anos na roteirização e filmagem dos VTs do programa Criança Esperança (TV Globo); cenas especiais para a série Vizinhos (2015), do canal GNT; além de outros trabalhos para Netflix, NatGeo, Fox, Samsung, Itaú, Gillette e outras marcas.

Luiza Villaça
Luiza Villaça é uma estreante diretora. Cineasta formada pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) e especializada em roteiro pela New York University (NYU), possui carreira consolidada como assistente de direção em publicidade e entretenimento nos mercados nacional e internacional, tendo integrado as equipes dos longas O Contador de Histórias (2009), de Luiz Villaça; Fitz and Starts (2017), de Laura Teruso; Hello Again (2017), de Tom Gustafson; Can Hitler Happen Here (2017), de Saskia Rifkin e Middleground (2017), da russa Alisa Khazanova. Na TV, Luiza também fez parte do time de 3 Teresas (2013), série exibida pelo canal GNT, com direção de Luiz Villaça. Pagliacci marca sua estreia como diretora de cena.

Luiz Villaça
Reconhecido pela versatilidade de seu trabalho, Villaça tem uma extensa carreira no cinema, TV e teatro.
No cinema dirigiu e roteirizou os longas: Por trás do Pano (1999), Cristina quer casar (Fox / 2003), O Contador de Histórias (Warner Bros/ 2009) e De Onde Eu Te Vejo (Bossa Nova Films, Globo Filmes e Warner Bros / 2016), vencedores de inúmeros prêmios nacionais e internacionais como melhor filme pelo júri popular do Festival de Gramado, melhor atriz no Festival de Havana, Grande Prêmio Brasil, Prêmio da Anistia Internacional, dentre outros.

Para TV, criou e dirigiu vários programas para a TV Globo, como: Retrato Falado, Copas de Mel, Dias de Glória, Te Quiero America, Norma e A Mulher do Prefeito, série indicada ao Emmy Internacional 2014. Em 2013 e 2014, criou e dirigiu duas temporadas da série 3 Teresas e também a série Vizinhos (2015), ambas para o GNT
No teatro, assinou a direção das peças A Visita da Velha Senhora (2017), de Friedrich Durrenmatt, Sem Pensar (2011), de Anya Reiss, e A Descida do Monte Morgan (2013), de Arthur Miller. Além de produzir A Alma Boa de Setsuan (2009) e Galileu Galilei (2015), ambas de Bertold Brecht.

                 SOBRE BOSSA NOVA FILMS:
A Bossa Nova Films é uma produtora independente atuante no mercado audiovisual brasileiro e internacional desde 2005. Com foco voltado ao aprimoramento artístico de seus talentos, através do fomento de uma estrutura de criação e inovação, a Bossa realiza um trabalho que abraça as diversas linguagens audiovisuais e plataformas.
Com a expertise de um time multi-identitário, a Bossa Nova Films já produziu 11 longas-metragens com títulos próprios, como De onde eu te vejo (2016), de Luiz Villaça; Tropicália (2012), de Marcelo Machado; Além do homem (2018), de Willy Biondani - com estreia prevista para junho  - e coproduções internacionais exibidas e premiadas em grandes festivais pelo mundo, como Ausência (2014), de Chico Teixeira; Violeta foi para o céu (2012), de Andrés Wood; e Uma Espécie de Família (2017), dirigido por Diego Lerman.
Simultaneamente aos longas-metragens, a produtora também tem forte atuação no segmento televisivo, sendo responsável por séries como 3 Teresas (2013) e Vizinhos (2015), ambas de Luiz Villaça para o GNT; Tô de Graça (2017), para o Multishow, e outros diversos conteúdos presentes nas grades de HBO, TV Globo, TV Record, TV Cultura, FOX, ESPN, Discovery Channel, entre outros canais.

               SOBRE LAMÍNIMA:
Domingos Montagner e Fernando Sampaio conheceram-se no Circo Escola Picadeiro em São Paulo, onde iniciaram a dupla de palhaços. Ali criaram e levaram às ruas, reprises, entradas e outros números circenses, desenvolvidos sob a orientação do Mestre Roger Avanzi, o Palhaço Picolino. Em 1997 formam o LaMínima, com o espetáculo “LaMínima Cia de Ballet”, calcado no humor físico e nas clássicas paródias acrobáticas. A partir daí, o circo e a arte do palhaço de picadeiro, viriam conduzir definitivamente o trabalho da dupla. Seguindo a tradição circense, a busca de conhecimento e aperfeiçoamento técnico e artístico, continua acompanhando a construção de seu repertório. Durante os 20 anos desta jornada, trabalharam com importantes diretores, mestres da arte do palhaço e do humor, tais como, Leris Colombaioni, Leo Bassi, Chacovachi, Fernando Neves e Alvaro Assad.
Em 2008 ambos foram contemplados com PRÊMIO SHELL DE TEATRO SP de MELHOR ATOR por “A NOITE DO PALHAÇOS MUDOS”, fato inédito na história do prêmio. O LA MÍNIMA é também fundador do Circo Zanni, coletivo que busca revitalizar a importância dos circos de pequeno e médio porte na vida cultural das cidades.

                SOBRE A PANDORA FILMES:
A Pandora Filmes é uma distribuidora de filmes de arte, ativa no Brasil desde 1989. Voltada especialmente para o cinema de autor, a distribuidora buscou, desde sua origem, ampliar os horizontes da distribuição de filmes de arte no Brasil com relançamentos de clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Fellini, Bergman e Billy Wilder, e revelações de nomes outrora desconhecidos no país, como Wong Kar-Wai, Atom Egoyan e Agnés Jaoui.
Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora Filmes sempre reserva espaço especial para o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos. Dentro desse segmento, destaca-se o recente “Que Horas Ela Volta”, de Anna Muylaert, um grande sucesso, visto no cinema por mais de 500 mil espectadores.

Nenhum comentário

Postar um comentário