Novidades

[Programação] Filmes em Destaque no Canal Brasil – 13 à 19 de janeiro de 2020

VAI QUE COLA – O FILME (2015) (100’) 

 
Horário: Segunda, dia 13, às 14h40

Direção: César Rodrigues
Classificação: 12 anos

Sinopse: Valdomiro Lacerda (Paulo Gustavo) dá um golpe e, para fugir da polícia, acaba se escondendo na pensão de Dona Jô (Catarina Abdalla), que fica no subúrbio do Rio de Janeiro. Seu ex-sócio tem um plano para Valdo recuperar sua cobertura de frente para o mar no Leblon, porém a turma do subúrbio vai junto e apronta muita confusão no bairro mais caro do Brasil.
 
HELI (2015) (105’)


Horário: Terça, dia 14, às 22h

INÉDITO E EXCLUSIVO

Direção:
Amat Escalante
Classificação: 18 anos

Sinopse: Heli (Armando Espitia) é um jovem sem qualquer ligação com o mundo do crime. Morador de uma casa simples da periferia, o rapaz leva uma vida normal, trabalhando em subempregos e tentando estudar mesmo em condições precárias. Sua rotina é radicalmente alterada quando sua irmã mais nova, Estela (Andrea Vergara), começa a namorar Beto (Juan Eduardo Palacios), um recruta do exército. O militar, já maior de idade, insiste em ter relações sexuais com a menina de apenas 12 anos. Não bastasse o assédio sexual com característica de pedofilia, o homem ainda a envolve em outro delito; ele desvia pacotes de cocaína que deveriam ser incinerados pelas tropas oficiais para vender ilegalmente.

Coprodução entre México, Holanda, Alemanha e França, o filme de Amat Escalante mostra como a violência, a corrupção e o tráfico de drogas afetam a vida dos moradores de lugares pobres de diversas maneiras. Estrelado por Armando Espitia, Andrea Vergara, Linda González e Juan Eduardo Palacios, a produção rodada em Guanajuato, periferia conhecida por estar na rota do comércio ilegal de entorpecentes, conquistou 15 prêmios internacionais, além de outras 25 indicações, com destaque para o prêmio de melhor diretor no Festival de Cannes (França) – além de disputar a prestigiada Palma de Ouro – e o Prêmio NHK no Festival de Sundance (Estados Unidos).
 
O PROCESSO (2018) (137’)


Horário: Quarta, dia 15, às 20h
Direção: Maria Augusta Ramos
Classificação: Livre

[É Tudo Verdade]

Sinopse:
Em cerca de 450 horas de material filmado, Maria Augusta Ramos acompanhou o processo que culminou no impeachment da presidente Dilma Rousseff. Concentrada em sua defesa, formada por José Eduardo Cardozo, Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias, a diretora faz um estudo particular dos bastidores desse momento histórico, ao longo de reuniões e discussões no Senado Federal, mas também por meio das expressões de seus protagonistas e dos defensores do impeachment. Coprodução do Canal Brasil, o filme foi exibido com destaque no Festival de Berlim em 2018.
MORTO NÃO FALA (2019) (110’) 


Horário: Quinta, dia 16, às 22h05
Direção: Dennison Ramalho
Classificação: 16 anos

Sinopse: Plantonista de um necrotério, Stênio (Daniel de Oliveira) possui um dom paranormal de se comunicar com os mortos. Trabalhando a noite, ele já está acostumado a ouvir relatos do além. Porém, quando essas conversas revelam segredos sobre sua própria vida, o homem ativa uma maldição perigosa para si e para todos à sua volta.

DIVINO AMOR (2019) (101’) 
 

Horário: Sexta, dia 17, às 23h10

INÉDITO E EXCLUSIVO

Direção:
Gabriel Mascaro
Classificação: 18 anos

Sinopse: O Brasil vive uma nova era em 2027. O carnaval foi substituído por festas gospel. A tecnologia avançou para possibilitar um estado hi-tech, mas os fins dados ao progresso são temerosos. Agora, scanners são capazes de dizer o estado civil de uma pessoa, existem exames expressos de DNA e igrejas em estilo drive-thru. A burocracia neopentecostal e suas incoerências estão representadas na figura de Joana (Dira Paes), uma funcionária pública que utiliza seu trabalho para convencer casais que desejam o divórcio a continuarem juntos. O casamento com Danilo (Julio Machado) é perfeito, exceto pela falta de um filho que, apesar de diversas tentativas, teima em não vir. A fé de ambos, no entanto, sofre um golpe duro quando o casamento entra em crise e as novas liturgias são questionadas.

“Divino Amor” foi indicado ao prêmio Cicae no Festival de Berlim (Alemanha) e ao grande prêmio do júri no Festival de Sundance (Estados Unidos). A produção reforça o estilo de Gabriel Mascaro ao imaginar um futuro preocupante no Brasil, no qual o avanço da tecnologia toma conta da realidade e altera radicalmente traços da cultura nacional.
 
NÃO DEVORE MEU CORAÇÃO (2017) (106’) 
 
 
Horário: Sábado, dia 18, às 23h10
Direção: Felipe Bragança
Classificação: 14 anos

[Festival de Sundance]

Sinopse:
O poeta Joca Reiners Terron lançou uma série de contos baseados nas memórias e nos costumes da fronteira sul-mato-grossense entre Brasil e Paraguai nas páginas do livro Curva de Rio Sujo. Para seu primeiro voo solo na direção de um longa-metragem – ele já havia assinado A Fuga da Mulher Gorila (2009) e A Alegria (2010) em parceria com Marina Meliande, além de outros filmes de curta duração –, Felipe Bragança adaptou dois textos do autor incluídos na publicação buscando expor as feridas e mágoas ainda abertas na relação entre os dois países após a Guerra do Paraguai. A coprodução entre o Canal Brasil, a DM Filmes e a Tucuman é estrelada por Cauã Reymond, Eduardo Macedo e Adeli Gonzales.

O leito do Rio Apa delimita a fronteira entre Brasil e Paraguai no estado do Mato Grosso do Sul. Há um clima de hostilidade entre os moradores de ambas as posições das margens, ferida nunca plenamente cicatrizada após a Guerra do Paraguai – conflito em que o exército brasileiro participou de uma ofensiva contra o país vizinho e dizimou a maior parte de sua população. Em meio à atmosfera de inimizade, Joca (Eduardo Macedo), um menino de 13 anos, descobre as dores do amor ao conhecer Basano (Adeli Gonzales), uma nativa guarani. A jovem afirma ter o poder místico de controlar o curso da água e roubar o coração do brasileiro, o impossibilitando de se livrar do sentimento de afeto, mas tampouco cedendo às investidas dele. De forma ainda infantil, os personagens revisitam a batalha, demarcando seus territórios e utilizando armas como estilingues e espadas de brinquedo para duelarem.
 
COMO VOCÊ É (2016) (105’) 

 
 
Horário: Domingo, dia 19, às 23h10

ESTREIA

Direção:
Miles Joris-Peyrafitte
Classificação: 16 anos

[Festival de Sundance]

Sinopse:
Jack (Owen Campbell) é um introvertido menino de 16 anos que mora apenas com a mãe, Karen (Mary Stuart Masterson), em um bairro simples de um subúrbio americano. Quando a mulher se apaixona por Tom (Scott Cohen), um agente de segurança, ele ganha um meio-irmão até então desconhecido, Mark (Charlie Heaton), um rapaz da mesma idade, mas de comportamento agressivo. Logo surge uma amizade marcante, a qual se junta Sarah (Amandla Stenberg). O inseparável trio passa por alguns dos principais momentos da adolescência: a descoberta da sexualidade e das drogas, a rebeldia, os tabus e bullying. Toda essa história é contada a partir dos depoimentos concedidos a um detetive em uma investigação policial misteriosa.

Vencedor do prêmio especial do júri e indicado ao grande prêmio do júri no Festival de Sundance em 2016, o filme traz no elenco Owen Campbell, Charlie Heaton, Amandla Stenberg, Scott Cohen e Mary Stuart Masterson. 
 
 




Nenhum comentário