Novidades

[News] Programação de janeiro no Teatro Sérgio Cardoso

A programação de janeiro no Teatro Sérgio Cardoso inicia dia 20/1 com a peça Renata Pallottini, Amor, Poesia e Anarquia, que faz curta temporada no espaço – o espetáculo é composto por poemas declamados e musicados por artistas em homenagem à dramaturga e poeta Renata Pallottini (1931).

No dia 22/1 haverá temporada do espetáculo teatral W Polsce, czyli gdzie? Na Polônia, isso é onde?, da Cia OPOVOEMPÉ, uma peça-conferência que reúne depoimentos pessoais, citações e elementos da obra do artista polonês Tadeusz Kantor.

Em seguida, o Festival Nova Era faz uma sessão gratuita no dia 24/1 – o evento musical promove um resgate da cultura de festivais aconteciam entre as décadas de 60 e 80, trazendo à tona grandes nomes da música brasileira. Já a partir do dia 29/1, a Crua Cia ocupa o porão do Teatro Sérgio Cardoso com temporada do espetáculo surreal e expressionista No Não Longe.

Programação completa – Janeiro/2020

TEATRO
Renata Pallottini, Amor, Poesia e Anarquia
De 20 de janeiro a 10 de fevereiro. Segundas-feiras, 20h.
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (estudantes, professores e idosos e moradores da Bela Vista).
Classificação: 16 anos.
Duração: 55 minutos.
Capacidade: 149 pessoas (Sala Paschoal Carlos Magno)

Renata Pallottini, Amor, Poesia e Anarquia é um poema cênico que intercala declamações de poemas interpretados pelas atrizes Fernanda Viacava e Luiza Braga com poemas musicados por Jean Garfunkel e Pedro Vieira interpretados pela cantora Cibele Codonho.

Também há projeção de trechos do documentário Viva Renata, com depoimentos de amigos, e um depoimento da poeta gravado em várias sessões de entrevistas em que ela percorre ruas de sua infância, ruas por onde morou e mora, além de falas sobre sua vida e obra.

Ficha Técnica
Poemas: Renata Pallottini. Direção e Adaptação: Pedro Vieira. Atrizes: Fernanda Viacava e Luiza Braga. Cantora: Cibele Codonho.    
TEATRO
W Polsce, czyli gdzie? Na Polônia, isso é onde? / Cia OPOVOEMPÉ
De 22 de janeiro a 20 de fevereiro. Quartas e quintas-feiras, 20h.
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (estudantes, professores e idosos e moradores da Bela Vista).
Classificação: Livre.
Duração: 50 minutos.
Capacidade: 149 pessoas (Sala Paschoal Carlos Magno)

O que perguntaríamos a Tadeusz Kantor hoje? Ou, se vivesse no Brasil, que obras faria Kantor? A impossibilidade de responder a estas perguntas motiva toda a criação do OPOVOEMPÉ. Realizado especialmente para compor a programação paralela da exposição Máquina Tadeusz Kantor (Sesc Consolação - 2015), o trabalho é uma peça-conferência em tom irônico, cuja dramaturgia reúne depoimentos pessoais de uma viagem à Polônia, citações e elementos das obras de Kantor e citações do próprio trabalho do OPOVOEMPÉ.

O trabalho busca estabelecer pontes entre a Polônia pós-Holocausto, que motivou a obra de Kantor, e a herança histórica do Brasil. O que a Polônia de Kantor tem a alimentar nos questionamentos do teatro que fazemos hoje? O Brasil fica onde? É um trabalho que discute a intolerância, a morte, o fazer artístico, o papel da arte e o momento histórico que vivemos atualmente.

Ficha técnica
Concepção, Direção artística e Dramaturgia: Cristiane Zuan Esteves. Atrizes criadoras: Ana Luiza Leão, Manuela Afonso, Paula Possani. Atriz criadora convidada: Andrea Tedesco. Trilha sonora: Pedro Semeghini. Design de Luz: Grissel Piguillem. Produção Executiva: Anayan Moretto. Fotos: Felipe S Cohen.

****

MÚSICA
Festival Nova Era
De 24 de janeiro. Sexta-feira, 21h.
Ingressos: Grátis.
Classificação: Livre.
Duração: 90 minutos.
Capacidade: 149 pessoas (Sala Paschoal Carlos Magno)

O Nova Era busca revelar a atual e efervescente produção musical nacional elegendo, entre os inscritos, a melhor canção inédita brasileira. O Festival é uma iniciativa das gestoras culturais Débora Ribeiro de Lima e Dani Godoy, realizadoras também do Festival Feminino. A inspiração vem da era dos festivais que aconteciam entre as décadas de 60 e 80, que traziam à tona grandes novas da música brasileira.

TEATRO
No Não Longe / Crua Cia
De 29 de janeiro a 20 de fevereiro. Quartas e quintas-feiras, 19h
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (estudantes, professores e idosos e moradores da Bela Vista).
Classificação: 16 anos.
Duração: 90 minutos.
Capacidade: 30 pessoas (Porão)

A Crua Cia propõe ao público um mergulho surreal e expressionista - um assistir um espetáculo e ao mesmo tempo ser assistido pelo próprio espetáculo.

Ficha Técnica
Texto e Direção: Alexandre Leal. Elenco: Natalía Moço. Iluminação: Giba Freitas. Cenografia e Figurinos: Natalía Moço e Alexandre Leal. Trilha Sonora Original: Andrei Furlan e Ulysses Neto. Programação Visual: Felipe Leal. Fotos: Josemar Gouveia. Produção: Crua Cia. Produção executiva e Audiovisual: Central SP Produções

Sobre a Amigos da Arte

A Amigos da Arte, Organização Social de Cultura responsável pela gestão do Teatro Sérgio Cardoso,  trabalha em parceria com o Governo do Estado de São Paulo e iniciativa privada desde 2004. Música, literatura, dança, teatro, circo e atividades de artes integradas fazem parte da atuação da Amigos da Arte, que tem como objetivo difundir a produção cultural por meio de festivais, programas continuados e da gestão de equipamentos culturais públicos como o Museu da Diversidade Sexual e o Teatro Estadual de Araras. Saiba mais em: www.amigosdaarte.org.br.

Teatro Sérgio Cardoso
Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista. São Paulo – SP. CEP 01326-010.

Estações do Metrô Próximas: São Joaquim e Brigadeiro. Linhas de ônibus: 475M-10 Jd. da Saúde; 967A-10 Imirim/Pinheiros.
Bilheteria - 11 3288-0136. Horário de Funcionamento: Vendas Antecipadas – de terça a sábado das 14h às 19h | Vendas para o Espetáculo do dia – das 14h até o início do espetáculo.

Nenhum comentário