Novidades

[News] Protagonizado por duas atrizes, Dois Perdidos Numa Noite Suja está em cartaz no Teatro West Plaza


Escrita em 1966, Dois Perdidos Numa Noite Suja chega aos palcos do Teatro West Plaza dia 8 de março, sábado, às 20h, na pele de duas atrizes: Daliléa Ayala (Tonho) e Mayara Magri (Paco) - Uma representação inédita dentro da dramaturgia de Plínio Marcos nos tablados brasileiros. Daliléa, atriz reconhecida por grandes comédias, é a idealizadora do projeto.
A escolha em representar o sexo oposto vai muito além de considerar grandes papeis de Plínio Marcos, segundo o diretor Flávio Galvão, mas sim de mergulhar mais fundo no submundo de milhares de brasileiros. Uma realidade que, infelizmente, continua atual, como o próprio dramaturgo sempre afirmou.
Daliléa conta que a importância de montar Plínio Marques nos dias de hoje é justamente o sentido que seus textos fazem no nosso contexto. “Ele foi o dramaturgo mais censurado do país e de fato viveu o submundo de que escreve, conhecendo parte dos personagens que estão nas suas peças e passando pelo período do AI 5, na ditadura militar”, conta a atriz.
A falta de sustento político e social, o aumento do número de desemprego, a fome, a busca por uma vida melhor e a inserção no mundo do crime são alguns dos pontos ressaltados nos trabalhos de Plínio.

Sobre a peça
Dois homens completamente distintos, à margem da sociedade, vivem em condições miseráveis num único e denso ambiente. Numa relação conflituosa as personagens discutem sobre suas vidas, trabalho, expectativas, angustias, inseguranças, e anseios sobre a dura sobrevivência.  Levam para cena as mazelas de uma sociedade extremamente desumana, com diálogos grotescos e violentos, porém dinâmicos, despojados e emocionantes.
O sonho em ter um simples par de sapatos é um fato que desencadeia uma evolução crítica sobre o rompimento das classes sociais. São impossibilitados de realizar o que almejam quando se relacionam, um impedindo a satisfação das vontades do outro. E nessa oposição das vontades ocorre o embate entre as duas personagens, gerando constantes enfrentamentos pelo simples fato de um não aceitar a visão do outro.
O confronto entre os dois, num clima de desamparo e desespero crescentes, chega a leva-los à agressão física. Na busca de melhorar os seus dias, ambos são coagidos à realização de um ato que modificará radicalmente suas vidas. Palavras que sobem e descem determinam as situações humanas de ambos, que são levados de limite em limite, até o extremo fatal de uma realidade que condena de uma forma impiedosa.

Sobre a equipe
Flávio Galvão cursou filosofia, já atuou em mais de 40 novelas e inúmeras minisséries na TV Globo como ator e diretor na mesma emissora. Império, Senhora do Destino, Porto dos Milagres, Corpo Dourado, A Indomada, Tieta, Irmãos Coragem, Corpo a Corpo, Senhora, Éramos Seis e O Quinto dos Infernos são algumas delas. Recentemente atuou em Apocalipse  (TV Record). No teatro, realizou grandes trabalhos que foram aclamados pela crítica e pelo público como Bent, de Martin Sherman; As Pontes de Medison,  baseada no livro de Robert James Waller; Num Lago Dourado, de Ernest Thompson; Camas Redondas Casais Quadrados, de Ray Cooney e John Chapman; O Semeador, de Gabriel Chalita; Ninguém Paga, Ninguém Paga, de Dario Fo; A Feira do Adultério, de Jô Soares, Armando Costa, Bráulio Pedroso, João Bethencourt, Lauro Cesar Muniz e Ziraldo, com roteiro de Paulo Pontes;  La Nonna, de Roberto Cossa; Preso na Rede, de Ray Cooney; Três Homens Baixos, de Rodrigo Murat; A Investigação na Classe dominante, de J. B. Priestley; Tinha Que Ser Você, de Mayara Bianco; A Massagem, de Mauro Rasi; A História é uma História, de Millôr Fernandes etc. Atualmente é comentarista do   Jornal da Cultura (TV Cultura), e está dirigindo o curta metragem Nunca Mais Quero Seu Amor, Nunca Mais.

Daliléa Ayala cursou Comunicação Social na Universidade Bandeirante de São Paulo - com habilitação em jornalismo; pós-graduação na UNG em linguagem jornalística, e Arte Dramática na Escola NG em Goiânia/Goiás no final dos anos 70. É atriz,  diretora de teatro, jornalista e roteirista. Atuou em 31 espetáculos de teatro, sendo premiada em duas peças como melhor atriz: A Cozinha Maluca e A Filha Da..., de Chico Anísio  (Robalo de Ouro e Super Cap, e indicada para o prêmio MAMBEMBE (MINC) e APETESP como melhor atriz, e de melhor texto original em A Cozinha Maluca). Dirigiu os espetáculos: Dois Por Um Fio, Pai e Filho, o musical Inspiração de Handel e Pluft o Fantasminha, de Maria Clara Machado. Ainda no teatro, foi dirigida por Bibi Ferreira em dois espetáculos de grande sucesso: Sua Excelência o  Candidato e Procura-se um Tenor.  Atuou em mais de 1000 comerciais para TV, inúmeros vídeos de treinamento sobre comportamento humano & público, duas séries para TV Globo: Retrato de Mulher e Sandy e Junior; oito longas e  três novelas: Um Homem Muito Especial (TV Bandeirantes), Meus Filhos Minha Vida e Cúmplices de Um Resgate pelo SBT. Durante vinte anos escreveu e apresentou o programa interno, Tele Rede, para Mercedes-Benz do Brasil.

Mayara Magri é formada pela EAD - Escola de Arte Dramática ECA - USP, atuou em inúmeras novelas de sucesso na TV Globo, tais como Amor Com Amor se Paga,  A Gata Comeu, Roda de Fogo, Salvador da Pátria e Salomé. Teve papéis marcantes em novelas da TV Bandeirantes como Os Adolescentes, Ninho da Serpente, Sabor de Mel, Casal 80; na TV Manchete interpretou grandes papeis  nas novelas Dona Beja e Helena, e ainda Éramos Seis,  Razão de Viver, e Os Ossos do Barão pelo SBT. No cinema, foi premiada como melhor atriz coadjuvante no filme A Próxima Vítima, de João Batista de Andrade; Prêmios Governador do Estado e APCA; e no Festival de Caxambú com o filme Shock , e ainda o prêmio de melhor atriz no média metragem Átimo. No teatro, atuou em clássicos como Hamlet, Ricardo III e  Maria Borralheira, nesta última foi premiada como melhor atriz com os troféus Mambembe e APTESP; em Luar em Preto e Branco, com a direção de Sérgio Mamberti, ganhou mais uma vez o prêmio APETESP como melhor atriz coadjuvante. E outros grandes sucessos do teatro, como Elza e Fred, As Pontes de Madison, Black Out, As Meninas (direção de Roberto Lage); Perversidade Sexual em Chicago (Direção de José Wilker); Greta Garbo quem diria acabou no Irajá (Direção de Wolf Maia);  SOS Brasil (Direção de Marcos Caruso) e Louco Circo do Desejo (Direção de Vladimir Capela), entre outras.      

Ficha Técnica 
Dramaturgo: Plínio Marcos. Direção: Flávio Galvão. Elenco: Daliléa Ayala e Mayara Magri. Designer gráfico: Elifas Andreato. Trilha sonora: Tunica Teixeira. Criação/Luz: Rodrigo A. Salsicha. Cenário: Nicolau Ayer. Fotografia: Danilo Lacalle. Figurino: Adriana Adrioj.

Serviço

Dois Perdidos Numa Noite Suja

Local: Teatro Shopping West Plaza (Av. Francisco Matarazzo, s/n - Bloco B - Praca de alimentação - Água Branca). Sala Nicette Bruno

Capacidade: 128 lugares. Duração: 80 minutos. Classificação: 14 anos.

Temporada: De 8 a 30 de março. Sextas, às 21h, e sábados, às 20h.

Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)



Nenhum comentário