02 agosto 2018

[Programação] Shows da semana de 2 a 9 de agosto

                   Confira a programação de shows no RJ entre 2 e 9 de agosto:

                   CCBB:


Projeto Música no museu, 12:30, entrada franca

O projeto tem por objetivo estimular a música de concerto e a formação de plateias, sendo realizado em diversos museus e centros culturais da cidade. Em agosto o projeto homenageia os Imortais da Música Brasileira e os Gênios Internacionais
Programação:
01.08 – 12h30
YURI MARCHESE
(vencedor do Concurso Jovens Músicos-Musica no Museu)
Clássicos Brasileiros
08.08 – 12h30
YURI GUERRA & REGINA LACERDA I VOZ & PIANO
Árias de óperas dos seus grandes autores


Jeunesse Arena
Ballet Nacional da Ucrânia


Kiev Ballet

Data: 05 de agosto de 2018

Horário: 18h

Abertura dos portões: 16h

Classificação Etária: 14 anos
Menores de 14 anos podem assistir ao espetáculo desde que estejam acompanhados pelos pais ou responsáveis legais.

Estacionamento disponível no local (1000 vagas)
(Abertura do estacionamento: 2 horas antes da abertura dos portões)
Valor do estacionamento: 30 reais (pagamento somente em espécie)

Informações sobre ingressos: CLIQUE AQUI 
Abertura da venda de ingressos: 22 de junho de 2018 (Sexta-feira)

Valores:
LOTE PROMOCIONAL com valores especiais (antes da 1ª virada do lote):
Cadeira Especial (Inteira): 260 reais
Cadeira Especial (Meia): 130 reais

Cadeira Nível 1 (Inteira): 220 reais
Cadeira Nível 1 (Meia): 110 reais

Cadeira Especial Lateral (Inteira): 220 reais
Cadeira Especial Lateral (Meia): 110 reais

Cadeira Nível 3 (Inteira): 100 reais
Cadeira Nível 3 (Meia): 50 reais

Bilheteria Oficial | Sem cobrança de taxa de conveniência
Jeunesse Arena
Avenida Embaixador Abelardo Bueno, 3401 - Barra da Tijuca
Terça a Sábado 10h às 12h e 13h às 17h

Pontos de Venda Físicos | Com cobrança de taxa de conveniência
Teatro XP Investimentos
Avenida Bartolomeu Mitre, 1110 - Leblon - Rio de Janeiro
Terça-feira das 13h às 17h
Quarta a sexta-feira das 17h às 21h
Sábados das 13h30 às 21h
Domingos das 13h30 até a hora do espetáculo em cartaz
Vivo Rio
Av. Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo, Rio de Janeiro, RJ
De terça a sexta das 11h às 18h
Sábado e domingo das 15h às 18h


Outras Informações:
KIEV BALLET TOUR BRAZIL 2018
Um ano após ao estrondoso sucesso da turnê comemorativa de seus 150 anos, de 26 de julho a 16 de agosto, o Kiev Ballet, como é mundialmente conhecido o Ballet da Ópera Nacional da Ucrânia, retorna ao Brasil para apresentar mais duas obras de seu repertório clássico no formato suíte, dessa vez dentro da inédita turnê sulamericana. O programa homenageia Ludwig Minkus, compositor da música de Dom Quixote e de Paquita, esta em parceria com Édouard Deldevez.
A companhia vem com 38 pessoas dentre solistas, corpo de baile, técnicos e produção. Estarão retornando de turnês no Canadá e nos EUA em abril/maio deste ano, onde também apresentarão Dom Quixote.
A Companhia
O Kiev Ballet, também conhecido como Ballet da Ópera Nacional da Ucrânia, é uma renomada companhia de balé da cidade de Kiev. Tem como sede e origem o Teatro de Ópera da Ucrânia, inaugurado em 1867, onde iniciou como um pequeno grupo de bailarinos que se apresentavam nas danças folclóricas e balés das óperas locais.
No início do século XX, com o crescente intercâmbio com as escolas russas, teve importante impulso com a chegada de bailarinos dos Balés Russos de Paris, que fugiam da 1 a Guerra Mundial, quando então começa a diversificar seu repertório e a formar bailarinos de nivel internacional.
Em 1919, o diretor do Balé da Ópera de Kiev era Mikhail Mordkin, um dos grandes coreógrafos da Europa, que junto com a irmã do famoso bailarino Vatslav Nijinski, Bronislava, fundou a Escola Coreográfica de Kiev, onde foi revelado Serge Lifar, que posteriormente se tornou Diretor do Ballet do Teatro de Ópera de Paris.
Com as mudanças políticas e sociais do fim da União Soviética, a forte estrutura cultural e artística dos ucranianos, lhes permitiu integrar a elite das companhias européias de balé.
Em 1950, começam a se apresentar nos principais palcos tanto da Cortina de Ferro como em países como Inglaterra e França, onde em 1960 foram agraciados com a Estrela de Ouro, o maior prêmio da Academia Francesa de Dança.
Após a independência da Ucrânia em 1990, o Kiev Ballet estende suas apresentações à América do Norte e Ásia, além de toda a Europa, se consolidando e sendo reconhecido como uma das principais companhias de balé clássico do mundo e uma das guardiãs da técnica clássica pura.

PROGRAMA TURNÊ 2018
Dom Quixote
O Kiev Ballet apresentará esta obra numa versão condensada no formato suíte, com 80 minutos de duração aproximada. Baseado no livro clássico Dom Quixote de La Mancha, de Miguel Cervantes, é um balé de quatro atos, e teve sua primeira adaptação para o balé em 1740, na Áustria por Franz Hilverding, depois com Jean Georges Noverre em 1768, também em Viena, com música de Josef Starzer. Charles Didelot, conhecido hoje como o pai do balé russo, apresentou uma versão de dois atos em São Petersburgo em 1808. Outras montagem foram apresentadas em 1839 em Berlim e em 1843 em Turim. A versão atual estreou em 26 de Dezembro de 1869, no Teatro Bolshoi pelo ballet Imperial com coreografia de Marius Petipa e foi revisada em 1871 pelo próprio Petipa e por Minkus e as versões modernas se baseiam na versão apresentada em Sao Petersburgo por Alexander Gorsky em 1900. A versão para o balé de “Dom Quixote” não prova apenas a genialidade de Cervantes, mas também de Marius Petipa, que provou que se pode fazer coreografias lindíssimas e maravilhosas saindo um pouco dos padrões. Personagens: Dom Quixote, Sancho Pança, O Balharee Sansão Carrasco, Antonina, Lourenço (estaleiro), Kitri (sua filha), Gamache, Basílio(barbeiro), Um Chefe Cigano, Graciosa, sua filha, aldeões, toureiros, ciganos, fadas, etc. Prólogo: Levado pela visão de Dulcinéia, Dom Quixote começa sua aventura ao lado de seu fiel escudeiro Sancho Panza.
Ato I: Sevilha. Kitri, a filha de Lorenzo, está apaixonada por Basilio, mas decobre que seu pai quer casá-la com Gamache, um nobre. Dom Quixote e Sancho Panza entram na vila, provocando grande comoção. Ao olhar para Kitri, Dom Quixote pensa que achou sua Dulcinéia. Movidos pela idéia do casamento arranjado, Kitri e Basilio, aconselhados por Espada e Mercedes, decidem seguir Dom Quixote e Sancho Panza. Gamache e Lorenzo perseguem o casal. Cena I: Acampamento cigano. Dom Quixote e Sancho Panza descobrem o casal fugitivo em um amigável acampamento cigano. Todos estão inspirados pelo clima de romance da noite. A visão de Dulcinéia aparece novamente para Dom Quixote, que percebe que Kitri não é sua idealizada, e que pertence a Basilio. De repente o vento ganha ímpeto. Dom Quixote então ataca os moinhos de vento, pensando que são gigantes ameaçando a segurança de Dulcinéia. Se sentindo miserável, ele cai em sono profundo.
Ato II, Cena II: O sonho. Don Quixote tem um sonho encantado com a imagem de Kitri e sua amada Dulcinéia. Neste sonho ele é flechado pelo cupido e confundido pelas belíssimas dríades que nunca permitem que se aproxime de sua amada. Ato II, Cena III: É Aurora. Lorenzo e Gamache interrompem o sonho de Dom Quixote. Simpatizante do amor do jovem casal, Dom Quixote diz o caminho errado para os homens. Ato II, Cena IV: A taverna. Finalmente descoberta, Kitri é forçada por Lorenzo a aceitar o casamento com Gamache. Basílio, desesperado ante a perspectiva do casamento de Kitri e Gamache, finge estar se suicidando, e pede ao pai da moça que lhe satisfaça um último desejo, concedendo-lhe a mão de sua filha em casamento. O pai cede, e para o seu espanto, Basílio se levanta radiante de saúde e felicidade, para abraçar a amada. Todos festejam o noivado. Kitri vai se arrumar para o casamento enquanto Dom Quixote e Basilio agradecem Lorenzo e Gamache por terem aceitado o inevitável.

Ato III: O casamento. A vila celebra o matrimônio. Dom Quixote congratula o casal, dá um caloroso adeus e continua suas aventuras.
Paquita
O Kiev Ballet apresentará esta obra numa versão condensada no formato suíte, com 35 minutos de duração aproximada. Foi criado na Ópera de Paris em 1 de abril de 1846 por Joseph Mazilier e Paul Foucher, com música de Édouard Deldevez e Ludwig Minkus. Paquita sempre faz sucesso devido, principalmente, as suas alegres danças espanholas. Em 1847 Marius Petipa criou uma nova versão para Paquita em Saint-Petersburgo e é o segundo ato desta versão que o Kiev Ballet apresentará ao público brasileiro. Paquita é um ballet-pantomima, significa dizer que é um balé em que dançarinas (os) se manifestam mediante a mímica, gestos, expressões fisionômicas e corporais. Esse formato de ballet, que foi popularizado no século XIX, é considerado o arquétipo (modelo) do Ballet Clássico.

Sinopse
A história é passada na Espanha, durante a ocupação por Napoleão. No vale dos touteiros, aos arredores de Saragoza, na época da ocupação napoleônica, (aproximadamente ao ano de 1810), um grupo de ciganos armaram suas tendas. O general d'Hervilly, acompanhado de sua esposa e de seu filho Lucien vão observar a edificação do monumento à memória do seu irmão, Charles d'Hervilly, assassinado no mesmo lugar em 1795, com sua esposa e sua filha. O governador da província, Don Lopez de Mendoza, sua irmã Dona Serafina (que tem a mão prometida a Lucien), acompanha o general e se associam -- em aparência -- à sua dor. Don Lopez nutre contra os franceses um ódio vivaz. Na ocasião da edificação desse memorial, o vilarejo está em festa. Uma música viva e alegre anuncia um grupo de ciganos, em que logo se compreende que o chefe, Iñdigo, lançou sua investida sobre a bela dançarina Paquita. Entretanto, ela estava presa a tristes pensamentos: um medalhão que ela conservou desde criança, representando o quadro do seu pai, seu benfeitor que lhe livrou da morte. Então, Paquita dança e impressiona vivamente Lucien, filho do general. Mas, Paquita não corresponde aos avanços do jovem aristocrata devido as suas condições sociais serem muito modestas. O governador oferece ramalhetes de flores em homenagem a família d'Hervilly. Depois, ele fala à parte com Iñdigo, louco de ciumes, que lhe propõe matar Lucien. Paquita percebeu essa conversação macabra e fica angustiada para avisar ao jovem oficial da sua ameaça de morte. Iñdigo coloca narcótico no copo de vinho do Lucien, para depois chegarem os bandidos para o matar. Mas, Paquita muda os copos de lugar, colocando o do narcótico para Iñdigo, que o bebe. Drogado, ele abre sua roupa devido ao calor, ocasião em que deixa cair o medalhão que havia roubado de Paquita. Ela pega o medalhão e foge do perigo com Lucien. O general d'Hervilly promove um baile no qual estão presentes o governador de Saragoza Don Lopez de Mendoza e sua irmã Serafina, que estava noiva de Lucien, oficiais militares acompanhados de suas respectivas damas, bem como, altas personalidades de Saragoza. De repente Lucien aparece acompanhado de Paquita! Ele informa que sofreu um atentado e Paquita o salvou da morte. Paquita denuncia o governador como o autor intelectual do assassinato do Lucien, que é preso imediatamente. Lucien pede a mão de Paquita em casamento! Ela não ousa aceitar alegando sua condição social bem modesta. Momento em que ela olha e vê o quadro do grande homenageado: o general Charles d'Hervvilly. Olha para o medalhão e vê que é o mesmo! Sabendo ser o seu pai, não suporta a emoção e perde a consciência.

Circo Voador
Perotá Chingó

Dia 3 de agosto, às 22h, 120 a inteira e 60 a meia

Elas chamaram atenção de meio mundo com um vídeo despretencioso em um praia uruguaia cantando aquele que se tornou o hit da banda – ‘Rie Chinito’ – e agora chegam à Lapa para mostrar porque se transformaram em um verdadeiro fenômeno tanto na internet quanto fora dela. Sexta, 03 de agosto, as argentinas Julia Ortiz e Dolores Aguirres, ou melhor, a Perotá Chingó faz seu début no Circo trazendo na bagagem seus dois álbuns que são uma verdadeira viagem pelos ritmos latinos.

Prestes a completar 7 anos de estrada, a Perotá Chingó surgiu literalmente no melhor estilo easy going, quando as amigas Julia e Dolores resolveram tocar suas músicas em alguns bares e praias durante uma viagem de férias. Já que não custava nada, aproveitaram para gravar esses momentos, colocaram na internet para deixar registrado e PÁ PUM! De uma hora pra outra, elas viram um dos vídeos atingirem nada menos que 1 milhão de views (hoje já são mais de 13 milhões).
                        Forróçacana,20 anos

        Dia 4 de agosto, às 22h, 80 a inteira e 40 a meia.

Olha eles aqui de novo, xaxando! Um show não foi suficiente e eles tiveram que voltar. Sábado, 04 de agosto, o Forróçacana desembarca no palco do Circo Voador para mostrar porque há 20 anos é considerado o melhor forró do mundo. Vai ser aquele rastapé pra não deixar ninguém parado. Nos intervalos, a música segue firme, forte e xamegada  com os DJs Darwin e Xeleléu.
Desde que surgiu em 97, o Forróçacana já ganhou de cara público e crítica com sua sonoridade diferentona que mistura baião, xaxado, coco, rock, salsa, samba e até música oriental em mixagens inovadoras. Logo no primeiro álbum ‘Vamo que vamo’, eles receberam uma indicação ao Grammy Latino e, de lá pra cá, lançaram um disco com o maiores sucessos de São João, gravaram DVD com participações estelares – Elba Ramalho, Alceu Valença, Moraes Moreira, só pra citar alguns –, ganharam o Prêmio da Música Brasileira, dividiram o palco com grandes nomes da música brasileira e colocaram trocentas pessoas para dançarem coladinhos.
Para mais essa comemoração, DUANI (cantor/“zabumbaterista”), MARÁ (anfoneiro/violoncelista), CHRIS MOURÃO (percussionista), CACHAÇA (guitarrista/cavaquinho/viola caipira/bandolim) e MARCOS MOLETTA (rabeca/guitarra/bandolim) prepararam um repertório pra machucar os corações com sucessos como ‘Matilde’, ‘O Melhor Forró do Mundo’ e  ‘A Lei do Silêncio’, além de releituras para grandes clássicos da música brasileira. É pra rodopiar a noite inteira e mais ou pouco.

                         Entrega da medalha Pedro Ernesto
                                
               Dia 7 de agosto, às 18h, grátis.

No dia 7 de agosto, o Mandato do vereador ecossocialista e libertário Renato Cinco (PSOL) vai homenagear com a entrega da Medalha Pedro Ernesto, maior comenda da Cidade do Rio, o artitsta Marcelo Yuka e o espaço cultural Circo Voador.
Com quase quarenta anos de história construída com muita luta e resistência artística, o Circo Voador é um lugar de referência cultural da Cidade do Rio de Janeiro. Marcelo Yuka, músico, compositor, poeta, ativista social, é uma referência principalmente para a juventude brasileira. Em 2001, ficou paraplégico depois de um assalto e segue convicto de que as diferenças não se resolvem com armas, mas sim com a garantia de direitos.
A noite dessa justa homenagem promete! Vamos falar sobre cultura, liberdade e antiproibicionismo com Orlando Zaccone, Marcelo Yuka, Renato Cinco e Maria Juçá numa roda de conversa conduzida pelo MC Leonardo. Depois, como não poderia deixar de ser, vai rolar um som! Chama geral e participe com a gente!

PROGRAMAÇÃO
18h – abertura dos portões
18h30 às 20h – Roda de Conversa
“Cultura, liberdade e antiproibicionismo”, com Orlando Zaccone, Marcelo Yuka, Renato Cinco e Maria Juçá | Mediação: MC Leonardo
20h às 23h – Roda Sambamaioral | MC Leonardo, Yuka e convidados



Nenhum comentário

Postar um comentário