30 julho 2018

[Review] 1 ª temporada de Bordertown

O detetive Kari Sorjonen é um dos oficiais mais respeitados do National Bureau of Investigation na Finlândia. Por causa da doença de sua esposa, ele decide passar mais tempo ao lado da família, e todos se mudam para a pequena cidade de Lappeenranta, na fronteira com a Rússia. Só que os planos de ter uma vida tranquila vão por água abaixo, quando Sorjonem se depara com uma série de assassinatos, casos de prostituições, sequestros e tráfico de drogas na nova vizinhança.

O que eu achei?
Um dos melhores seriados de investigação da atualidade, Kari se muda para uma pequena cidade do interior(Lappeenranta)na tentativa de ficar mais próximo de sua esposa e filha. Assim que chega a cidade por conta de um convite para atuar na área de crimes especias, mas não poderia imaginar que assim que assumisse seu papel na polícia local teria que lidar com uma série de assassinatos.

Kari terá que conseguir organizar sua vida familiar em conjunto a sua via pública, ele não é um detetive comum, tenta de forma metódica separar física e mentalmente blocos de pensamentos, alinhando sua forma obscura e muitas vezes até suspeita de lidar com membros de sua equipe e assim como sua esposa.
Sus esposa é ex-namorada do prefeito atual da cidade e nos primeiros instantes Kari não irá perceber deste relacionamento anterior, nem mesmo quando sua esposa é convidada para trabalhar na prefeitura.
Como se já não bastasse tantos problemas, sua filha também se envolverá com um rapaz que tem um comportamento muito duvidoso e pouco respeitoso. 

O seriado até o segundo episódio te causa a estranheza de ter a língua local, ao invés do popular inglês ou ao menos espanhol. Já temos uma segunda temporada engatilhada, thanks Netflix! Continuando...
Ele tem a mesma "pegada" de The Killing: muitas mortes, mistérios e reviravoltas. Se você gosta de ver corpos serem mutilados, pessoas sendo sequestradas e fica torcendo para que encontrem o culpado(assim como eu!) corre pro catálogo da Netflix e vai assistir.



Nenhum comentário

Postar um comentário