11 janeiro 2018

[Review] White Gold

Sinopse: Essex, 1983. O vendedor Vincent (Ed Westick) precisa usar o carisma e a lábia para chamar atenção no showroom onde trabalha. Mas ele vê que isso não é o suficiente e deixa de lado a moral para se dar bem em cima da concorrência.
O que eu achei?
White Gold é uma série de comédia britânica que se passa no ano de 1983. Nessa história vamos conhecer Vincent, um vendedor do ramo de janelas que apela para todas as suas artimanhas para conseguir fechar uma venda. Artimanhas essas que vão de um belo olhar atraente para seduzir sua cliente, ou até mesmo sua lábia  de vendedor especializada em aplicar golpes. Ou seja, ele é um completo cafajeste assumido e seus esforços rendem bons lucros para a empresa na qual trabalha.

Junto a ele temos Brian e Martin que são tão canalhas quanto Vincent e completamente sem escrúpulos. Vincent tem uma família e se conscientiza que o que faz é para conseguir sustentar sua casa, mesmo ele sabendo que não é muito útil e sua esposa não aguenta mais reclamar de sua ausência. Tudo seria fácil se somente os três usassem sua picaretagem para fechar vendas e sair ilesos, só que não, eles vão arcar com as devidas consequências no futuro, e no decorrer dos episódios eles vão sentir na pele e da pior forma possível o "feitiço voltar contra o feiticeiro". 

A série é pequena, conta com seis episódios com a duração de no máximo 30 minutos. Não apenas por ser uma comédia que até em alguns momentos chega a ser tosca, o que mais me fez gostar da série é que Vincent quebra a quarta parede e em meio as cenas ele conversa diretamente com quem está assistindo e isso em vários momentos da um tom mais cômico ainda a série. White Gold é uma produção da BBC, mas está disponível no catálogo da Netflix. Não deixe se conferir e creio que você também dará boas risadas com essa corja de salafrários que vão fazer de TUDO para fechar um negócio.

Assista ao trailer:

Por Leonardo Alves

Nenhum comentário

Postar um comentário