Novidades

[Programação] Filmes em Destaque no Canal Brasil de 02 a 08 de setembro

A REPARTIÇÃO DO TEMPO (2016) (110’)

 
Horário: Segunda, dia 02, às 18h45

Direção: Santiago Dellape
Classificação: 16 anos

Sinopse: Ambientado em Brasília na década de 1980, o roteiro de A Repartição do Tempo mostra o cotidiano do Registro de Patentes e Invenções (Repi), órgão responsável por emitir títulos das mais malucas criações. O local é uma típica repartição pública, com funcionários desestimulados, alto nível de burocracia e grande morosidade nos processos. O lugar onde trabalham Jonas (Edu Moraes), Carol (Bianca Müller) e Zé (André Deca) é chefiado por Lisboa (Eucir de Souza), um homem sem qualificação para o cargo e colocado ali exclusivamente por ser filho de uma poderosa senadora (Selma Egrei). Dois acontecimentos, no entanto, alteram a rotina da autarquia. O maluco Dr. Brasil (Tonico Pereira) leva uma máquina do tempo desacreditada por todos, mas que prova ser revolucionária. Além disso, o escritório vira capa de uma importante revista sendo apontado como a pior filial do Repi no país.
 
GIMME SHELTER (1970) (90’)

 
Horário: Terça, dia 03, às 20h

ESTREIA
 
Direção: David Maysles, Charlotte Zwerin e Albert Maysles
Classificação: 12 anos

Sinopse: O documentário dirigido pelos irmãos David e Albert Maysles e Charlotte Zwerin mostra os bastidores do controverso festival de música realizado no autódromo de Altamont, na Califórnia (EUA), e que teve como atração principal a banda inglesa The Rolling Stones. O que seria uma grande celebração da música e do estilo de vida hippie, transformou-se em um evento trágico, marcado pela violência, o que resultou na morte de quatro pessoas.
 
A JUÍZA (RBG) (2018) (99’)




Horário: Quarta, dia 04, às 20h

INÉDITO E EXCLUSIVO
  Direção: Julie Cohen e Betsy West
Classificação: Livre

Sinopse: Ruth Bader Ginsburg é uma celebridade do universo político norte-americano. Juíza da Suprema Corte do país – a mais alta patente do Direito estadunidense – conhecida por sua postura liberal, pela luta por igualdade de gênero e raça e pela eloquência ao lançar suas sentenças, ganhou notoriedade e popularidade, quase como uma estrela do rock, em mais de meio século nos tribunais. Sua trajetória é contada nesta película de Julie Cohen e Betsy West indicada ao Oscar em 2018 – melhor documentário e trilha sonora original – e vencedora de outros nove prêmios em festivais nacionais e internacionais. Por seu avassalador sucesso mundo afora, o filme estreia a nova fase da sessão É Tudo Verdade, que mantém o princípio de mostrar o melhor da produção nacional recente, agora agregando obras internacionais de grande relevância.
 
UMA VIAGEM INESPERADA (2019) (87’) 


Horário: Quinta, dia 05, às 20h45

Direção: Juan José Jusid
Classificação: 14 anos

Sinopse: Pablo (Pablo Rago) é um engenheiro argentino que mora no Brasil. Ele trabalha como responsável pela criação de uma nova plataforma de petróleo numa empresa localizada no Rio de Janeiro. Morar longe de sua família é algo que gerou certo afastamento. Porém, quando seu filho passa por um problema, Pablo viaja para seu país natal em busca de soluções.
 
BENZINHO (2018) (108’)
 


Horário: Sexta, dia 06, às 23h10

Direção: Gustavo Pizzi
Classificação: 12 anos

Sinopse: Primogênito de uma família de classe média, Fernando (Konstantinos Sarris) é arqueiro do time de handball do colégio. Prestes a disputar a partida mais importante de sua vida, ele é convidado para treinar e estudar na Alemanha. A proposta, irrecusável para um garoto que sonha em se tornar jogador profissional, insere Irene (Karine Teles), sua mãe, em uma espiral de sentimentos confusos, um misto de felicidade pelo desejo do filho, mas de tristeza por sua iminente partida. Paralelo a isso, ela precisa lidar com a perspectiva de falência do negócio do marido, Klaus (Otávio Müller), o funcionamento da decadente casa – onde mora com o companheiro e seus outros três – e a dificuldade para gerenciar os bicos feitos com a irmã, Sônia (Adriana Esteves), vítima do comportamento agressivo do marido, Alan (César Troncoso).
 
GABRIEL E A MONTANHA (2017) (131’)
 

Horário: Sábado, dia 07, às 21h50
 
Direção: Fellipe Barbosa
Classificação: 12 anos

Sinopse: Baseado em uma história real, o filme narra o último ano de vida de Gabriel Buchmann, amigo de infância do diretor Felipe Barbosa, morto em 2009 aos 28 anos. Gabriel estava com viagem marcada para começar um doutorado em políticas públicas para países em desenvolvimento em uma prestigiada universidade americana. Antes da teoria, no entanto, ele decidiu fazer uma pesquisa de campo para entender os dilemas dessas nações e, para isso, percorreu 26 estados do Sudeste Asiático, Oriente Médio e da África. Antes de voltar ao Brasil, seu último objetivo era alcançar o topo do monte Mulanje, no Malawi. A retrospectiva dos momentos finais da vida do protagonista traz apenas dois atores profissionais – além de João Pedro Zappa (Gabriel), Caroline Abras (Cristina) vive a namorada do retratado. Todos os demais papeis da obra são interpretados por pessoas cujas trajetórias se cruzaram com a do personagem principal durante os últimos 70 dias de sua jornada pela África. O roteiro foi montado a partir das últimas cartas enviadas pelo economista, fotos encontradas em sua câmera e da memória de quem teve a oportunidade de cruzar seu caminho.
 
É PROIBIDO FUMAR (2009)(86’)  
 

Horário: Domingo, dia 08, às 20h10

Direção: Anna Muylaert

Sinopse: A professora de violão Baby (Glória Pires) tem no cigarro sua maior companhia. Solteira, parece conformada à solidão de sua vida. Ela mora sozinha no apartamento deixado pela mãe e mantém algum contato com as duas irmãs: Pop (Marisa Orth), uma bem-sucedida empresária, e Teca (Daniela Nefussi), que se dedica quase integralmente à família. Descrente em relacionamentos amorosos, Baby começa a mudar de opinião quando conhece Max (Paulo Miklos), um músico de churrascaria recém-instalado no apartamento ao lado. Igualmente solitário, o homem acena com a possibilidade de um novo amor. Há, no entanto, alguns obstáculos: a obsessiva ex-namorada do vizinho e o vício de Baby. Ele não demonstra qualquer tolerância a cigarro e deixa claro sua impossibilidade de manter um relacionamento com uma fumante inveterada. 


 

Nenhum comentário