09 agosto 2018

[News] "Teach Your Children" ganha novo vídeo

Registro chega no mês em que se comemora o Dia dos Pais no Brasil e faz paralelo entre os movimentos atuais, principalmente o “March for Our Lives”, e os acontecidos da década de 60 

Com a proximidade do Dia dos Pais, somos convidados para mais uma reflexão sobre o ensinamento das nossas crianças. Enquanto assistia aos protestos de controle de armas, o “March for Our Lives”, liderado pelos sobreviventes do tiroteio em Parkland, Flórida (EUA), em março deste ano, o astro do rock, Graham Nash, se posicionou com o seguinte pensamento: “ensinamos nossos filhos da melhor maneira que podemos, mas, também temos que aprender com nossos filhos, ou então estaremos cometendo um grande erro”.
O mesmo pensamento já havia surgido quase meio século atrás, quando os protestos surgiram ao redor dele e o inspiraram a escrever o hino “Teach Your Children”. Desta vez, o ressurgimento do protesto popular contra o presidente Donald Trump levou-o a trabalhar com o artista e animador Jeff Scher para produzir um novo vídeo para a canção, ligando os movimentos sociais dos anos1960 com os protestos em proliferação nos dias atuais.

Clique e assista aqui à nova versão do vídeo de “Teach Your Children”:

No clipe você pode assistir paralelos convincentes entre as duas eras, no entanto, o mesmo destaca uma diferença fundamental entre ambas. A polarização implacável do cenário político desde os anos 1960 tornou os movimentos sociais mais partidários - mudando tanto suas táticas quanto seus objetivos no processo.
Em 1968, quando começou a compor a música, Nash ainda era um membro do grupo pop britânico Hollies. Mas, a faixa não foi concluída até a mudança do músico para Los Angeles, quando se juntou a David Crosby e Stephen Stills para criar o supergrupo Crosby, Stills & Nash, conhecido pelas harmonias sedosas e letras intrincadas.
Quando Nash terminou de escrever, Neil Young se juntou ao grupo, que passou a ser conhecido como Crosby, Stills, Nash & Young. A última peça se encaixou quando Crosby convenceu Jerry Garcia, do Grateful Dead a tocar guitarra na gravação.
Para o novo vídeo, Nash se uniu a Scher, que dividiu a música em dois. Na primeira metade, Scher pintou imagens em preto e branco tiradas de momentos icônicos dos protestos dos anos 1960: os movimentos pelos direitos civis e contra a guerra; Martin Luther King Jr. na Marcha de 1963, em Washington; Atletas afro-americanos erguendo os punhos cerrados na posição de medalha nas Olimpíadas de 1968; o tiroteio dos manifestantes no estado de Kent.
Para a segunda metade, Scher criou imagens coloridas dos protestos de assinatura de hoje: Emma Gonzalez na “March for Our Lives”, em Washington; Black Lives Matter Marchs; Colin Kaepernick e outros jogadores de futebol de joelhos; manifestantes exigindo o fimda separação de crianças sem documentos de seus pais - todos pontuados por pinturas de um carrancudo, gritando Trump. Em cada caso, Scher baseou suas pinturas em imagens reais, tiradas principalmente de uma coleção acumulada por sua esposa, a designer gráfica Bonnie Siegler, para seu recente livro, Signs of Resistance.

Nenhum comentário

Postar um comentário