28 agosto 2018

[News] Renato Góes e Ícaro Silva vivem fundadores do Planet Hemp em ´´Legalize já-amizade nunca morre´´ que estreia em 18 de outubro


“Tem muita coisa errada, temos que reclamar”. Foi assim, com canções de denúncia social e resistência, que os amigos Skunk e Marcelo – atualmente conhecido como Marcelo D2 – deram os primeiros passos com a banda Planet Hemp. A relação de ambos é tema de “Legalize Já – Amizade Nunca Morre”, que estreia nos cinemas no dia 18 de outubro. Skunk, interpretado por Ícaro Silva, é um artista que sonha em ganhar a vida com o seu talento, enquanto, Marcelo, vivido por Renato Góes, trabalha como camelô e não reconhece o potencial que tem como compositor e cantor. O trailer do longa, que mostra o encontro dos dois e as dificuldades que enfrentaram até o início da carreira.
A cinebiografia conquistou o prêmio de Melhor Ficção Nacional Segundo o Público na 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e também Melhor Longa-metragem pelo Júri Popular e Melhor Roteiro no 12º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro, além de ter participado do Festival do Rio de 2017. Dirigido por Johnny Araújo e Gustavo Bonafé, com roteiro de Felipe Braga, o drama tem produção da Academia de Filmes, distribuição da RioFilme e Imagem Filmes e coprodução do Telecine e da RioFilme.
O cantor Marcelo D2 participou de perto desde o início do projeto, que durou nove anos, assina o argumento do filme junto do do diretor Johnny Araújo e é um dos responsáveis pela trilha sonora.
– O filme ‘Legalize Já’ não é só sobre maconha. É uma história de amor. É um grito de liberdade. Um pé na porta. É reconhecer que você tem o seu espaço no mundo. O mundo é meu, o mundo é seu. O mundo é de todos nós – declara o rapper.
Para Ícaro Silva, o encontro entre o Skunk e o Marcelo foi um divisor de águas na vida pessoal e profissional do vocalista do Planet Hemp, além de ter um contexto instigante para a juventude no Brasil.
– Fazer esse filme agora, falando do poder do encontro entre jovens e da possibilidade da mudança a partir do encontro, é genial, porque o nosso país vive um momento de desencontro. Poder falar que é muito mais se juntando do que se separando que a gente evolui, vai para a frente, constrói, é essencial – explica o ator Ícaro Silva.
Marcelo D2 complementa dizendo sobre o valor do seu amigo Skunk para ele.
– O Skunk foi um anjo na minha vida. Eu não sei se esse foi o papel dele aqui na Terra, mas ele realmente mudou a minha vida. Me botou em um caminho que eu não ia achar sem ele. Me trouxe para a música. Foi ele quem me incentivou a escrever – finaliza o carioca.
Os diretores Johnny Araújo e Gustavo Bonafé tiveram dificuldade para escolher quem iria interpretar o Marcelo D2, mas quando viram Renato Góes atuando, perceberam que ele era a aposta certa, justamente, pelos dois terem um brilho no olhar. O pernambucano precisou trabalhar para que o seu sotaque não interferisse na composição do personagem.
– Dois fatores que me preocupavam muito eram o corpo e o sotaque. Eu não preciso imitar o Marcelo, eu preciso ir na essência. Se eu assistir ao filme e ver que o meu olho está falando a verdade, eu não vou me importar com o sotaque – revela o ator Renato Góes.
No filme, Renato Góes e Ícaro regravaram e cantam clássicos do Planet Hemp como, “Legalize Já”, “Mantenha o Respeito” e “Phunky Buddha”.
Este filme foi realizado com recursos da SABESP - Programa de Fomento ao Cinema Paulista - e do Programa de Apoio à Cultura - Lei Estadual 12.268/06 - da Secretaria do Estado da Cultura e do Governo do Estado de São Paulo e com o apoio da Ancine – Prêmio Adicional de renda 2008.SINOPSE
Como o encontro entre dois jovens que vendiam camisetas e fitas cassete no centro do Rio de Janeiro para se sustentar pôde dar origem a uma das bandas mais populares do Brasil na década de 1990? O filme narra esse momento transformador na vida de Marcelo - futuramente, conhecido como Marcelo D2 - e Skunk, que culminou na formação do Planet Hemp. Reprimidos por uma sociedade preconceituosa, os dois fizeram da música um grito de alerta e de resistência, conquistando corações e mentes de toda uma geração.
ELENCO
Renato Góes – Marcelo
Ícaro Silva – Skunk
Ernesto Alterio - Brennand
Marina Provenzzano – Sônia
Stepan Nercessian – Dark (Pai de Marcelo)
Rafaela Mandelli – Suzanna
Shirley Cruz - Marli
FICHA TÉCNICA
Direção: Johnny Araújo e Gustavo Bonafé 
Roteiro: Felipe Braga
Produção: Academia de Filmes
Produtor: Paulo Roberto Schmidt
Fotografia: Pedro Cardillo
Montagem: Marcelo Junqueira
Trilha Sonora: Mauro Berman, Lourenço Monteiro e Marcelo D2
Distribuição: RioFilme e Imagem Filmes

               SOBRE OS DIRETORES
Johnny Araujo é diretor de cinema, televisão, publicidade e videoclipes. Dentre seus trabalhos destacam-se os filmes “O Magnata”, de 2007, “Depois de Tudo”, de 2014, e “Chocante”, em 2017, e as séries “Alice” e “FDP” (HBO), “As Canalhas” e “Copa Hotel” (GNT) e “E Ai Comeu...” (Multishow). Gustavo Bonafé trabalhou como assistente de direção por dez anos, antes de dirigir videoclipes, filmes publicitários e longa-metragens. Foi assistente de direção no filme “O Magnata” e nas séries de TV “Alice” e “Destino SP” (HBO), e diretor-assistente em “E Aí Comeu?” (Multishow). No cinema, dirigiu “O Doutrinador” (2018) e codirigiu “Chocante” (2017).

                   SOBRE A ACADEMIA FILMES
A Academia de Filmes produz conteúdo audiovisual de entretenimento, cultura e interatividade para todas as telas há 22 anos. Mais recentemente, em cinema, coproduziu “Elis” (2016), de Hugo Prata. Está em produção dos dois novos longas-metragens de Luiz Fernando Carvalho: “A Paixão Segundo G.H.”, baseado no romance homônimo de Clarice Lispector, e “Objetos Perdidos”, com roteiro do diretor em parceria com João Paulo Cuenca. Ainda em cinema, a produtora assina “Infância Clandestina”, de Benjamín Ávila – indicação Argentina ao Oscar 2013 –; “Amanhã Nunca Mais” (2011), de Tadeu Jungle; “Titãs – a Vida até Parece uma Festa” (2009), de Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves; “Natimorto” (2009), de Paulo Machline, e “Cabeça a Prêmio” (2009), de Marco Ricca.  Em TV, a Academia de Filmes produziu, entre outras obras, as microsséries “Amor em 4 Atos” (TV Globo), direção geral de Roberto Talma; “A Pedra do Reino (TV Globo), da obra de Ariano Suassuna, direção geral de Luiz Fernando Carvalho, e “Nathalia” (TV Brasil/Universal Channel), direção de André Pellenz. Além das séries documentais “Eu Te Dedico” (Arte 1), “Linhas Tortas” (Play TV), “Futuros Campeões” (Canal Combate), “Espírito da Luta” (Canal Combate), Mixados (PlayTV) e “200 Graus” (Discovery H&H), entre outras produções.

                      SOBRE A IMAGEM FILMES
A Imagem é uma distribuidora nacional de filmes independentes comprometida com a qualidade e variedade de produções. Atuando nos segmentos de cinema, vídeo e televisão a distribuidora é responsável pelos lançamentos de grandes produções nacionais, dentre elas, destacam-se os recentes: “É Fada!”, “Nise - O Coração da Loucura”, “Soundtrack”, “O Rastro”, além das produções internacionais: “Florence – Quem é Essa Mulher”, “Café Society”, “Gênios do Crime”, “Silêncio”, “Círculo” e os recentes “Roda Gigante” e “Paddington 2”.
                     
                       SOBRE A RIOFILME
A RioFilme é uma empresa pública de investimento em audiovisual, vinculada à Prefeitura do Rio de Janeiro e subordinada à Secretaria Municipal de Cultura. Fundada em 1992 para apoiar a produção e distribuição de cinema na cidade, atua nas áreas de apoio à expansão do mercado exibidor, estímulo à formação de público e fomento à produção audiovisual, visando o efetivo desenvolvimento da indústria audiovisual carioca. Ao longo de sua existência, tem desempenhado papel fundamental na revitalização do Cinema Brasileiro, tendo lançado mais de 300 filmes nacionais no mercado ­– sucessos de público e crítica, como “Baile Perfumado” (Paulo Caldas e Lirio Ferreira), “Central do Brasil” (Walter Salles), “Lavoura Arcaica” (Luiz Fernando Carvalho), “Terra Estrangeira” (Walter Salles e Daniela Thomas, distribuição em vídeo), “Amarelo Manga” (Claudio Assis), “Divã” (José Alvarenga Jr.), “Simonal: Ninguém sabe o duro que dei” (Calvito Leal, Cláudio Manoel e MicaelLanger), entre vários outros. Além do fomento à produção, a RioFilme apoia eventos, como festivais, mostras e feiras ligadas ao mercado audiovisual bem como premiações como o GP do Cinema e pré-estreias. Desde 2017, retornou à sua função original, que imprime o seu DNA: a distribuição. O filme “Encantados”, de Tizuka Yamasaki, foi o primeiro, com estreia em dezembro. Em janeiro foi a vez de “Peixonauta, o filme”.

                      SOBRE A REDE TELECINE
Joint-venture entre a Globosat e os quatro maiores estúdios de Hollywood – Paramount, MGM, Universal e Fox –, a Rede Telecine também exibe com exclusividade as produções da Disney e sucessos do mercado independente. O melhor do cinema mundial estreia na TV brasileira através da Rede Telecine cada vez mais rápido. Para investir cada vez mais na produção cinematográfica nacional, a Rede Telecine lançou em 2008 o Telecine Productions, selo de coprodução de títulos em parceria com grandes produtoras brasileiras. Além de estimular a criação de novos filmes, o Telecine garante a exibição desses títulos com exclusividade em suas diferentes plataformas. Em 2017, o Telecine foi o mais lembrado entre todos os canais da TV por assinatura, categoria na qual é líder isolado pelo quarto ano consecutivo conquistando na pesquisa Top of Mind do Datafolha. Na de canais de filmes, a Rede mantém a liderança desde 2007 ¹. O Telecine é o canal fundamental na manutenção da TV por Assinatura2 e, neste ano, tem em sua programação sete dos 10 filmes mais vistos pelo público brasileiro em 2017³.


Nenhum comentário

Postar um comentário