Novidades

[Crítica] Fênix Negra

Sinopse:
1992. Os X-Men são considerados heróis nacionais e o professor Charles Xavier (James McAvoy) agora dispõe de contato direto com o presidente dos Estados Unidos. Quando uma missão espacial enfrenta problemas, o governo convoca a equipe mutante para ajudá-lo. Liderado por Mística (Jennifer Lawrence), os X-Men partem rumo ao espaço em uma equipe composta por Fera (Nicholas Hoult), Jean Grey (Sophie Turner), Ciclope (Tye Sheridan), Tempestade (Alexandra Shipp), Mercúrio (Evan Peters) e Noturno (Kodi Smit-McPhee). Ao tentar resgatar o comandante da missão, Jean Grey fica presa no ônibus espacial e é atingida por uma poderosa força cósmica, que acaba absorvida em seu corpo. Após ser resgatada e retornar à Terra, aos poucos ela percebe que há algo bem estranho dentro de si, o que desperta lembranças de um passado sombrio e, também, o interesse de seres extra-terrestres.


O que eu achei?
Preciso falar o que achei de Fênix Negra e ainda não consigo explicar se gostei ou não. Mas deixarei com vocês minha singela opinião do que tinha tudo para ser um excelente filme, mas que certamente Sophie Turner não foi capaz de dar a manignetude correta de Jean Grey.

O longa começa com uma nave americana que tem problemas no espaço e que vai precisar da ajuda dos X-Men para ser resgatada. Uma das poucas vezes que é possível ver o governo ao lado dos mutantes, e as cenas são boas e repletas de ação. Temos uma equipe liderada por Professor Xavier, que mais uma vez é interpretado por James McAvoy que dá conta do recado como qualquer personagem. Mística, Fera, Noturno, Jean Gray, Ciclope e Fera estão nesta missão no espaço e salvam os astronautas, enquanto Jean Gray recebe uma força durante uma explosão no espaço.

Ao retornar à Terra é perceptível que nem todos se agradam da aproximação de Xavier e o governo americano, principalmente Mística que tem um embate ao questionar sobre o ego do professor.
Enquanto isso Jean tenta entender o que ela tem, mas logo perceberá que esta nova força não é tão fácil de controlar e irá precisar se afastar de seus amigos mutantes para entender este novo poder.
Magneto está de volta e certamente foi motivo de entusiasmo para fãs do vilão.

O longa tem efeitos, mistérios de um longa de terror, principalmente na péssima caracterização da Fênix Negra que em diversos momentos mais me parecia estar possuída por um demônio do que por algum poder. 
Sophie não conseguiu segurar a barra de ser protagonista e infelizmente deixamos de ter um personagem traumatizado e ganhamos uma Fênix Negra sem emoção.
Em contrapartida temos o talento de Jennifer Lawrence e Michael Fassbender novamente nos papéis de Mistica e magneto, onde mais uma vez foram incríveis em seus personagens e nas cenas chaves do longa.

Deveríamos ter um super filma para fechar esta era de X- Men, mas temos apenas um bom filme para a Sessão da tarde e que por alguns momentos não souberam adequar o personagem a história. A escolha da trilha sonora atrapalhou em diversos momentos em que deveríamos ter o peso emocional de Sophie e que me fez pensar: por que essa escolha de música?
Enfim, é  um bom filme com boas cenas, mas que deixou a desejar nos efeitos sonoros e visuais. E será lembrado apenas como um filme de super herói.

Trailer:




                                         

Nenhum comentário